quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Booking Through Thursday - Agradecido

   O que é que na leitura faz sentir-te mais agradecido?

   André: Esta é definitivamente uma pergunta muito estranha. Nem sei bem como respondê-la. O que é que na leitura me faz sentir agradecido? Talvez o facto de poder descontrair e abstrair-me de tudo para entrar em mundos diferentes e complexos de mil outras maneiras. No entanto isto só ocorre se forem livros bons, caso contrário, o descontrair da leitura torna-se menor e acaba por ser desesperante (caso a escrita seja muito má).

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Soul Eater vol. 9 - Dukes Blaze, Soul Ignite - Atsushi Ohkubo

   "Crona's loyalties are torn as Medusa regroups and plots to beat both DWMA and her sister, Arachne, in the arms race for Eibon's demon tools. As the madness of the Kishin continues to spread, Maka, Black Star, and Kid begin even more rigorous training to master their weapons and work together as a team. Will they be ready to face Arachnophobia in time for their next mission? Or will internal strife tear them apart?!"

   Hello readers!
   Aqui estamos a meio da semana com uma nova opinião. Mais um mangá, o nono volume de Soul Eater.
   Aqui está um volume relativamente melhor ao anterior. Pela primeira vez (se a minha memória não me falha) apareceu um capítulo extra, mas atenção, não pensam que por isso tinha 6 ou 7 capítulos, manteve-se nos 5 capítulos, um deles bónus.
   E era um bónus genial, apesar de não contribuir nada para a história da saga (claro, se não, não seria chamado capítulo bónus) introduz uma personagem simbólica do anime, sim estou a falar de Excalibur. Uma das personagens mais engraçadas e idiotas, num bom sentido, que existe no anime.
   Quanto aos outros quatro capítulos de história, no geral acho que avançou bem tendo em conta que é mangá, e portanto os avanços nunca são muito grandes. As perguntas geradas pelo capítulo final é que me deixaram desejoso de poder ler o volume seguinte!
   Mais uma vez o fanservice foi para lá de óbvio, mas desta vez foi concentrado praticamente todo num capítulo, que foi o bónus. Ou seja apesar de ter havido este tipo de entretenimento para chamar outro tipo de público-alvo, não interrompeu o fluir da história central, foi num à parte e no contexto do capítulo até se suportou.
   E acho que finalmente houve desenvolvimento de personagens, não todas, porque isso também não esperava, mas pelo menos uma mão cheia delas deixou libertar alguns pormenores essenciais para entende-las. Talvez o factor da loucura que está a aumentar dê possibilidade ao autor para ligar os leitores às personagens que nem sempre são visivelmente fáceis de perceber.
   É um volume melhor do que o anterior sem dúvida, e portanto se leram o anterior, não desistam, ele melhora! Se quiserem ler a opinião do volume anterior, é seguirem este link: Opinião - Soul Eater vol.8 - A Heart Full of Motion, a Soul Full of Dignity
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

domingo, 22 de novembro de 2015

A Casa de Gaian - Anne Bishop

   "Começou com uma caça às bruxas, mas o plano do Inquisidor-Mor para eliminar todos os vestígios de poder feminino que há no mundo prevêem agora a aniquilação dos barões de Sylvalan que se lhe opõem... e a destruição do berço de toda a magia: a Serra da Mãe.
   Humanos e feiticeiras formam uma aliança difícil com os Fae para fazerem frente a esse inimigo terrível. No entanto, mesmo unidos, não têm força suficiente para resistirem aos exércitos mobilizados pela Inquisição. Procuram por isso o apoio do último aliado ao qual podem recorrer: a Casa de Gaian. As feiticeiras que vivem isoladas na Serra da Mãe têm poder suficiente para criarem um mundo... ou para o destruirem.
   O antigo lema das bruxas «Não fareis o mal» arrisca-se a ser esquecido por força de uma necessidade mais premente: a necessidade de sobreviverem."

   Boas leitores!
   Aqui está o final da trilogia Pilares do Mundo! Esta foi das trilogias mais rápidas que li. O tempo entre volumes não se estendeu eternamente como algumas das colecções que tenho (e ainda inacabadas).
   E ao que parece o último livro foi o melhor deles todos. Anne Bishop começou de forma pobre com o primeiro volume assemelhando-se muito a romances celtas do género Juliet Marillier, mas abaixo desta. Mas o segundo volume melhorou um pouco e agora este melhorou ainda mais.
   A história ganha profundidade, e com isso quero dizer complexidade, não só ao nível da acção mas também ao nível das personagens. Houve muitos momentos da minha leitura em que aconteceram coisas que não esperava, o que é um bom sinal.
   Uma qualidade desta autora é que consegue introduzir personagens num livro como este, que é o final da história, e mesmo assim desenvolvê-las até ao mesmo nível que outras personagens que vão desde o primeiro volume. Sem dúvida que a personagem que mais marca esta trilogia é Morag, e ainda mais neste livro, mas personagens novas como Selena não ficam atrás.
   Houve muitos pontos que tinham sido deixados em aberto no livro anterior e que foram devidamente fechados, com boas explicações. Já outros permaneceram na mesma, deixando o leitor um pouco curioso quanto a isso, desejando haver um mini-livro a explicar essas situações.
   Infelizmente o livro não é perfeito, e algo que tinha ficado curioso ao acabar o segundo volume da trilogia seria a parte bélica desta terceira obra. Pois bem, a parte bélica não foi praticamente desenvolvida, essa é a única parte que eu acho que Anne Bishop falha, poderia adicionar essa vertente e ter tornado este livro muito bom.
   É uma trilogia que sobe a sua pontuação gradualmente chegando a um bom lugar no fim, mas se querem lê-la terão de penar um pouco no início, por isso: Boa Sorte!!
   Boas Leituras... ;)
8/10

André

domingo, 15 de novembro de 2015

A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo - Stieg Larsson

   "Depois de uma longa estada no estrangeiro, Lisbeth Salander regressa à Suécia, cede o pequeno apartamento onde vivia à sua amiga Miriam Wu, e instala-se luxuosamente numa zona nobre da cidade. Pela primeira vez na vida é economicamente independente, mas cedo percebe que o dinheiro não é tudo: não tem amigos nem família e está só.
   Mikael Blomkvist, que tentara contactar Lisbeth Salander durante meses, sem sucesso, desiste e concentra-se no trabalho. À Millenium chegou material para uma notícia explosiva: o jornalista Dag Svensson e a sua companheira Mia Johansson entregam na editora dois documentos que provam o envolvimento de personalidades importantes numa rede de tráfico de mulheres para exploração sexual. Quando Dag e Mia são brutalmente assassinados, todos os indícios recolhidos no local do crime apontam um suspeito: Lisbeth Salander. O seu passado sombrio e pouco convencional não abona a favor da sua imagem e a polícia move-lhe uma implacável perseguição. Lisbeth Salander, que está disposta a romper de vez com o passado e a punir aqueles que a prejudicaram, tem agora de provar a sua inocência e só uma pessoa parece disposta a ajudá-la: Mikael Blomkvist que, apesar de todas as evidências, se recusa a acreditar na sua culpabilidade."

   Boas leitores...
   Já demorava a aparecer uma nova opinião por aqui, não é? Aqui está a opinião do segundo livro da famosa tetralogia (até à pouco tempo era apenas uma trilogia) Millenium, dos quais já estão todos os livros publicados em português.
   É um policial, com uma escrita bastante fluída sem ser demasiado simples. No entanto como policial acho que prolonga-se demasiado até que haja o "despoletar inicial". O que é isto? É normalmente o primeiro crime que põe as engrenagens da perseguição/investigação policial a correr. O autor faz bem o enquadramento e vai construindo o cenário ao longo da narrativa, mas torna-se demasiado extensa até que ocorra algo.
   Mas por outro lado, as surpresas que este género tende a dar (ou não quando se torna previsível) foram cumpridas nesta obra. Os plot-twists que se arranjam são bons e surpreendentes.
   O desenvolvimento de algumas personagens, nomeadamente da protagonista está bem feito, detalhado mas não aborrecido. O autor vai dando as informações de vez em quando como pequenas recompensas em vez de ser tudo em catadupa.
   Em relação ao primeiro livro acho que esteve um pouco melhor. Pelo menos o mistério prolongou-se ao longo do livro com diversas coisas a acontecer e não apenas pesquisa para descobrir o "mau da fita".
   O final teve apenas um ligeiro problema, havia algumas pontas soltas que ficaram sem ser resolvidas. Será que isto será explicado no próximo volume, ou será propositado? É que do primeiro para o segundo pareceu-me apenas que era outra "aventura" com as mesmas personagens e não propriamente a continuação, tanto que a ação deste ocorre um ano depois. Estou a ver que a resposta para essa pergunta seria ler o terceiro volume... Tenho de ver se o arranjo para saber mais sobre estas personagens.
   Se quiserem saber mais sobre o livro anterior, basta seguirem o link: Crítica - Os Homens que Odeiam as Mulheres
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Booking Through Thursday - Nostalgia

   Que livro (ou livros) da tua infância pensas mais frequentemente? Que afectaram mais a tua vida?

   André: Isso depende do que se está a considerar infância... Se for quando era mesmo muito jovem então seriam os livros da Disney em geral, penso muitas vezes neles. Se for no início da adolescência então aí passariam a dois: Eragon e o último livro de As Crónicas de Nárnia. Foram dois livros que gostei imenso e que penso muitas vezes, não só pela história (que na altura era fantástica para mim e um mundo completamente estupendo) como também pelo que na altura significavam (um mundo de sonhos e possibilidades).

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Booking Through Thursday - Danos

   Alguma vez danificaste um livro? Deixaste-o cair na banheira? Derramaste um frasco de tinta? Usaste-o para absorver vinho derramado? Ou apenas partiste a sua lombada ou contracapa (coitadinho).

   André: Nunca fiz nenhuma destas coisas (e ainda bem!!) a única coisa que por vezes acontece é deixá-los cair ao chão em casa. E o pior dano que aconteceu foi uma das prateleiras das minhas estantes cair (devido ao peso dos livros) e deixar os livros todos caírem ao chão.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Conspiração 365 - Vingança - Gabrielle Lord

   "Após 365 dias como fugitivo, Cal Ormond voltou finalmente para junto da família e dos amigos, e a vida parece correr-lhe bem. Contudo, certa noite, Cal recebe uma mensagem misteriosa: «30 dias». Será realmente um aviso ou uma mera partida? Terá o seu terrível passado voltado para o perseguir?
   Quando Cal desaparece subitamente, os seus amigos não sabem o que pensar. Terá decidido afastar-se devido à pressão dos paparazzi ou a verdade é mais sinistra? Irão encontrar Cal antes que seja tarde demais?
   O relógio não pára... Cada segundo pode ser o último...
   Uma aventura de cortar a respiração!"


   Boas Leitores!
   Aposto que por este livro não esperavam! Pois é, quem daqui pensava que a saga Conspiração 365 acabava em Dezembro? Eu! Mas ao que parece existem mais alguns volumes depois disso, sendo que este é o tal 13º e o único publicado posteriormente em Portugal, acho que os volumes que se seguem não se encontram à venda na nossa língua.
   Mas então que falar sobre esta obra? Achei que fosse um simples inventar mais uma "históriazita" para poder encher chouriços e vender mais uns quantos livros. Aliás era o que pensava que seria e o que se realizou. Baseado muito na saga original mudando apenas o intervalo de tempo em que ocorre o enredo a autora nem se deu ao trabalho de dar um novo inimigo ao protagonista.
   Mas sei claro que para o público-alvo destes livros, que é o público infanto-juvenil é um livro bom que vão gostar porque continua as histórias de Cal Ormond, o rapaz que sobreviveu um ano inteiro a perseguições e tem as suas surpresas (previsíveis ou não) nos momentos-chave. E tendo pormenores engraçados como haver uma contagem decrescente não só como título dos capítulos mas também as páginas começarem do 201 para a 0 faz com que as pessoas que lerem estas obras se interessem mais por elas.
   Tive pena de mesmo apesar desta obra parecer isolada de futuras continuações, houve pontas soltas que não foram explicadas nem concluídas. Talvez a autora conte fazê-lo num dos próximos volumes... Vamos lá ver se alguma vez os lerei.
   Caso queiram dar uma vista de olhos ao livro anterior a este, ou seja, o suposto último volume da saga, então basta clicarem no link seguinte: Crítica - Conspiração 365 - Dezembro
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Luz e Sombras - Anne Bishop

   "Desde o massacre das bruxas, os Fae, que deviam proteger as suas primas há muito esquecidas, ignoraram as necessidades do resto do mundo. Agora as sombras voltam a alastrar-se sobre as aldeias do oriente. Sombras negras e poderosas que ameaçam todas as feiticeiras, todas as mulheres e os próprios Fae. Apenas três pessoas podem fazer frente à loucura coletiva que se está a disseminar e impedir que mais sangue seja derramado: o Bardo, a Musa, e a Ceifeira.
   Aiden, o Bardo, sabe que o mundo está dependente da proteção dos Fae, mas estes recusam-se a escutar os seus avisos sobre o mal que se esconde nas florestas. Vê-se obrigado a partir com o amor da sua vida, Lyrra, a Musa, numa aventura arriscada em busca do único Fae capaz de fazer o seu povo despertar da indiferença. Se os Fae não agirem depressa, ninguém sobreviverá..."

   Boas Leitores!
   Finalmente li o segundo volume da trilogia Pilares do Mundo. E tenho o terceiro numa das minhas estantes à espera de ser lido, mas claro que vou dar uma pequena pausa antes de voltar a esta saga.
   Quanto à minha opinião sobre esta obra... Melhor do que a anterior, isso acho que sim, mas não se tornou uma obra esplêndida. O seu enredo continua meio previsível, meio sem sabor. Li as coisas mas sempre à espera que algo mais acontecesse que me fizesse despertar do torpor da leitura. Algo que me surpreendesse ao nível da trilogia mais famosa da autora. É o que dá ler algo bom e depois algo não tão bom da mesma autora. Esperamos sempre mais.
   Por outro lado houve o desenvolvimento de personagens diferentes, até porque desta vez as personagens principais não eram as mesmas que no primeiro livro. Tal como conhecer outra parte daquele mundo foi interessante, apesar de achar que por vezes o relato do narrador não correspondia muito bem ao mapa do inicio do livro, mas isso são pormenores.
   Tive alguma pena da autora não aumentar a complexidade dos Fae e colocar mais personagens assim com nomes e conotações greco-romanas. Só uma nova Fae foi apresentada com alguma relevância para a história. Isto torna o enredo um pouco simples e aborrecido (para além do que pode já ser para alguns dos leitores.
   O final do livro despertou-me a curiosidade para ver como é que a autora irá escrever uma parte que é mais bélica e que normalmente é mais descrita por autores masculinos. Tenho fé que ela conseguirá fazer um bom trabalho, só espero que não me desiluda e coloque apenas muito romance e enredo de tanga.
   Se quiserem saber sobre o primeiro volume basta seguirem este link: Crítica - Os Pilares do Mundo
   Boas Leituras... ;)
6/10

André