domingo, 20 de março de 2016

Bakuman vol.12 - Artist and Manga Artist - Tsugumi Ohba & Takeshi Obata

   "Is becoming a successful manga artist an achievable dream or just one big gamble?
   Average student Moritaka Mashiro enjoys drawing for fun. When his classmate and aspiring writer Akito Takagi discovers his talent, he begs Moritaka to team up with him as a manga-creating duo. But what exactly does it take to make it in the manga-publishing world?
   With their new series Perfect Crime Party doing well in Weekly Shonen Jump, Moritaka and Akito set their sights on beating their rivals in the magazine. But just as their dreams seem within reach, some surprising news will deal them an unexpected setback."

   Hello readers!
   E doze volumes já se passaram! Já só faltam oito para que esta colecção fique terminada!
   Há várias coisas a acontecerem neste volume. Nisso pelo menos não podemos dizer que é um mangá para encher chouriços, felizmente. Desde o avançar na história dos protagonistas até saber mais sobre outras personagens ou a criação de uma espécie de um arco dentro da história.
   A comédia é algo que não é muito abordada neste volume (uma vez mais). Houve algumas cenas, não com os protagonistas mas sim com outra personagem, que estão sempre associadas a um tema mais leve e engraçado, não totalmente comediante. Apesar disso, o volume não perdeu qualidade, o que lhe faltava em comédia tinha-o em seriedade e em assuntos mais sóbrios.
   O tal arco no meio da história contribuiu para o título desta obra e fala sobre um grande tema que é mantermo-nos fiéis a nós mesmos e aos nossos sonhos, e acabar por enfrentar quem mais gostamos para seguirmos isso.
   Mas nem tudo é bonito no mangá, a meio do volume criou-se uma situação que não achei completamente coerente entre os protagonistas. Acho que o que criou isso foi mais a necessidade dos autores de terem de continuar a história e não poderem pará-la do que propriamente fazer sentido para a história.
   Para compensar o final desta obra foi muito boa e serviu para espevitar por completo o leitor e fazê-lo ficar em expectativa, cheio de vontade de ler o próximo volume. Por isso espero bem que o próximo seja melhor que este! Pelo menos promete muita coisa, uma nova competição! Caso queiram ler a opinião sobre o volume anterior, basta clicarem aqui: Crítica - Bakuman vol.11 - Title and Character Design
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

quinta-feira, 17 de março de 2016

Sangue Felino - Charlaine Harris

   "Uma grande mudança social está a afectar toda a humanidade. Os vampiros acabaram de ser reconhecidos como cidadãos. Após a criação em laboratório, de um sangue sintético comercializável e inofensivo, eles deixaram de ter que se alimentar de sangue humano. Mas o novo direito de cidadania traz muitas outras mudanças...
   Traída pelo seu namorado vampiro de longa data, Sookie Stackhouse, empregada de bar do Louisiana, vê-se obrigada não apenas a lidar com um possível novo homem na sua vida (Quinn, um metamorfo muito atraente), mas também com uma cimeira de vampiros há muito agendada. Com o seu poder enfraquecido pelos estragos do furacão em Nova Orleães, a rainha dos vampiros locais encontra-se em posição vulnerável perante todos aqueles que anseiam roubar o seu poder. Sookie vê-se obrigada a decidir de que lado ficará. E a sua escolha poderá significar a diferença entre a sobrevivência e a catástrofe completa..."

   Boas leitores!
   Esta é outra daquelas colecções que só leio a cada dois anos ou assim. O sexto volume da saga Sangue Fresco foi lido em 2013, e quase três anos depois finalmente li o sétimo volume. Talvez daqui a uma década ou assim acabe a colecção que tem treze obras (pelo menos já passei metade).
   No livro anterior a minha opinião pela saga não era das melhores. E querem tentar advinhar? Continua a não ser grande espingarda. Agora pelo menos a sinopse fala realmente do que se passa no livro, isso é um ponto positivo para esta obra. Mas deve ser dos poucos.
   A escrita continua demasiado superficial e muitas vezes sem sentido. Não é tão má quanto a autora de As Cinquenta Sombras de Grey, mas não é claramente uma grande autora. A parte principal da obra, que é o romance, não está muito retratado, mas mais os conflitos amorosos quando se tem vários pretendentes, e consequentemente várias fontes de ciúmes.
   Quanto ao enredo em si, podia ser descrito em cerca de 100 páginas (das 280 que o livro tem), o que é que isto significa? Muita palha lá metida. Depois acaba de forma completamente insatisfatória, sem qualquer cliffhanger que faça o leitor querer mais e mais das obras. Não fossem os casos amorosos não resolvidos, pensaria que a obra estaria no seu fim com uma lição aprendida.
   As personagens nem vale a pena falar muito visto que há um constante aparecer e desaparecer de personagens que não criam qualquer ligação com o autor. A única constante é a protagonista, Sookie que continuamos muitas vezes sem perceber metade do que ela pensa, mesmo sendo uma narradora activa.
   Não é um grande livro, nem eu pensava que o fosse. A saga não está a ficar melhor, por isso acho que não esperarei nada dos próximos volumes, quando os ler (o que poderá ser só daqui a muitos anos). Caso queiram saber mais sobre os volumes anteriores, basta clicarem no seguinte link: Crítica - Traição de Sangue
   Boas Leituras... ;)
4/10

André

quinta-feira, 10 de março de 2016

Booking Through Thursday - Primaverar

   A Primavera está a chegar de forma incomummente rápida este ano (pelo menos aqui no Nordeste). Os teus hábitos de leitura mudam quando entramos nos meses mais quentes?

   André: Nem por isso, acho que os meus hábitos de leitura dependem da quantidade de trabalho e não da meteorologia em si. Talvez leia mais no verão mas por normalmente ter férias ou menos trabalho.

Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas - Vários Autores

   "Publicado pela primeira vez em 1915, durante a I Grande Guerra, o Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas foi durante trinta anos difundido a médicos de todo o mundo em folhas de carbono ou fotocópias. O trabalho do Dr. Lambshead inspirou génios clínicos de todo o mundo, e Portugal não foi excepção, encontrando no Dr. Anófeles Calamar Trindade e no seu Compêndio de Doenças Notáveis e Invulgares uma referência incontornável.
   Por ocasião da primeira edição portuguesa do Almanaque, foi o próprio Dr. Lambshead, agora com mais de cem anos de idade, que decidiu confiar a edição às mãos capazes, se bem que ainda jovens, do Dr. João Seixas. É a ele que coube a tarefa de reunir novas descobertas propostas por um formidável leque de eminentes especialistas médicos portuguqeses, seguindo na peugada do grande pioneiro clínico Dr. Anófeles Calamar Trindade. Pela primeira vez, as suas descobertas são apresentadas num volume único e insubstituível, onde se juntam ao trabalho de colegas norte-americanos e britânicos de grande reputação como o Dr. Alan Moore, Dr. Neil Gaiman, Dr. Jeff Vandermeer ou o Dr. China Miéville, entre muitos outros."

   Olá leitores!
   Espero que as vossas leituras estejam bem melhores e rápidas que as minhas. Ultimamente não tem sido das mais eficientes. E a culpa não é do livro, que até nem era mau de todo. Esta obra é um livro isolado, sem qualquer prequela ou sequela, nem faria sentido ter.
   Porquê? Porque esta obra é um compêndio em que cada autor escreveu sobre uma doença excêntrica ou desacreditada e inventou com isso um resumo da sua vida como doutor. Cada doença tinha normalmente associado uma história, sintomas e cura. Pode parecer uma obra um pouco simples, mas na minha opinião é preciso alguma imaginação para conseguir-se inventar doenças como algumas das descritas aqui.
   Fiquei ainda mais espantado e orgulhoso de certa forma quando percebi que gostava muito mais das doenças escritas pelos autores portugueses convidados do que muitas das doenças que autores mais famosos escreveram, apesar de uma das minhas preferidas ter sido a doença escrita pelo Dr. China Miéville.
   Como se não bastassem as doenças e os resumos de vida, há também uma secção só sobre as várias "edições" do almanaque, com doenças principais nessa edição que podem ou não já ter sido desacreditadas. As experiências de vários doutores com o Dr. Thackery e a forma como o conheceram foi também muito bem conseguido.
   Apesar disso, não considero esta obra uma grande obra-prima, foi uma ideia inteligente e engraçada, mas que não passa muito disso, não tem enredo, personagens (ou podemos considerar o Dr. Thackery como uma personagem transversal a toda a obra mas que não é muito desenvolvida, como poderia ter sido na minha opinião). Tem boas ilustrações ao longo de todo o livro, que às vezes retratam bem a doença em questão, outras são só um pouco ao lado ou aleatórias.
   É uma obra que podem ler e orgulhar-se principalmente dos autores de língua portuguesa que colaboraram com algumas das suas doenças. É também uma boa obra para fazer a imaginação trabalhar sempre que for precisa.
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

terça-feira, 1 de março de 2016

Despertada - P.C. Cast + Kristin Cast

   "A Casa da Noite aguarda-te. Um local cheio de perigos e segredos onde os jovens marcados têm dois destinos: ou se transformam em vampyros ou morrem destroçados.
   Exonerada pelo Alto Conselho dos Vampyros, Neferet jurou vingança contra Zoey Redbird e o domínio que exerce sobre Kalona é apenas um dos planos que pretende usar contra ela. Mas Zoey encontrou refúgio na Ilha de Skye e está a ser treinada pela rainha Sgiach para tomar o seu lugar. Haverá algo melhor do que a ideia de se tornar uma rainha? Porque desejaria voltar para Tulsa? Após a perda de Heath, Zoey nunca mais foi a mesma e a sua relação com o guerrerio Stark também poderá nunca voltar a ser igual...
   E conseguirão a vampyra Stevie Ray e Refaim continuar juntos? Este recusa ser usado contra ela, mas que escolha tem quando ninguém, nem mesmo Zoey, aprova a relação entre ambos? Irá Refaim trair o seu pai ou escolher o seu coração?"

   Olá leitores!
   Começamos o mês de Março com um retomar a uma saga que vai sendo colocada aqui no blogue de anos a anos, já fez dois anos e pouco desde o último volume. Se pensava na altura que seriam oito volumes, sendo este o 8º, estava completamente enganado. Esta saga tem 12 volumes, sendo que como já disse este é o oitavo, ou seja por este andar daqui a uma década acabarei a saga.
   Não que me importe muito porque sempre que volto a pegar nisto penso que realmente esta história perdeu todo o seu rumo. Era uma história interessante nos primeiros volumes, mas após a vinda de "Kalona" uma das personagens más da fita (que vão por mim, tenho a certeza que vai virar uma personagem boa num dos próximos livros) que o enredo foi por água abaixo.
   Os casos amorosos são previsíveis sobre o que vão fazer e como vão acabar. Então histórias de amor impossíveis são as mais cliché que há, sendo que não passaram nem 50 páginas e já imaginava o que aconteceria ao casal Stevie Ray/Refaim.
   Os pontos positivos passam pelo facto de ser um livro pequeníssimo (não chega às 250 páginas), e ser de uma leitura fácil, as autoras não se põem com grandes descrições ou leituras densas, até porque o público-alvo não tem esse interesse. Quanto a ser um livro pequeno, claramente serve para aumentar os lucros, visto que podiam perfeitamente ter metido o volume 9 neste porque a história deste não foi nada.
    Não existe muito mais a dizer, os leitores (mais leitoras de certeza) de idades mais jovens talvez tenham uma preferência maior por estes livros, mas mesmo eles acho que a certa altura se fartarão da história andar a rondar os mesmos problemas durante livros e livros. Caso queiram saber a opinião dos livros anteriores, basta clicarem no link seguinte: Crítica - Queimada
   Boas Leituras... ;)
3.5/10

André