quarta-feira, 15 de março de 2017

O Voo da Águia - Simon Scarrow

   "Estamos no ano 43 antes de Cristo. As temíveis legiões do imperador Cláudio desembarcaram nas costas da Britânia e preparam-se para uma das mais terríveis e sanguinárias campanhas na história de Roma. Sob a águia da Segunda Legião, Macro - um centurião veterano, e Cato - o seu lugar-tenente, vão ter de ir ao encontro do inimigo antes que este cresça ainda mais. É que, a cada dia que passa, aumenta o número de bretões enfurecidos e dispostos a morrer pela sua ilha. Infelizmente, os selvagens da Britânia não são o único perigo que as legiões correm. Uma conspiração de poderosos aristocratas romanos procura minar o imperador Cláudio. Para tal, estão dispostos a sacrificar a campanha contra os bretões e, se necessário, a vida de todos os legionários. Para sobreviver, Macro e Cato vão ter que agir muito depressa. Mas quando a campanha ameaça transformar-se num desastre... as opções não são muitas!"

   Boas Leitores!
   Continuando as sagas, não acabando, mas pelo menos avançando pouco a pouco para esse rumo, temos aqui o segundo volume de A Saga da Águia. Ainda faltam alguns volumes para acabar (cerca de treze), mas como o grande ditado diz: grão a grão enche a galinha o papo.
   E que tenho aqui a dizer do segundo volume? Não muito. Já percebi o forte deste autor que são as batalhas, e digo isso por o livro estar repleto delas, no início, a meio, no fim, estão por todo o lado. Mas isso não quer dizer que torne o livro bom, aliás acho que acaba por ter o efeito oposto, batalhas a mais tornam-se aborrecidas e sem grande surpresa.
   Claro que parte desse aborrecimento deve-se ao enredo, que não é nada complexo e por vezes muito previsível. Baseou-se muito no primeiro livro, excepto que este passava-se num sítio diferente e com mais batalhas. O ponto positivo que tenho a dar é que, talvez, a longo prazo, o enredo seja melhor do que aquele que vemos em cada volume.
   Algo bom a dizer foi talvez a personagem principal, foi bem caracterizada, já o mesmo não se pode afirmar pelo resto das personagens. Ou eram pouco desenvolvidas ou então tomavam atitudes por vezes inesperadas. Mas, acho que isso se deve a transformações, mais uma vez, a longo-prazo. Ou pelo menos é essa a minha esperança.
   A qualidade diminuiu por certo, esperemos que nos treze volumes que ainda faltam a história melhore e não seja apenas repetição do que se viu nesta obra. Caso queiram saber mais acerca do livro anterior, é só clicarem no link seguinte: Crítica - A Águia do Império
   Boas Leituras... ;)
5/10

André

0 comentários:

Enviar um comentário

Páginas Comentadas