segunda-feira, 30 de junho de 2014

Na Terra Escura - Wolfgang & Heike Hohlbein

   "Juntamente com a rapariga-gato Katt, Anders tenta sair do vale esquecido. A sua fuga termina diante de uma misteriosa muralha no meio da planície gelada. Ali caem nas mãos do Elder Culain, que os conduz através da Planície da Morte até à cidade dos Elder, a lendária Tiernan. Mas em breve, Anders apercebe-se que a cidade de contos de fadas das montanhas não é nada do que parece.
   Desesperado, congemina planos de fuga, mas os muros de Tiernan são intransponíveis..."

   Boas leitores...
   Estou aqui com o segundo volume da tetralogia Anders. Que começando logo pelo título, acho que não combina nada com o livro em si. O livro passa-se todo num sítio completamente diferente da do título, e aliás, poucas são as vezes em que a "Terra Escura" é mencionada no livro.
   Mas passando agora para a história, teve uma grande reviravolta logo no início do livro que leva o leitor a agarrar-se ao livro e ler para saber mais. E à medida que fui avançando pelo livro fui deparando-me cada vez mais com semelhanças a uma trilogia que li à relativamente pouco tempo chamada Os Guardiães dos Mortos de Ricardo Pinto, por haver sociedades controladoras de todas as sociedades menores e serem quase como deuses para eles.
   Por outro lado acho que a história começou a divergir do ponto central que era a saída de Anders daquele lugar e saber porque é que aquele lugar era desconhecido do mundo. Começou a enrolar um pouco e portanto estou com receio do que ainda estará para vir nos dois próximos livros.
   O romance é uma das partes boas do livro, gosto do desenrolar das relações que vão havendo no livro e do desfecho que elas têm. Mas isso fica ao critério das pessoas que forem ler este raro livro.
   Se quiserem comprá-lo (porque este ainda há à venda) podem fazê-lo por este link: Wook. Para verem a crítica do 1º livro da colecção, basta clicar aqui: Crítica - A Cidade Morta
   Boa Leitura... ;)
6/10

André

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Booking Through Thursday - Antecipação

   Ainda ficas excitado acerca de novos livros como ficavas quando eras pequeno? Em geral? Novos livros em particular, como de um autor favorito? Ou olhas para todos os livros novos e não lidos com o mesmo nível de antecipação?

   André: Nem pensar nisso! Há certos autores que fico desejoso que saia o próximo livro. George R. R. Martin, Patrick Rothfuss, Peter V. Brett são alguns dos nomes que assim que sei que têm uma data de lançamento para um novo livro, fico aos pulos e a ansiar que chegue a Portugal para poder comprar o livro o mais rápido possível!

terça-feira, 24 de junho de 2014

A Cidade Morta - Wolfgang & Heike Hohlbein

   "Quando o pequeno Cessna é forçado a uma aterragem de emergência num vale distante, Anders e Jannik vão parar a uma sinistra cidade em ruínas sem o menor sinal de vida.
   Em vez de uma equipa de salvamento, surgem homens vestidos com fatos de protecção negros.  Sem aviso, abrem fogo sobre eles. Durante a fuga, Anders cai nos braços da enigmática Katt. Esta leva-o até aos homens-animais que vivem no outro lado da cidade. Mas estes não ficam entusiasmados por verem um ser humano..."

   Boas leitores...
   Trago-vos o início das críticas a toda a colecção Anders. São quatro volumes e infelizmente já não se encontram à venda em lado nenhum. Estes consegui comprando a outra pessoa.
   Comecemos com o primeiro de quatro. É uma leitura infanto-juvenil e portanto algo que se lê levemente. Estava curioso de ler algo mais desta dupla de autores visto que tinha já lido uma colecção, Génesis, que era extremamente brutal. Possivelmente comecei esta leitura com as expectativas um pouco acima do normal, querendo mais acção e emoção nesta obra.
   No início do livro estava a ambientar-me quando a acção começa. E desde a página 30 para aí até à página 150 foi acção até à exaustão. Não consegui lê-la toda e de tão extensa que era perdi-me algumas vezes a lembrar-me do que acontecera.
   Mas até estava a ser o início de uma ideia original, até que apareceram outras personagens e eu fiquei "o que raio é isto?". Estranhei a ideia e fiquei de pé atrás. Mas fui aceitando a ideia ao longo do livro e sinceramente estou curioso para saber o que vai desenrolar daqui.
   Quanto à história está também cheia de camadas de mistérios que se vão desenrolando aos poucos e poucos, sempre a deixar o leitor ansioso por mais, e assim é que se quer.
   Se estivesse à venda estes livros aconselhava a lerem pela experiência (um pouco diferente) desta leitura. Se alguma vez poderem comprá-los e gostarem deste tipo de literatura, então aproveitem a oportunidade.
   Boa Leitura... ;)
6/10

André

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Booking Through Thursday - Formato

   Sendo todas as outras coisas iguais, qual é o teu formato preferido para ler? Capa dura? Capa normal? Livro novo? Livro velho? Primeira edição exclusiva? E-book?

   André: Para mim tem de ser um livro novo, não me importo muito se for capa mole ou dura, mas desde que seja novo e impecável, sem marcas, dobras ou qualquer coisa desse género. Desde que esteja imaculado e com aparência de acabado de sair da editora é perfeito para mim.

O Herdeiro de Sevenwaters - Juliet Marillier

   "Os chefes dos clãs de Sevenwaters têm sido guardiães de uma vasta e misteriosa floresta, um dos últimos refúgios das Criaturas Encantadas da história antiga.
   Humanos e habitantes do Outro Mundo coexistem, separados por um fino véu entre os dois mundos e uma confiança degradada. Tudo se altera na Primavera em que Aisling de Sevenwaters descobre que espera outro filho. Ao nascer um rapaz - herdeiro de Sevenwaters -, a sua irmã Clodagh toma a responsabilidade pelo bem-estar da criança, enquanto a mãe recupera.
   A alegria da família transforma-se em desespero quando o bebé é levado do seu quarto e substituído por uma estranha criatura. Clodagh verá a sua coragem testada ao limite e a recompensa será muito maior do que alguma vez imaginara..."

   Olá a todos os leitores...
   Espero que estejam a ler muito, e se tiveram oportunidade de ir à praia que já tenham lido umas boas páginas junto ao mar. Eu por cá continuo, desta vez trago o quarto livro da saga que era suposto ser apenas uma trilogia, mas começou a ter mais continuações, falo da saga de Sevenwaters. Este quarto volume já não há à venda, tal como os três anteriores, por serem editados pela Bertrand e esta já não ter os direitos de autor da Juliet Marillier.
   Falando agora do livro em si. Tem uma história engraçada, e surpreendente no fim. Acho que no início enrolou um pouco na quantidade de pormenores descritos mas assim que a trama começou o livro acelerou o seu ritmo e ficou interessante.
   Quanto às personagens, é normal quem for ler achar que elas estão a ficar discordantes ao longo da história e a ter perdas de personalidade, pelo menos foi o que eu achei, mas foi tudo explicado no fim e fez completo sentido, por isso se acharem o mesmo e não tiverem a gostar, façam um esforço e vão ver que valerá a pena.
   Aconselho a ler pois é um livro desta autora muito bom, e para quem leu a trilogia inicial, sempre vale a pena continuar a ler porque passa-se sempre com a mesma família (apesar deste livro não atingir as proporções de "fixeza" que o primeiro e o terceiro da colecção atingem)... Se quiserem ver a crítica ao volume anterior podem fazê-lo por aqui:Crítica - A Filha da Profecia
   Boa Leitura... ;)
8/10

André

domingo, 15 de junho de 2014

Death Note vol.13 - How to Read - Tsugumi Ohba & Takeshi Obata

   "The ultimate Death Note encyclopedia!
   Here in one authoritative volume: everything you need to know about Death Note, the best-selling manga series. Featuring complete character biographies, detailed storyline summaries, production notes, and behind-the-scenes commentaries. Death Note 13: How to Read also includes exclusive interviews with creators Tsugumi Ohba and Takeshi Obata, and a bonus manga chapter of never-before-translated material. Unless you own your very own death note, it doesn't get any better than this!"

   Olá uma vez mais pessoal!
   Finalmente temos o último volume da saga Death Note. O décimo terceiro volume, que já não faz parte da história acaba com toda a série.
   Este volume como diz a sinopse tem variadas coisas, pormenores acerca da história, dos capítulos, dos desenhos. Entrevistas com os autores, o processo de criação, entre outras coisas. Tem também pequenas histórias de quatro imagens que são muito engraçadas e depois a versão piloto da história original.
   Algumas destas coisas são desnecessárias como o contínuo review à história, acho que se um leitor quiser saber assim tantas coisas ao pormenor deveria dedicar-se a ler outra vez tudo, talvez se divertisse mais. Quanto às entrevistas isso sim acho que foi uma coisa boa a fazer porque dá um insight de como foi a vida dos autores na criação desta série e da personalidade de cada um.
   A versão piloto também foi uma coisa muito fixe de se ver, para ver quão diferente foi da história que foi serializada. Não imaginava nada que a ideia do Death Note teria começado assim, é bom ser surpreendido.
   É um bom volume cheio de curiosidades da série que aconselho a lerem, conhecerem mais da história e do que a envolve. Agora esperemos para ver qual será a próxima mangá que começarei a ler. Se quiserem saber da crítica do volume 12 sigam o link: Crítica - Death Note vol.12 - Finis
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sábado, 14 de junho de 2014

The Dragon Reborn - Robert Jordan

   "There is a world of light and shadow, where good and evil wage eternal war. It is the world of the wheel of time, the greatest fantasy epic ever written.
   The Lan is One with the Dragon - and the Dragon is One with the Land.
   The Shadow lies across the Pattern of the Age, and the Dark One has turned all his power against the prison that binds him. If it fails he will escape and nothing will stand in the storm that blows then... save the man that was born to battle the darkness: Rand al'Thor, the Dragon Reborn.
   But to wage his war Rand must find Callandor, ancient Sword of the Dragon... and the Forsaken will shatter the world to thwart him."

   Hello everyone...
   Agora sim alguma crítica, alegre para combinar com o tempo que tem estado. Este livro é em inglês pois como sabem só há até ao quarto em português, então decidi comprar na língua original. Este é o terceiro volume.
    Mais uma vez esta colecção não me desiludiu de todo. Já não me lembrava bem da história portanto grande parte dela foi como se estivesse a ler pela primeira vez, tornando tudo entusiasmante de novo. A capacidade que o autor teve para espalhar as personagens em diferentes caminhos e no entanto, descrever todos esses caminhos com um destino comum é surpreendente e está ao nível do agora tão aclamado George R. R. Martin. São dois autores completamente experientes nessa matéria.
   E o melhor de tudo é que a fantasia que este livro envolve, nomeadamente magia elementar é algo que não se vê muito e colocar intriga juntamente com acção, suspense, mistério, guerras e aventuras é algo genial. A descrição das personagens e das suas personalidades vão sendo cada vez mais profundas ao ponto do leitor achar que conhece certa personagem melhor do que ninguém e depois poder ser surpreendido.
   Só tive um pouco de pena pois houve uma ou outra personagem que me pareceu que estava a dar voltas a mais no mundo, empatando um pouco a história, mas como é complementada pelo relato das outras personagens ao mesmo tempo não é um grande distúrbio.
   Aconselho vivamente a lerem, se se atreverem a fazê-lo em inglês. Se quiserem ver a crítica do livro anterior podem fazê-lo pelo seguinte link: Crítica - The Great Hunt
   Boa Leitura... ;)

9/10

André

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Booking Through Thursday - Conteúdo explícito

   Como é que te sentes acerca de detalhes explícitos na tua leitura? Quer seja linguagem, sexo, violência, situações e por aí fora... Incomoda-te? Perturba-te de alguma forma? Ou tu continuas a ler tudo sem sequer te incomodares?

   André: Eu não me importo muito com isso, continuo a ler como se nada fosse. Até acho que as cenas de sexo e violência num livro que seja medieval ou desse género dão mais realidade e coerência à história, porque naquela altura eles nem se deviam importar com a linguagem e muito menos com a vergonha sexual. Em livros que se passam na actualidade, são poucos os que vejo esse tipo de conteúdo, por isso quando vejo chama-me a atenção, mas não me importo nada e continuo a ler.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Booking Through Thursday - Extremos

   Qual foi o teu extremo para conseguires alguma coisa para ler? (Pensa extremos bem como em quilómetros - Aceitando boleia de um estranho até uma livraria distante só para ter o livro novo do teu autor favorito?) Se o teu autor favorito (vivo ou morto) fosse lançar um livro novo amanhã, quão longe irias para conseguir ter uma cópia?

   André: Bem nunca aceitei boleia de estranhos para ir a uma livraria... Mas quanto à última pergunta encaixa bem porque amanhã sai um livro que apesar de nunca ter lido nada do autor sei que escreve bem (foi o co-autor da série Wheel of Time e não houve muitas críticas quando ele assumiu as rédeas dessa colecção, após o autor ter morrido) e estaria prestes a deitar tempo de estudo precioso que me pode ajudar a passar uma cadeira para poder ir comprá-lo, já que parece ser tão fixe assim!

domingo, 1 de junho de 2014

O Poço das Sombras - Juliet Marillier

   "Em missão secreta na Irlanda por ordem do Rei Bridei de Fortriu, Faolan tem também de dar a notícia da morte de um bravo guerreiro. Porém, o principal assassino e espião de Bridei tem de enfrentar os demónios do passado sombrio da sua família com resultados inesperados. Quando segue o rasto de um poderoso clérigo cristão que pode ser uma ameaça para a estabilidade do reino pagão de Bridei, Faolan torna-se responsável por uma criança, um cão e Eile, uma jovem perturbada e desconfiada.
   Para Eile, a viagem a Fortriu é uma confrontação. Acostumada a uma vida de privações e labuta, a jovem vê-se perante um mundo estranho, cheio de lições novas, onde o principal desafio é aprender a confiar nas pessoas.
   Na corte de Bridei, em Monte Branco, notícias perturbadoras vindas do reino vizinho de Circinn, levam o Rei a convocar a conselho os seus chefes-de-guerra. Após o desaparecimento do principal conselheiro de Bridei e a morte trágica de uma jovem criada, a ameaça provocada pela influência cada vez maior da Cristandade parece ser o menor dos perigos..."

   Boas leitores...
   Mais uma vez um intervalo gigantesco interpôs-se aqui no blogue, também pela falta de BTT que tem havido. Agora em época de exames não sei se espero poder ler mais ou menos, logo se verá. O que interessa é que aqui está uma nova crítica. Crítica essa ao último livro das Crónicas de Bridei.
   E o livro teve os seus pontos positivos e negativos. Começando a ler a obra
fui logo surpreendido pela positiva, o que me agradou. Tive muitas outras surpresas ao longo do livro, no entanto acho que este teve também no início aquele tipo de história de viajantes a ter aventuras atrás de aventuras, o que não me agrada muito. Além disso houve pormenores que foram ridículos por não terem sido iguais aos do livro anterior. Nomes de locais que traduziram para português quando nos anteriores estavam em inglês. Cabelos de personagens que mudaram de cor de um livro para o outro, entre muitas outras coisas.
   Mas quando isso passou e a acção voltou a centrar-se em Fortriu o livro aumentou o interesse. Acho que acabou muito bem, no entanto houve alguns pormenores que não foram explicados, e outros que davam mesmo a sensação de que iria haver um quarto livro, que não existe, pelo menos em português.
   É um livro com a qualidade da autora, que é sempre boa, nuns livros melhores do que noutros. É pena já não haver à venda em formato normal, só em formato de bolso. Se quiserem saber mais sobre esta colecção, nomeadamente do livro anterior, basta seguir este link: Crítica - A Espada de Fortriu
   Boas leituras... ;)
7,5/10

André