quarta-feira, 19 de julho de 2017

Dança com o Diabo - Sherrilyn Kenyon

   "Zarek é o mais perigoso de todos os Predadores da Noite. Exilado no Alasca durante séculos, desprezado pela deusa que o criou e temido pela sua própria espécie, foi condenado à morte por Ártemis na sua última missão. A sua única hipótese de salvação vem do líder dos Predadores da Noite, Acheron, que convoca a justiça da ninfa Astrid; mas, em toda a história do mundo, Astrid nunca considerou ninguém inocente... Dizem que mesmo o homem mais amaldiçoado pode ser perdoado, mas conseguirá Zarek convencer Astrid de que, por trás de uma besta feroz, se esconde um ser humano que deseja amar e ser amado?"

   Boas Leitores!
   Aqui estamos com o terceiro volume da saga Predadores da Noite, a imensa saga com dezenas de obras, das quais este é apenas o quarto volume. Vá que em vez de um intervalo de dois anos entre o volume anterior e este, foi só de um ano desta vez. Não é que tivesse maior interesse nesta saga, mas como o meu livrólico interior dita "começas uma colecção, tens de acabá-la!".
   E como não valeu a pena. Tudo o que disse do volume anterior aplica-se aqui. Enredo previsível, personagens com muito pouco desenvolvimento, muitas cenas de sexo (estas últimas ao menos relativamente bem descritas).
   Comecemos pelo início, enredo. O certo é que desta vez foi ligeiramente diferente, envolvendo mais mitologia greco-romana, entre outras mais, do que o costume, e isso até que apelou um pouco , mas as bases são as mesmas: predador conhece rapariga, resistência a início que depois se transforma em amor, lutam contra probabilidades ínfimas para conseguirem estar juntos e tentem adivinhar o final? Ficam juntos.
   Quanto a personagens, esse é mesmo o ponto fraco da autora. São ocas e com estereótipos básicos, sem terem qualquer profundidade psicológica. E, como tal, o livro perde metade da piada dessa forma, quando estamos a ler uma história com bonecos em vez de pessoas com que nos ligamos.
   Por outro lado, é engraçado ler os livros por esta ordem tendo já lido a obra Acheron, porque em vez de ter Acheron como a personagem misteriosa e estranha em que cada livro dá uma pequena pista, assim sabe-se já quem ele é e vemos como todos os outros não sabem nada dele e a imagem que ele passa.
   Como seria de esperar, nada de novo em vários aspectos, mas hey, meio ponto por ter mais mitologia! Caso queiram saber mais sobre a saga, podem seguir o link para a obra anterior: Crítica - O Abraço da Noite
   Boas Leituras... ;)
5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas