quinta-feira, 30 de junho de 2016

All You Need is Kill Vol.1 - Ryosuke Takeuchi & Takeshi Obata

   "A Terra é invadida pelos Mimics, uma raça alienígena de monstros quase indestrutíveis que se lançam numa guerra de extermínio.
   Keiji Kiriya é apenas um entre inúmeros recrutas inexperientes a ser metido numa armadura mecanizada e atirado para o meio da carnificina, onde é abordado por Rita Vrataski, a famosa "Pantera Blindada".
   Será ela a chave para a salvação?
   Será que existe uma esperança para a Humanidade?"

   Boas leitores!
   De forma surpreendente, a opinião do próximo mangá não é nem de Bakuman nem de Soul Eater. E eu sei, vocês devem pensar "acaba as colecções que tens antes de te meteres em mais!". Mas esta é composta apenas por 2 volumes, ou seja, já estou a metade! (E o último volume já está em minha posse e em breve lerei.)
   E podem também perguntar-se, em português? Sim, não só pelo facto de ser muito difícil encontrar estes dois volumes em inglês, como eram apenas dois decidi investir no negócio que está a crescer a pouco e pouco da tradução de mangás, pela mesma editora deste volume, a Devir. Só não faço o mesmo para outras sagas por serem demasiado grandes. Aliás, prefiro a escrita dos mangás em inglês, não sei ainda muito bem porquê.
   Mas chega de dispersar, falemos então desta história. Vale a pena lê-la? Não? Não sei se já viram o filme "Edge of Tomorrow" que foi baseado nesta história. Pois bem se viram, então informo que não tem quase nada a ver! Acho que está muito melhor o mangá, a história faz mais sentido e não está tão "americanizada" do género "sou um idiota que faz porcaria mas que terei de salvar o mundo". O mangá não é tão comercial como o filme e isso ajuda.
   Não só o enredo está interessante, com uma certa loucura associada, como também as personagens estão bem desenvolvidas, quer dizer o protagonista, visto que não há muito mais personagens que sejam desenvolvidas. Espero que isso seja resolvido no próximo volume, como acho que será. O desenho também está muito bom, não só a parte diária como também as batalhas e os destroços daquilo que sobra. Só não achei muito bom os alienígenas em si. Poderiam ter um pouco mais de assustador e não serem assim tão... simples.
   É um bom volume de mangá, se gostam de acção, então é uma boa oportunidade para vocês, aliás só tem 2 volumes por isso só têm de suportar isso se não gostarem.
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Laços de Sangue - Charlaine Harris

   "Uma grande mudança social está a afectar toda a humanidade. Os vampiros acabaram de ser reconhecidos como cidadãos. Após a criação em laboratório, de um sangue sintético comercializável e inofensivo, eles deixaram de ter que se alimentar de sangue humano. Mas o novo direito de cidadania traz muitas outras mudanças...
   Depois do desastre natural do furacão Katrina e do horror criado pelo homem da explosão na cimeira de Vampiros, Sookie Stackhouse vive segura mas atordoada, ansiando que as coisas voltem ao normal. Mas o seu namorado, Quinn, é um dos desaparecidos. E as coisas mudam, quer isso agrade ou não aos lobisomens e aos vampiros do seu canto do Louisiana. Nas batalhas que se seguem, Sookie enfrenta perigo, morte... e, mais uma vez, a traição de alguém que ama. Mesmo que deixe de haver pêlo de lobo no ar e mesmo que o sangue frio dos vampiros deixe de jorrar, o seu mundo não voltará a ser o mesmo..."

   Boas leitores!
   Vamos lá ver, desta vez só se passaram 3 meses até ler o volume seguinte desta saga! Este é o oitavo volume de treze, cada vez mais próximo do fim!
   Não posso esperar muito de obras como esta, no entanto fico sempre com esperança que melhore um bocadinho. Mas continuam a ser sempre mais do mesmo. Uma personagem feminina apaixonada por inúmeros personagens masculinos, sem saber realmente de quem gosta. Passa por imensas dificuldades mas acaba sempre bem à última da hora. Conclusão não há grande profundidade na história.
   Se começarmos pela personagem principal vemos que não há mais do que pensamentos superficiais a passar pela sua cabeça, não pensa em muito mais. Por um lado, é suposto ser uma pessoa do dia a dia, mas eu tenho ainda alguma esperança que nem toda a gente seja assim no seu dia a dia. Quanto às personagens que passam pela história, não há desenvolvimento algum, aparecem, dizem algumas coisas e desaparecem até a autora precisar novamente deles.
   Pelo menos houve mais acção nesta obra. Apesar de não ser uma acção prolongada, foram dois encontros meio batalha de rua meio guerrilha medieval que passaram-se rapidamente. Se calhar a autora beneficiaria mais de uma única batalha que durasse mais páginas e fosse mais bem construída. Talvez isso aconteça no futuro com a batalha que promete há muito.
   O enredo tem mais alguns mistérios e outros a serem resolvidos, no entanto não se pode dizer que haja um grande enredo neste volume em especial. É só uma obra onde acontecem várias coisas que contribuem para vários pequenos enredos.
   A sorte é ser um livro pequeno sem uma escrita complexa. Lê-se rapidamente, então para quem está de férias é ainda mais rápido. Caso queiram saber mais da saga, basta seguirem o link: Crítica - Sangue Felino.
   Boas Leituras... ;)
4/10

André

domingo, 26 de junho de 2016

The Well of Ascencion - Brandon Sanderson

   "Evil has been defeated... The war has just begun.
   They did the impossible, deposing the godlike being whose brutal rule had lasted a thousand years. Now Vin, the street urchin who has grown into the most powerful Mistborn in the land, and Elend Venture, the idealistic young nobleman who loves her, must build a healthy new society in the ashes of an empire.
   They had barely begun when three separate armies attack. As the siege tightens, an ancient legend seems to offer a glimmer of hope. But even if it really exists, no one knows where to find the Well of Ascencion, or what manner of power it bestows.
   It may be that killing the Lord Ruler was the easy part..."

   Hello readers!
   Já tinha saudades de ler esta saga! Grandes obras deste autor. Para quem não sabe, esta é a saga Mistborn do qual este é o segundo volume do que era uma trilogia e entretanto ganhou uma segunda saga de 4 volumes posteriores à história principal. Até agora a trilogia principal já está publicada em Portugal, são 4 volumes, com o último livro a ser dividido em dois.
   Vamos lá analisar esta obra... Assim de forma geral não está tão boa como o primeiro volume. Não sei qual é a maldição dos segundos livros mas têm sempre uma tendência a diminuir de qualidade. Neste caso não foi a escrita do autor que diminuiu de qualidade, essa mantém-se muito boa, capaz de acorrentar o leitor até à exaustão, e fazendo-o sonhar com as magias deste mundo.
   O que falta nesta obra é decididamente uma atmosfera mais sombria como o primeiro volume tinha. Este foi muito mais dedicado à estratégia e política, sem grandes intrigas. E apesar de haver alguns capítulos com personagens apreciadas a viajarem dum lado para o outro, nomeadamente para sítios obscuros, o foco principal que era a capital parecia demasiado monótono, apesar de haver um cerco e exércitos como diz a sinopse. Aliás as partes que mais aceleraram o meu coração foram mesmo aquelas que se passaram fora da capital, a ansiedade foi imensa nessas partes com as descrições a combinarem de forma excelente.
   Uma característica deste autor é o romance da protagonista, que apesar de não ser aquele romance lamechas, quase nem parece romance ao mesmo tempo. No entanto acho que neste volume foi um tanto ou quanto exagerado, houve imensas partes onde dava por mim exasperado para ver se conseguia passar isso e chegar a partes mais emocionantes. Este é o único ponto que espero que seja melhor no próximo volume.
   Apesar disso o resto conseguiu compensar, com um fim bom e ao mesmo tempo um pouco "meh". Mas cria expectativa suficiente para que tenha vontade de ir já ler o terceiro volume e saber o que se passará. Entretanto como não é possível, quem quiser pode ficar com a opinião do primeiro volume e talvez sejam convencidos a lerem! Crítica - The Final Empire
   Boas Leituras... ;)
7.5/10

André

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Booking Through Thursday - Notas Marginais

   Escreves nos teus livros? Realças com marcadores? Em todos os livros ou só em coisas como livros escolares?

   André: Só em livros escolares, claro. Nesses tenho de ter maior atenção a pormenores, e tenho de verificar certas partes mais frequentemente, logo será mais fácil se conseguir perceber logo onde estão. Mas não há essa necessidade em livros normais... Marcar alguma parte dum livro assim ia spoilar-me se voltasse a lê-lo, porque saberia que estava algo importante ali.

sábado, 11 de junho de 2016

O Anjo Negro - Paul Hoffman

   "Thomas Cale anda a fugir da verdade. Desde que descobriu que o seu brutal treino militar tinha um objectivo - destruir o maior erro de Deus, a própria Humanidade - Cale é perseguido pelo mesmo homem que fez dele o Anjo da Morte: o papa Redentor Bosco.
   Cale é um paradoxo: arrogante e inocente, generoso e desapiedado, temido e venerado por aqueles que o criaram, ele já deu inúmeras provas do seu enorme poder.
   Mas agora Thomas Cale está fraco. A sua alma está a morrer. Enquanto as convulsões lhe percorrem o corpo, sabe que o julgamento final não esperará por um rapaz doente. À medida que o Dia do Júizo se aproxima, a vingança de Cale leva-o ao coração das trevas - o Santuário - onde confrontará a pessoa que mais odeia no mundo. Por fim, Cale terá de admitir que é a encarnação da Ira de Deus e decidir se se erguerá contra o Santuário dos Redentores ou se usará as suas capacidades únicas para destruir todas as coisas.
   O destino da Humanidade depende da decisão de Cale."

   Boas Leitores!
   Aqui está o final de outra trilogia, a trilogia O Braço Esquerdo de Deus com todos os seus livros publicados em português!
   Várias coisas a falar, comecemos então pela escrita. É um pouco bipolar para o leitor, há vezes em que achei a escrita simplesmente genial e de tal forma boa que conseguia agarrar-me facilmente, mas depois havia partes em que parecia uma tortura ler. E o pior é que não consegui entender o porquê disto acontecer. Havia alguns parágrafos grandes mas não aborrecidos o que até era bom, mas depois alguma coisa lá era má.
   Outro pequeno ajuste que faria nesta história, e possivelmente na trilogia toda seria a inclusão de um mapa. É de uma confusão imensa haver nomes de países europeus e depois lugares americanos tudo parecendo estar nas proximidades uns dos outros. E no final do livro isto é explicado, mas para quem desiste a meio da colecção, talvez este tipo de pormenores ajudasse a manter os fans.
   E falando em manter os fans outra alternativa que poderia haver seria o ensaio final do autor onde mostra o porquê de escrever esta trilogia ser colocada noutro lado que não o fim. De certa forma faz sentido ser no fim, os leitores chegando a essa parte e vendo a perspectiva do autor pensam "ah sim faz todo o sentido", mas para aqueles que não acabam porque acham que o livro é demasiado confuso, ter esse tipo de ensaios escrito antes talvez dê aquela curiosidade para continuar a ler.
   Quanto a personagens, para além do protagonista acho que há um bom desenvolvimento dos seus companheiros principais, apesar de ficarmos sem saber grande parte do tempo de alguns. Tal como o enredo é bom e surpreendente no final, justamente aquilo que o leitor quer para acabar uma trilogia em cheio.
   Caso estejam curiosos para saber se hão de ler ou não esta trilogia passem pela opinião dos livros anteriores: Crítica - As Quatro Últimas Coisas
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Booking Through Thursday - Quantidade

   Tens menos livros do que costumavas ter? Mais?
   Ou achas que a quantidade de livros na tua biblioteca mantém-se mais ou menos o mesmo de ano para ano?
   (E sim, audio-books e livros digitais TAMBÉM contam.)

   André: Tenho mais, todos os anos a minha biblioteca privada aumenta, só tenho pena que não seja exponencialmente. E aumenta principalmente nesta altura, visto que a Feira do Livro de Lisboa é uma boa altura para comprar livros bem mais baratos.

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Fragmento - Warren Fahy

   "Uma ilha inexplorada e uma descoberta capaz de reconfigurar o destino da humanidade.
   Quando a tripulação e elenco do reality show "Sealife" encontram a inexplorada ilha Henders, no Pacífico Sul, rapidamente percebem que não se trata da Lagoa Azul.
   Henders desenvolveu-se num total isolamento do resto do Mundo, densa e habitada pelas mais exóticas e inimagináveis espécies predadoras.
   Enquanto os cientistas a bordo do "Sealife" se deslumbram com as descobertas, os políticos decidem se a investigação em curso compensa o risco que as criaturas da ilha podem representar para a Humanidade.
   É então que, a horas de se concretizar a destruição total da ilha, é descoberta vida inteligente em Henders, diferente de tudo o que alguma vez foi visto na Terra."

   Boas pessoal!
   Livro isolado, sem qualquer continuação! Este é o primeiro aviso para quem pensar "nem vou ler porque não quero meter-me em mais uma colecção", podem ler à vontade que não vão aventurar-se em mais sagas.
   Acho que este é uma obra que as pessoas que de certa forma estejam ligadas à área de biologia, gostarão de ler. Não que o resto da população odeie esta obra, provavelmente acharão graça, mas não tanta quanto quem estuda biologia. Porquê? Devido a certos conceitos que aparecem, várias teorias (aliás, provavelmente neste aspecto quem não estuda biologia terá maior prazer em ler do que os biólogos que sentir-se-ão um pouco revoltados com o que se diz se não tiverem um espírito fantasioso) e mesmo ilustrações poderão ser pequenos pormenores que agradarão ao leitor.
   Quanto a enredo, não se poderá dizer a mesma coisa. Não é grande espingarda como se costuma dizer. Meio policial, meio mistério, não chega a ser um género inteiro. A história tem a sua piada mas não é por aí que o leitor achará a melhor obra de sempre. Acho que os elogios vão para a imaginação e originalidade do autor a criar um ecossistema inteiro e pesquisar para que façam sentido, pelo menos a maior parte das coisas.
   Não esperem grande coisa das personagens, até porque como são imensas não houve grande desenvolvimento de cada uma. Aliás o romance aparece nas últimas páginas e é só passado levemente, por isso se não esperam por um romance a sério, sempre podem pegar neste livro.
   É um livro curioso de se ler, e de ver a quantidade de ilustrações que tem, que merecem ser congratuladas.
   Boas leituras... :)
6.5/10

André