quinta-feira, 31 de julho de 2014

Booking Through Thursday - Preço

   Se eu pudesse dar um muito bom livro, novíssimo do teu autor favorito (vivo ou morto) AGORA MESMO, o que é que estarias disposto a fazer por isso?

   André:  Não sei a resposta a esta pergunta. Grandes colecções que li e achei brutais como Eragon ou Harry Potter os autores estão a escrever novos livros sobre o mesmo mundo e acho que estão a cometer um grande erro que é "dar continuação a algo que devia estar terminado". Quando termina, termina, não devemos remoer no mesmo assunto, provavelmente acabarão por tornar-se comerciais, mas irei ler na mesma. Por isso não sei mesmo o que poderia dar. Talvez muito, faria muita coisa, mas só na altura saberia onde iriam os meus limites.

O Perfume - Patrick Süskind

   "Esta estranha história passa-se no século XVIII e é fruto de um extraordinário trabalho de reconstituição histórica que consegue captar plenamente os ambientes da época tal como as mentalidades. O protagonista é um artesão especializado no ofício de perfumista, e essa arte constitui para ele - nascido no meio dos nauseabundos odores de um mercado de rua - uma alquímica busca do Absoluto. O perfume supremo será para ele uma forma de alcançar o Belo e, nessa demanda nada o detém, nem mesmo os crimes mais hediondos, que fazem dele um ser monstruoso aos nossos olhos. Jean-Baptiste Grenouille possui no entanto uma incorrupta pureza que exerce um forte fascínio sobre o leitor. O Perfume, publicado em 1985, de um autor então quase desconhecido, foi considerado um dos mais importantes romances da década e nunca mais deixou de ser reeditado desde então, totalizando os 4 milhões de exemplares vendi dos, só na Alemanha, e 15 milhões em países estrangeiros. Foi traduzido em 42 línguas. Este fenómeno transformou-o num dos mais importantes livros de culto de sempre. Em 2006, O Perfume passa a ser uma longa-metragem inspirada no romance de Patrick Süskind."

   Boas leitores...
   Agora de férias já começam a aparecer as críticas dos livros que tenho lido. Este comecei mesmo antes de ir para férias e foi uma leitura genial. É um livro solto que me foi aconselhado e que ainda bem que o fizeram!
   Tudo começou pela escrita diferente, com uma extrema importância para a vertente odorífera que estranhei ao início, a quantidade de descrição dos cheiros era algo estranho e que não estava habituado, mas tudo fazia sentido considerando o nome do livro e o fio por onde a história segue.
   E que história! Inicialmente não entendi o porquê do subtítulo do livro "A História de um Assassino" mas foi uma explosão de pensamentos enquanto lia a obra e ia desvendando cada vez mais pormenores. Até que atingiu o climáx desejado no final e tem um fim excelente.
   O crescimento da personagem e de tudo o que a rodeia está muito bem delineado, não há perdas de personalidade para que o leitor fique a questionar-se o porquê de repentina mudança.
   O único ponto não muito a favor do livro, mas que também não me incomodou por aí além era o tamanho dos parágrafos, por vezes passavam de uma página e isso parecendo que não acaba por cansar o leitor ao fim de muitas páginas, ou até mesmo de perder o fio à meada a certa altura.
   De resto é um livro que aconselho vivamente a lerem, tal como fizeram comigo! Nunca esperei que fosse ter uma surpresa tão agradável como esta. Wook
Se quiserem comprá-lo podem aproveitar e fazê-lo por este link:
   Boa Leitura... ;)
9,5/10

André

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Booking Through Thursday - Cartas

   Tipo diferente de leitura... O que é que pensas sobre cartas? Ainda envias cartas a alguém? Ou recebes? Ou apenas envias e-mail's e mensagens? Sentes falta dos dias quando as pessoas costumavam escrever cartas?

   André: Eu sempre achei as cartas algo muito giro, original e romântico. Principalmente se forem depois seladas com cera e lacre, dá aquele ar de místico e antigo. Infelizmente não envio cartas a ninguém, e nem as recebo, mas gostava imenso de ter alguém a quem escrever assim.

sábado, 19 de julho de 2014

A Canção da Ninfa - Holly Black & Tony DiTerlizzi

   "Julgas que aqui a vida é só divertimento e sol? Vê bem! Isto até era bastante bom antes de me terem arranjado esta meia-irmã sem jeito e pateta. E não veio sozinha. Trouxe aquele livro enorme e estúpido sobre criaturas fantásticas. Ela garantiu que existiam mesmo, mas achas que eu acreditei? Não. Disse-lhe que era uma fraude. Meu! Estava enganado. Agora há criaturas fantásticas por todo o lado! POR TODO O LADO!
    E NÃO se vão embora se não as ajudarmos!
    AZAR!"

   Boas Leitores...
   Antes de ir de férias, e deixar o blogue um pouco desabitado por uma semana e meia, coloco aqui uma nova crítica e a promessa de mais críticas quando voltar. Agora temos um livro de uma colecção supostamente de três livros, denominada As Novas Crónicas de Spiderwick e porquê "As Novas"? Porque já devem ter concerteza ouvido falar das Crónicas de Spiderwick, esta é uma colecção depois dessa saga. Apesar de já a ter lido não coloquei aqui as críticas, mas quando voltar, dedicar-me-ei a fazer isso.
   Quanto a este livro, é de certa forma engraçado, mas acho que falta o mistério que a saga anterior tinha, acho que este tornou-se de certa forma um pouco comercial demais. Por um lado é certo que não esperava que houvessem mortes, mas houve. Mas as personagens pareciam-me superficiais de mais sem grande personalidade e sem várias razões pelos seus actos.
   Achei o pormenor de aparecerem personagens dos livros da saga anterior nesta nova saga, e de terem aparecido também os autores dos livros no próprio livro, foi engraçado de certa forma. As inúmeras ilustrações ajudam a criar uma imagem mental do cenário do livro, para além de darem uma rapidez à leitura que de outra forma não seria possível.
   Não sei se aconselho a lerem, por vezes mais vale manter a imagem que temos duma história e não estar a estragá-la com coisas novas. Se quiserem comprar o livro podem fazê-lo por aqui: Wook
   Boas Leituras... (E boas férias para todos!)
5,5/10

André

A Cidade dos Ratos - Emily Rodda

   "Lief, Barda e Jasmim têm a missão de encontrar as sete pedras preciosas perdidas do Cinto Mágico de Deltora - a única esperança que lhes resta para derrubarem o sinistro Senhor das Trevas, que há muito invadiu o reino.
   Nas Florestas do Silêncio apoderaram-se do topázio dourado e no Lago das Lágrimas conquistaram o grande rubi. Ambas as gemas já manifestaram possuir misteriosos poderes, que os revigoraram e encorajaram a continuar a sua demanda. Mas nem com o auxílio das pedras os três amigos poderão prever aquilo que os aguarda na lendária Cidade dos Ratos."

   Boas leitores...
   Um pouquinho de tempo que demorei a mais neste livro, mas já está lido. É o terceiro de oito da colecção A Saga de Deltora, dos quais só sete estão publicados em Portugal, não sei se o oitavo chegará a ser publicado.
   Mas falemos desta obra, que achei genial no enredo secundário que teve. O enredo principal continua sem grandes alterações, mas o que se gerou neste livro, sobre uma cidade denominada Narrates e os seus habitantes foi simplesmente de génio.
   Não digo isto pela complexidade da sociedade ou pelas intrigas que haja, mas um simples pormenor de leitura explica toda a história da sociedade, tal como o comportamento dos seus habitantes. Felizmente tenho por hábito ler nomes esquisitos que encontro em livros em voz alta, e isso alertou-me logo para o que se passava, se não, só no final do livro viria a descobrir.
   Face a este pormenor tudo o resto torna-se um pouco aborrecido, principalmente o final que foi suprimido a 10, 20 páginas, algo que deveria ter sido mais prolongado visto que se trata do enredo principal. As personagens continuam iguais, pelo menos estão coerentes.
   Este foi até agora o melhor da colecção, mas ainda me faltam muitos para ler por isso não posso tirar conclusões definitivas já. Se quiserem saber mais desta colecção basta seguirem o link para a crítica do livro anterior: Crítica - O Lago das Lágrimas
   Para poderem comprar este livro, se quiserem, podem fazê-lo por este link para ajudarem também o blogue: Wook
   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Booking Through Thursday - Tempo de Verão

   Os teus hábitos de leitura mudam no verão?

   André: Por acaso até mudam, mas não no mau sentido, no verão como tenho mais tempo livre leio muito mais do que no inverno, onde os estudos e outros assuntos impedem-me de ler.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

O Lago das Lágrimas - Emily Rodda

   "Lief, Barda e a sua nova e rebelde companheira Jasmim têm a arriscada missão de encontrar as sete pedras preciosas que foram roubadas do Cinto Mágico de Deltora. Já conseguiram recuperar o topázio dourado, mas só quando todas as pedras forem restituídas ao Cinto é que poderão libertar o Reino de Deltora do poder maligno do Senhor das Trevas.
   A fim de encontrarem a segunda pedra, os três heróis são obrigados a percorrer o território dominado pela feiticeira Thaegan. Será uma viagem recheada de traições, armadilhas e perigos - e se chegarem ao fim terão de enfrentar o temível guardião do Lago das Lágrimas."

   Boas Leitores...
   Aqui estou com o segundo de oito livros da colecção A Saga de Deltora dos quais sete estão publicados em Portugal e não sei se o oitavo será ou não editado.
   Continuamos então a história dos heróis, desta vez partem para um local diferente onde têm muito mais aventuras. Como história infanto-juvenil está boa, tem uma ponte que liga os dois livros suave, as personagens são apreciáveis e tem o seu quê de divertimento e mistério que este tipo de livros deve ter.
   Lembro-me de quando era pequeno e lia este tipo de histórias adorar ver como é que as personagens se safavam de enigmas ou mistérios e ao ver isso a acontecer neste livro faz-me recordar esses tempos, por isso acho que as crianças e os jovens gostariam deste livro.
   O final foi até inesperado para mim, não julgava nada que iria ficar assim. E outra coisa que não pensava que fosse ser assim foram as descrições, houve algumas que estavam muito boas, no sentido de não serem imensamente grandes mas conseguirem dizer o essencial e causar as sensações certas no leitor.
   Houve só um pequeno pormenor que não chegou a ser explicado neste livro, mas que sei que acabou por entrar no livro seguinte, portanto quanto a isso não há muito a apontar. Se quiserem saber mais sobre o livro anterior basta seguirem o link: Crítica - As Florestas do Silêncio
   Podem comprar o livro se vos apetecer através deste site: Wook
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

terça-feira, 15 de julho de 2014

As Florestas do Silêncio - Emily Rodda

   "O Reino de Deltora encontra-se ameaçado. O maléfico Senhor das Trevas planeia invadi-lo e escravizar o seu povo. O único obstáculo que o detém é o Cinto Mágico de Deltora, constituído por sete grandes pedras preciosas, cada qual com misteriosos poderes. Mas agora as pedras foram roubadas e escondidas onde ninguém se atreverá a procurá-las - e, sem o Cinto, Deltora cai inevitavelmente nas mãos do inimigo.
   Anos depois, a missão de recuperar as pedras e derrubar o tirano cabe a Lief e Barda, dois companheiros que aparentemente pouco têm em comum. Com apenas um mapa desenhado à mão para guiá-los, ambos avançam determinados em direcção ao seu primeiro destino: as tenebrosas Florestas do Silêncio."

   Boas Leitores...
   Nova colecção a ser iniciada, mais uma para se juntar às dezenas de colecções para acabar que tenho. Desta vez é a Saga de Deltora constituída por oito pequenos livros infanto-juvenis, todos publicados em português excepto o último.
   Como livro infanto-juvenil acho que está muito bom, tem uma boa base para a história que promete espicaçar a curiosidade do leitor conforme se vai avançando nos livros e para além disso tem uma coerência de acontecimentos e explicações que muitos livros que leio desejavam ter. Por vezes o facto das personagens darem explicações sobre coisas que não tinhamos pensado ajuda o leitor a questionar-se sobre esse tipo de coisas nos outros livros.
   Quanto a personagens, não há muito a dizer pois metade do livro foi com umas personagens e a outra metade com outra, talvez nos próximos volumes consiga falar mais sobre esse assunto.
   Um pormenor engraçado foi as pequenas ilustrações que estão ao longo do livro, para mostrar melhor certas partes da história, como este é um livro para jovens ter pequenas imagens ajuda a estimular a sua leitura.
   É um livro que podem oferecer a alguém novo se não sabem o que dar, ou podem vocês mesmos ler! Se quiserem comprar o livro podem fazê-lo por este link: Wook
   Boas Leituras... ;)
7/10

André

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Bakuman Vol.1 - Dreams and Reality - Tsugumi Ohba & Takeshi Obata

   "Is becoming a successful manga artist an achievable dream or just one big gamble?
   Average student Moritaka Mashiro enjoys drawing for fun. When his classmate and aspiring writer Akito Takagi discovers his talent, he begs Moritaka to team up with him as a manga-creating duo. But what exactly does it take to make it in the manga-publishing world?
   Moritaka is hesitant to seriously consider Akito's proposal because he knows how difficult reaching the professional level can be. Still, encouragement from persistent Akito and motivation from his crush push Moritaka to test his limits."

   Hello readers!
   Nova colecção de mangá por estas bandas. Um pouco diferente do último, e esperemos que um pouco melhor também. Bakuman é dos mesmos autores que Death Note e tem cerca de 20 volumes, vai ser uma longa jornada.
   O início da história agarra bem os leitores, tem a sua quota-parte de entusiasmo, romance e realidade. Apesar deste volume ter 7 capítulos (Death Note normalmente tinha mais) conseguiu desenvolver bem até aqui e fazer com que o leitor fique curioso para o próximo volume.
   A arte também está muito boa, princupalmente por não ser tão séria, mas ter as suas piadas de vez em quando e as expressões das personagens serem mais versáteis.
   Tenho ainda de referir que achei uma ideia genial a história basear-se no "qual é o processo para se ser um criador de mangás?" que deve ser uma grande curiosidade para muitos. Além disso no final de cada capítulo há um pequeno pormenor que achei muito importante: eles têm o "rascunho" de uma das páginas do capítulo antes de ser publicado, para mostrar como realmente as coisas são feitas. São pequenos pormenores destes que fazem uma grande obra.
   Ficarei à espera para saber mais desta colecção, nomeadamente das personagens que parecem-me bastante boas. Se quiserem comprar este volume podem fazê-lo por este site: Wook
   Boas Leituras... ;)
8/10

André

domingo, 13 de julho de 2014

O Deus dos Elders - Wolfgang & Heike Hohlbein

   "É a hora mais sombria na história do vale esquecido: os homens-animais vão ser exterminados. Anders tenta de novo trazer um futuro mais risonho para o vale e os seus habitantes. Mas quando tropeça no segredo mais tenazmente mantido da Terra Escura fica em perigo de vida. Agora, apenas uma única pessoa pode salvar Anders e Katt: o seu mais encarniçado inimigo..."

   Boas leitores...
   Aqui está finalmente a última crítica desta colecção de quatro volumes. Agora vai voltar a haver variedade de livros. A próxima crítica é inclusive de um mangá.
   Mas falando agora no livro, que apesar de ter quase 500 páginas, bastava ler as 100 páginas iniciais e as 150 páginas finais e entendia-se tão bem o livro como se lesse tudo, o que é uma pena.
   Não que a escrita seja má, não o é, mas acho que a história chegou a um ponto que começou a "encher chouriços" de tal forma que perdia toda a vontade de o ler.
   Quanto ao final do livro e da tetralogia, está aceitável, apesar de um pouco triste ter sido tudo explicado e terminado em 20 páginas se tanto, eu prefiro quando os pormenores vão sendo revelados invés de ser tudo dito de supetão como comida mastigada. Mas não posso reclamar e dizer que era mau, porque até se tornou aceitável e ao menos foi tudo explicado, MAS foi feito de uma forma muito esquisita que não estava nada à espera que tomasse aquele rumo.
   Falando agora um pouco nas personagens, continuei a achar que a personagem principal era um pouco irreal ou imatura demais relativamente às outras personagens que parecia que tinham uma evolução. Também houve uma personagem específica (Jannik) que me pareceu que flipou de comportamento, deixou de ser quem era.
   Um pormenor que não falei nos outros livros mas que gosto imenso de ver é que as capas desta colecção completam-se quando estão todas juntas, e além disso as lombadas quando estão todas umas ao lado das outras formam a palavra "Anders", estes pequenos pormenores agradam-me imenso, ficam lindamente na estante.
   Caso queiram saber mais desta colecção e das críticas basta seguirem o link: Crítica - O Trono de Tiernan
   Boas leituras... ;)
6,5/10

André

domingo, 6 de julho de 2014

O Trono de Tiernan - Wolfgang & Heike Hohlbein

   "Mal Anders regressa ao castelo da Porta Fortificada de Tiernan, a cidade branca dos Elder é atacada por um exército que parece saído de um pesadelo: um impressionante exército de gigantes, trolls e gnomos, liderados por um sinistro cavaleiro montado num unicórnio negro. Os Elder, os homens e os porcos guerreiros defendem-se encarniçadamente perante a superioridade numérica dos seus inimigos. A batalha por Tiernan parece perdida..."

   Boas leitores...
   Já lá vamos no terceiro de quatro volumes da saga Anders. Está quase a terminar e depois voltamos a ter alguma diversidade de livros outra vez.
   Neste livro estava a começar tudo muito bem e até interessante quando... Os próprios autores spoilam os leitores à força toda sobre o que vai acontecer não só nesse livro bem como o que vai acontecer no final da história. E não estou a falar duma profecia obscura enigmática, não. Eles dizem com as palavras todas o que vai acontecer mais à frente, como narradores. Escusado será dizer que achei muito estúpido.
   Por outro lado os autores conseguiram prolongar uma batalha para lá de mais de 150 páginas, o que achei surpreendente considerando que não achava que houvesse tanta coisa para contar. Achei interessante essa parte, estava bem construída e escrita.
   Quanto às personagens, tenho a admitir que estou a desenvolver uma forte irritação pela personagem principal, e não sei se isso é feito de propósito pelos autores, mas é que todas as acções e pensamentos dele são extremamente infantis e sem sentido. A sorte é que vai havendo um desenvolvimento das outras personagens que compensam esta falha.
   Este poderia ser bem melhor e ser o pico da colecção mas com as falhas que teve nem merece isso, ficando ao mesmo nível dos outros, e como estou a ver, de toda a colecção. Se quiserem comprar o livro, podem fazê-lo por aqui: Wook
   Para poderem saber sobre os livros anteriores sigam o próximo link: Crítica - Na Terra Escura
   Boas Leituras... ;)
6/10

André