segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Down Under - Bill Bryson

   "It is the driest, flattest, hottest, most desiccated, infertile and climatically aggressive of all the inhabited continents and still Australia teems with life – a large portion of it quite deadly. In fact, Australia has more things that can kill you in a very nasty way than anywhere else.
   Ignoring such dangers – and yet curiously obsessed by them – Bill Bryson journeyed to Australia and promptly fell in love with the country. And who can blame him? The people are cheerful, extrovert, quick-witted and unfailingly obliging: their cities are safe and clean and nearly always built on water; the food is excellent; the beer is cold and the sun nearly always shines. Life doesn’t get much better than this…"

   Hey readers!
   Aqui está uma surpresa de leitura que nem vocês nem eu suspeitávamos que iria aparecer aqui. Aconselhado por uma pessoa amiga, decidi lê-lo já que se tratava do país onde estou. Este é o mesmo autor de “Breve História de Quase Tudo” um livro excelente e bom para todos aqueles que alguma vez estiveram interessados em ciência.
   Este é mais para todos aqueles que sempre estiveram interessados na Austrália. Este livro tem um pouco de tudo, história, descrição dos melhores pontos turísticos ou só mesmo de várias cidades deste enorme país que também é um continente. Mas se pensam que será apenas um guia turístico para quem viaja, estão bem enganados. Para quem já leu outros livros do autor sabe bem que a sua escrita tem qualidade e é bastante divertida para se ler.
   Desde descrições das milhares maneiras de se morrer neste país, o autor coloca-nos na sua pele quando ele viajou por várias partes da Austrália e das experiências por que passou. É quase como se estivéssemos lá, e embora este livro tenha sido escrito já há mais de uma década, acho que parte das coisas que ele escreve são ainda actuais, o que é fantástico.
   Para além da parte de Aventura que este livro tem, tem também uma parte histórica, sendo que o autor vai a muitos museus, e pontos históricos, acaba por contar parte da história da Asutrália, de forma engraçada, o que é um ponto positivo, mesmo que às vezes algumas partes sejam um pouco maçudas, como aconteceu.
   De qualquer das formas é um livro pequeno, não chega às 400 páginas e que merece ser lido por quem vai visitar o país ou quem tenha muita curiosidade sobre o mesmo. Aconselho-o a essas pessoas!
   Boas Leituras… ;)
8/10

André

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Bakuman vol.15 - Encouragement and Feelings - Tsugumi Ohba & Takeshi Obata

   "Is becoming a successful manga artist an achievable dream or just one big gamble?
   Average student Moritaka Mashiro enjoys drawing for fun. When his classmate and aspiring writer Akito Takagi discovers his talent, he begs Moritaka to team up with him as a manga-creating duo. But what exactly does it take to make it in the manga-publishing world?
   With Nanamine’s manga struggling, he makes an interesting challenge to Moritaka and Akito. But will the duo accept and risk what they’ve worked so hard to achieve? And when the news media puts the spotlight on their series for the wrong reasons, how will it affect Akito?"

   Hey Readers!
   Aqui está mais uma opinião! Ainda por cima de mais um mangá que ainda há pouco tempo apareceu uma... Pois bem esta é do décimo quinto volume, composto por nove capítulos, da saga Bakuman que tem vinte volumes no total, pois é, parece que estamos a chegar à reta final, só mais cinco e depois finito!
   Este não foi dos melhores volumes da saga. Principalmente por estar outra vez a focar-se mais noutros assuntos que não o tema principal da história. Em mangás como Soul Eater que são compostos por vários arcos isolados uns dos outros entendemos a mudança de assunto, que, mesmo assim, continua a estar relacionado com o tema principal. Agora nesta saga só existe um arco principal e depois várias side-stories que devem acompanhar o arco principal. Mais de metade deste volume acompanha essas histórias paralelas, ou seja, a história que o leitor quer realmente ver não está quase representada aqui. Imagino quando este mangá saia nas revistas, durante imensos capítulos os leitores não avançaram nada no enredo, que frustração!
   Por outro lado esta história paralela está bem feita e consegue captar bem algumas emoções para o leitor, nomeadamente, ansiedade e medo. A expectativa do que pode acontecer está presente durante grande parte dos capítulos, pena que não seja no arco principal. O desenvolvimento das duas personagens que falei no volume anterior continuam bem feitas, quer a nova, quer a antiga, o que dá alguns pontos positivos aos autores desta saga.
   Quando por fim temos um gosto da história que nos interessa, parece que soube a pouco (talvez por ser mesmo pouco), mas o que temos tem alguma qualidade e acaba de tal forma que tanto pode ser o fim daquela parte da história, ou pode continuar e dar azo a novos caminhos que darão maior complexidade ao enredo. De qualquer das formas será nos próximos volumes que entraremos na reta final, e com ela as surpresas constantes!
   Caso queiram saber mais sobre a saga e a opinião do volume anterior, sigam o link: Crítica - Bakuman vol.14 - Mind Games and Catch-Phrases
   Boas Leituras... ;)
6/10

André

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Booking Through Thursday - Recomendado

   Alguém aproxima-se de ti e diz: "Eu preciso de um livro realmente bom para ler - qualquer género. O que é que me recomendas?"

   Qual é o primeiro livro que vos vem à cabeça?

   André: Claro que recomendaria que lesse o meu blogue! Aí encontraria o melhor! Agora fora de brincadeiras, o primeiro livro que me vem à cabeça é O Nome do Vento excelente livro, com excelente continuação. Só é pena ainda não estar acabada...

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Nas Trevas da Noite - Deborah Harkness

   "No primeiro volume desta trilogia Diana Bishop, uma historiadora de Oxford e última descente de uma linhagem de bruxas e Matthew Clairmont, um vampiro geneticista de 1500 anos de idade vão juntos desvendar os segredos de Ashmole 782 e impedir que esse poderoso manuscrito caia nas mãos erradas. 
   Agora, neste segundo tomo, Diana e Matthew viajam no tempo para a Londres de 1590, mas rapidamente se apercebem de que o passado pode não ser um lugar seguro. Matthew alia-se à Escola da Noite, um grupo radical de amigos e desregrados demónios, onde se encontram o dramaturgo Christopher Marlowe e o matemático Thomas Harriot e ao assumir as suas anteriores funções como espião de Isabel I, fica em contato com o submundo de uma Londres em ebulição e sedenta da caça às bruxas. Juntos, Matthew e Diana procuram nas velhas livrarias e nos laboratórios de alquimia o célebre Ashmole 782, sem o qual não poderão regressar ao tempo presente. 
   Diana descobre que os seus poderes são muito maiores do que imaginava mas precisa de uma bruxa que lhe ensine a acordar, desenvolver e controlar as suas forças de tecedeira, o que não é fácil para a fêmea de um vampiro!"


   Olá leitores!
   Após milhares de anos aqui estamos com uma nova opinião não é? Eu sei que já se passou imenso tempo… A ver se agora acelera!
   Que livro é este que estou a ler? Bem não sei se recordam, mas este livro pretence a uma trilogia, onde todos estão publicados em português, felizmente. O primeiro volume desta trilogia li-o já há 5 anos (vai fazer cinco anos daqui a quarto dias!), sim muito tempo. Agora devem-se passar o mesmo número de anos até ler o último volume.
   Por um lado esse tempo todo sem ler nada da história não foi problema algum para retomar  a leitura. Em poucas páginas os leitores conseguem apanhar o enredo de onde tinha parado no livro anterior e lembrar-se das personagens todas (ou grande parte delas, pelo menos). E nada deste relembrar é óbvio como um “foi assim que aconteceu antes”, a autora é subtil e faz o leitor perceber por si mesmo o que aconteceu, o que merece uns pontinhos.
   Agora quanto ao enredo é que os pontos começam a tremer. Por um lado, é um bom enredo com algumas reviravoltas, não muito chocantes, mas que animam a leitura. Mas para um livro com quase 700 páginas se passar todo na Inglaterra de 1600, parece-me que a autora quis uma obra quase histórica em vez de fantástica, porque foi num tom muito diferente da primeira obra. Podemos compreender que há viagens no tempo e por isso a autora pôde fazer isso, mas aí entramos noutro pormenor que é a rara alteração no presente que os protagonistas causam ao mudarem coisas no passado. A autora investiu numa visão muito simplista do que alterar o passado pode causar, o que tornou a história menos realista.
   No sector das personagens há uma certa dualidade, a personagem principal está bem caracterizada psicologicamente e observa-se alguma evolução nela. Já o seu parceiro (que é outra personagem principal nesta história) não tem o mesmo desenvolvimento e é bem mais aborrecido e repetitivo na sua forma de ser. Isto pode ser causado pela autora ser mulher e ter maior dificuldade nas personagens masculinas como o oposto acontece muitas vezes. Ou talvez não quis dar tanto ênfase a essa personagem.
   De qualquer das formas é um livro ligeiramente melhor que o anterior, apesar de ainda continuar a ter vários pontos negativos. Só resta esperar pelo final a ver se a autora consegue melhorar. Caso queiram saber mais sobre o livro anterior, basta seguirem o link: Crítica - A Noite de Todas as Almas
   Boas Leituras... ;)

6/10

André

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Soul Eater vol.15 - I Will Get Your Soul - Atsushi Ohkubo

   "Deep in the belly of Baba Yaga Castle, Maka, Soul, and Medusa prepare to face Arachne in her own chambers. Arachne has grown even stronger since their last meeting, and even the crafty Medusa is caught in her sister's twisted web. As Arachne's intense madness threatens everyone in and around the castle, Soul must perform a string concerto that will move his audience to their very souls...or be caught in the witch's net himself!"


   Olá leitores!
   Eu sei, há imenso tempo que não havia notícias por aqui sem ser BTT… Esperemos que agora isto volte a ficar como deve de ser! Comecemos então esta onda com a opinião de mais um volume de Soul Eater!
   Este é o décimo quinto volume de vinte e cinco (só mais dez, já começo a sentir falta!) todos publicados em inglês, pena esta não ser uma das sagas publicadas pela Devir.

   E foi neste volume que finalmente acabou o arco que já durava a alguns volumes. Não que estivesse farto do arco, mas agora chegou ao clímax foi quando se pôde aproveitar mais. A batalha final, juntamente com os plot-twists correctos conseguiram dar uma boa pontuação a este volume.
   Para além do final do arco, que conta 3 capítulos dos cinco que existem neste volume, os dois capítulos seguintes formam uma espécie de transporte para outro arco, onde se vê ainda alguns rescaldos do que aconteceu antes, mas já se está a avançar para outra aventura, com a introdução de vários mistérios.
   Como este volume foi dedicado a muita luta, não houve espaço para o fanservice (não que isso não tivesse impedido o autor antes) o que é um ponto positivo também.
   Acho que um dos pontos negativos aqui foi a falta de visibilidade de algumas personagens. Não se viu nada sobre Chrona, uma das personagens que seria interessante ver onde estaria no meio de tudo o que se passava. Talvez isso seja explicado em volumes mais para a frente.
   Caso queiram saber mais sobre esta saga, podem seguir o link do volume anterior clicando aqui: Crítica - Soul Eater vol.14
   Boas Leituras... ;)
8/10

André