quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Booking Through Thursday - Estilístico

   Qual é o teu estilo favorito num livro? Sério? Brincalhão? Cómico? Pensativo? Cheio de acção? Cheio de humores?

   André: Uma boa obra acho que tem de ter partes de todas estas opções, tem de ter as suas partes sérias e brincalhonas, tem de fazer o leitor pensar mas também sentir emoções quer na acção quer nas partes mais sérias... Se tiver demasiado dum, acaba por tornar-se menos "real" ou demasiado "falso".

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Bakuman vol.16 - Newcomers and Veterans - Tsugumi Ohba & Takeshi Obata

   "Average student Moritaka Mashiro enjoys drawing for fun. When his classmate and aspiring writer Akito Takagi discovers his talent, he begs Moritaka to team up with him as a manga-creating duo. But what exactly does it take to make it in the manga-publishing world?
   Eiji Nizuma announces that if he can top the Weekly Shonen Jump survey results for ten straight weeks, he will have one of the manga series in the magazine canceled. But which series does Eiji want to cancel? And what will Ashirogi and the other manga creators do to stop him?!"

   Hello manga readers!
   Já tínhamos saudades por estes lados de ler um mangá e como tal aqui está ele, o décimo sexto volume de Bakuman que conta com vinte (sim, está mesmo quase a acabar).
   E tenho a dizer que este deve ter sido um dos melhores volumes da saga. Imensos capítulos que entretém o leitor durante imenso tempo. Continuação e finalização de uma espécie de "arco" da história e começo de outro. Mas se pensam "vamos ficar outra vez a meio de um arco", bem desta vez o arco está mesmo no início, por isso quando o volume acaba ainda ficam meio satisfeitos com o que têm. Por outras palavras, não é um capítulo que termina com um cliff-hanger que vos faz querer comprar de imediato o próximo volume.
   Quanto ao arco que terminou estava muito bom, emocionante, escrito e desenhado como se fosse uma batalha entre rivais cheia de ataques e defesas fabulosas (não nos esqueçamos que este é uma história sobre criadores de mangás), portanto essa parte está positiva! Os leitores sentiam-se divididos por certo, entre apoiar um lado ou apoiar o outro, mas qualquer que fosse o desfecho acho que me contentaria, de tal forma foi a qualidade da "batalha".
   Outro pormenor agradável foi aperceber-me da quantidade de anos que se passam entre o primeiro volume e este, e ainda melhor foi perceber que houve um crescimento, maturidade e desenvolvimento das personagens, não só dos protagonistas, mas também de alguns personagens secundários.
   É um volume que vale a pena ler. Caso queiram saber mais sobre os outros volumes, basta seguirem o link: Crítica - Bakuman Vol.15 - Encouragement and Feelings
   Boas Leituras... ;)
8.5/10

André

sábado, 14 de janeiro de 2017

Redenção Maravilhosa - Kami Garcia & Margaret Stohl

   "«A morte é o fim... ou apenas o princípio?»
   Ethan Wate passou a maior parte da vida a desejar fugir da sufocante pequena cidade de Gatlin. Nunca pensou que iria conhecer a rapariga dos seus sonhos, Lena Duchannes, que lhe revelou um lado secreto, poderoso e amaldiçoado da cidade, escondido à vista de todos. E nunca teria esperado ser forçado a deixar para trás toda a gente e tudo aquilo que é importante. Então, quando Ethan acorda depois dos acontecimentos horripilantes de Caos Maravilhoso, tem apenas um objetivo: arranjar forma de voltar para Lena e para aqueles que ama.
   Em Gatlin, Lena está a trabalhar para o regresso de Ethan, prometendo fazer o que for preciso - mesmo que isso signifique confiar em velhos inimigos ou arriscar a vida da família e dos amigos que Ethan abandonou para proteger.
   Em mundos diferentes, Ethan e Lena devem voltar a trabalhar juntos para reescrever o seu destino neste final deslumbrante da série Criaturas Maravilhosas."

   Boas Leitores!
   E mais uma saga que está terminada! Após anos e anos (não por minha culpa, visto que esta saga esteve sem ser publicada em português durante um bom tempo) finalmente acabei-a! Os quatro volumes que compõem esta tetralogia foram publicados todos em português e podem ser obtidos em qualquer livraria.
   Agora a verdadeira questão é: vale a pena ou não obtê-los? Em modo geral, não. Este último volume que deveria ser, na falta de melhor, o climáx de toda a saga não foi mais do que uma história do género "Anita vai ao submundo", mas substituindo Anita por Ethan e pronto têm uma obra.
   Há pontos pela originalidade do submundo que as autoras criaram, era ligeiramente diferente dos outros, também podemos atribuir assim meio ponto às personagens, mas não a todas, algumas alteraram-se sem grandes fundamentos nem explicações deixando o leitor um pouco "à nora" com a situação.
   Os pontos negativos vão para o enredo, nada original, completamente previsível, Maus sofrem, bons saiem vitoriosos, yippie yippie yey. De vez em quando acrescentavam uma personagem ou outra que poderia tornar as coisas mais interessantes, contudo depressa matavam o interesse dessa personagem. Foi um pouco aborrecido ler sabendo que mesmo que as personagens estivessem em perigo iriam obviamente sobreviver.
   Como se não bastasse, foi quase como se este último volume não acrescentasse nada à história da saga. Poderia ter acabado no anterior e talvez aí ficasse impressionante, mas não, prolongaram mais um volume para dar o final feliz a tudo e atar todas as pontas soltas (desta última parte não reclamo, porque no final duma saga a maioria das pontas soltas devem ser atadas).
   Um final aborrecido, que não aconselho. No entanto, caso queiram ler mais sobre a saga, podem seguir o link: Crítica - Caos Maravilhoso
   Boas Leituras... ;)
3.5/10

André

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

A Coroa - Joe Abercrombie

   "Logen Novededos poderá ter apenas mais uma batalha dentro dele, mas será das grandes. A guerra devasta o Norte, o rei dos homens do norte mantém-se firme e apenas um homem poderá travá-lo. O seu mais velho amigo e inimigo. Chegou o momento do Nove-Sangrento. Com demasiados mestres e sem tempo suficiente para lhes obedecer, o superior Glokta trava uma guerra diferente. Uma guerra secreta em que ninguém estará seguro e onde ninguém merecerá confiança. E, se os seus dias de espadachim ficaram para trás, é uma sorte que a chantagem, as ameaças e a tortura nunca saiam de moda. Jezal dan Luthar decidiu que conquistar a glória é um processo demasiado doloroso e volta costas à vida militar par se entregar a uma vida simples com a mulher que ama. Mas o amor também pode ser doloroso... e a glória tem o hábito desagradável de se acercar de um homem quando menos a espera. Com o rei da União no seu leito de morte, os camponeses revoltam-se e os nobres enfrentam-se, tentando roubar-lhe a coroa. Ainda ninguém acredita que a sombra da guerra está prestes a cobrir o coração da União."

   Boas Leitores!
   E temos como primeira opinião do ano de 2017 o final de uma trilogia! Será que isto quer dizer que este ano será o ano de acabar séries inacabadas? (Se calhar estão à espera da opinião do final de uma saga há muito tempo). Este é pois o terceiro livro da trilogia A Primeira Lei.
   E que livro foi! Cheio de surpresas! Foi decididamente o melhor da trilogia. Enquanto lia as suas quase 650 páginas tive muitos momentos em que as peças encaixaram e fizeram imenso sentido no puzzle que eram estas obras. Exemplo disso foi o nome da trilogia, A Primeira Lei, durante a leitura das duas primeiras obras aceitei o nome como algo mediano e que simplesmente era referência a algo da série. Depois de ler a última obra fez tudo muito mais sentido.
   Este livro já não está restringido a três personagens, vai variando entre cerca de cinco, cada um a sua peça-chave nos acontecimentos que se desenrolam. E com o trocar das personagens o leitor não se cansa e vê-se com aquela sensação de querer ler para chegar à sua personagem favorita, ou saber apenas o destino da personagem que menos gosta. O desenvolvimento de todas elas está coerente e fácil de seguir mesmo com as brutas mudanças que ocorrem nas suas vidas.
   E isso leva-nos ao seguinte ponto que é o enredo. Muito bom, Surpreendeu-me várias vezes e não apenas no fim, como seria de esperar do final de uma saga. Teve o seu quê de batalhas, algumas um pouco previsíveis, MAS o fim foi simplesmente brilhante, quer ao nível de surpresas quer ao nível de final em si, inteligente, criativo e perspicaz. Ao chegar às últimas cem páginas pensei que o autor fosse enveredar por uma via muito básica que é o "pôr as culpas de tudo numa pessoa e fica tudo resolvido" mas o certo foi que foi feito de uma forma que não esperava e que fez todo o sentido, sem perder pitada de coerência.
   Valeu a pena ler as três obras, principalmente para chegar a esta última e ser arrebatado! Se quiserem saber mais sobre a saga basta seguirem o link: Crítica - A Forca
   Boas Leituras... ;)
8.5/10

André