terça-feira, 29 de abril de 2014

Leitores Beta Procuram-se!

   Olá a todos os leitores...

   Esta é uma mensagem um pouco incomum neste blogue (e por isso será apagada no seu devido tempo). Mas como no fundo se trata também de livros (para além de ser uma boa forma de divulgar) decidi colocar aqui. Então o que se passa é basicamente os seguinte:

Preciso de Leitores-Beta!!

   Passo a explicar. Eu acabei de escrever uma obra, de fantasia, a qual vai concorrer a um concurso de escrita, pelo que preferia antes ter a ajuda de vários leitores-beta, para que me ajudassem a melhorá-la e aperfeiçoá-la ao ponto de estar pronta a ganhar o concurso!
   Mas antes quero perguntar-vos, sabem o que é um leitor-beta? De forma simples é um leitor com acesso a um livro antes da publicação. A sua leitura tem como premissa uma colaboração com o autor para a revisão e edição do livro.

   Requisitos para ser um leitor-beta? 
 - Primeiro que sejam humanos! (M/F);
 - Tenho preferência por pessoas que costumam ler muitos livros de fantasia, mas se nao se enquadrarem aqui, não faz mal, arranjamos alguma coisa; 
 - Pessoas que estejam prontas para assumir este compromisso de lerem a obra e fazerem uma crítica a ela com sugestões ou alterações incluídas.
 - O compromisso envolve antes de mais, não divulgação (isto é mais que óbvio) da obra e a ajuda até fins de Junho. Se não puderem ajudar todo esse tempo, não faz mal, ajuda não se recusa, enquanto conseguirem é bem-vinda!

   Quanto ao que eu espero que me possam ajudar, isso descobrirão se decidirem participar nesta aventura! Caso estejam dispostos, enviem um e-mail para leitoresbeta@gmail.com. Nesse e-mail digam-me quem são, quantos anos têm, o que fazem, se têm algum blogue ou algo do género! Convém não só vocês conhecerem o livro e o autor mas também eu poder conhecer as pessoas que terão a paciência para me aturar nas imensas trocas de e-mail's.
   Caso não participem mas conheçam alguém que até estaria disposto a participar, divulguem! Estou a contar convosco!


   Ficarei à espera dos vossos contactos até dia 5 de Maio, a partir daí começarei esta aventura com os que estiverem presentes! (O que não significa que não possas vir a ser leitor-beta, manda-me um e-mail que logo se descobre!)

domingo, 27 de abril de 2014

Death Note vol.12 - Finis - Tsugumi Ohba & Takeshi Obata

   "The battle ends here!"

   Hello leitores...
   Antes de mais quero falar-vos sobre a última coisa postada na página do Facebook do blogue. Se não viram, eu digo-vos que em breve colocarei aqui no blogue e no Facebook um pedido para recrutar leitores-beta, pessoas que têm acesso a um livro antes de ser publicado com o intuito de ajudarem na edição e revisão da obra. Assim que a minha obra estiver acabada gostaria de obter o máximo de ajuda possível de quem quiser ajudar! Se estiverem interessados fiquem atentos ao blogue, não vai faltar muito para colocar algo a dar mais informações.

   Quanto a este mangá o "último" da colecção Death Note, não é bem o último porque há um 13º mas este volume acaba com a história, o 13º é um volume com informações acerca de tudo o que se relaciona com aquele mundo.
   Então e este volume será que por ser o fim melhorou a qualidade de leitura, ou será que tal como esperava foi tudo uma balbúrdia e feito à pressa? Bem foi mais a segunda hipótese, mas de certa forma conseguiram piorar um pouco a situação.
   Logo no início do volume ocorrem tantas coisas rápido, que ao notarmos, morreram duas personagens logo no primeiro capítulo. Depois a história arrasta-se por mais 8 capítulos acerca da "batalha final" digamos assim.
   E para além do final ter sido previsível em termos gerais, acho que esse mesmo final foi um pouco estranho pelo facto da personagem principal não parecer ela mesma. Entendo a situação em que estava mas não achei que fosse justificado para tal comportamento, teve um grande desvio de personalidade. Só achei uma personagem engraçada, o Shinigami, por estar à espera que fosse assim, com aquela personalidade dark.
   Foi uma experiência de primeiro mangá um pouco triste, porque começou muito bem no início mas depois foi piorando pela quantidade de coisas pelo meio que não interessaram. Talvez as próximas experiências corram melhor. Se quiserem ver a crítica ao volume anterior basta seguirem este link: Crítica - Death Note vol.11 - Kindred Spirit
   Se quiserem comprar o volume, em inglês porque em português ainda não saiu, nesse caso podem fazê-lo por este site: Wook
   Boa Leitura... ;)
6/10

André

sábado, 26 de abril de 2014

As Mentiras de Locke Lamora - Scott Lynch

   "Diz-se que o Espinho de Camorr é um espadachim imbatível, um ladrão mestre, um amigo dos pobres, um fantasma que atravessa paredes. De constituição franzina e quase incapaz de pegar numa espada, Locke Lamora é, para mal dos seus pecados, o afamado Espinho.
   As suas melhores armas são a inteligência e manha à sua disposição. E embora seja verdade que Locke roube dos ricos (quem mais vale a pena roubar?), os pobres nunca vêem um tostão. Todos os ganhos destinam-se apenas a ele e ao seu bando de ladrões: os Cavalheiros Bastardos.
   O submundo caprichoso e colorido da antiga cidade de Camorr é o único lar que o bando conhece. Mas tudo vai mudar: uma guerra clandestina ameaça destruir a própria cidade e os jovens são lançados num jogo de assassinos e traidores onde terão de lutar desesperadamente pelas suas vidas. Será que, desta vez, as mentiras de Locke Lamora serão suficientes?"

   Boas leitores...
   Outra crítica para vocês, que isto tem andado um pouco lento. Este é um livro isolado (pelo menos que eu saiba) cuja capa e sinopse não me despertaram de todo qualquer interesse da primeira vez que o vi. Aliás eu obtive este livro simplesmente porque vinha num pack com outros que me agradavam.
   E ainda bem que veio porque seria uma grande perda na minha leitura. Sim este livro afinal é um livro excelente com uma história super envolvente e que nos faz agarrar as páginas e lê-las a um ritmo assombroso. E não só, vi-me muitas vezes a rir e a expressar imensas interjeições enquanto o lia, o que significa que estava mesmo entranhado na história que nem ligava ao mundo exterior.
    O livro passa-se num mundo fantástico, que de certa forma nos faz lembrar uma Veneza com a mafia e todos os enredos que isso envolve, mas claro que como livro de fantasia depois tem coisas como alquimia, feiticeiros entre outros. Foi uma ideia excelente a que o autor teve, acabou por tornar um assunto que por si era interessante num ainda mais interessante e curioso.
   Outro ponto muito bom no livro foi a quantidade de vezes que conseguiram enganar-me. Quando julgava que alguém ia fazer determinada ação, lá me contrariavam e faziam outra. É sempre bom isto acontecer, mostra que o livro não é previsível e tende a surpreender-nos.
   Tive só pena do livro não ter continuação, acho que houve alguns pontos que poderiam ter sido explicados. Isto porque cada capítulo tinha a história central e depois um interlúdio com o passado de Locke Lamora. E quer no presente quer no passado houve pelo menos dois grandes pontos chave que ficaram sem explicação. Não interferem na história mas é sempre aquela curiosidade de um leitor que gostou imenso.
   Aconselho vivamente a lerem é muito bom o livro, se quiserem comprá-lo podem fazer isso por este site: Wook
   Boa Leitura... ;)
8,5/10

André

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Booking Through Thursday - Favorito?

   Tens um livro favorito? O que é que dizes quando as pessoas te perguntam isso? (Esta pergunta confunde-me sempre porque como é que consegues escolher apenas um, por isso estou ansioso por ouvir o que as pessoas têm a dizer.)
   E, o teu livro favorito mudou ao longo dos anos?

   André: Vou começar por responder à segunda pergunta, respondo sempre da mesma forma "não, não tenho apenas um livro favorito, não consigo escolher UM de entre tantos. Tenho sempre uma mão-cheia de livros que são um máximo para mim, mas não consigo escolher um entre eles. Seria como escolher um filho favorito.". Assim a primeira pergunta fica respondida também.
   Quanto à última pergunta, posso é afirmar que o género de livros favorito mudou ligeiramente ao longo dos anos, apesar de continuarem a ser meus favoritos, nota-se que são um pouco diferentes uns dos outros.

sábado, 19 de abril de 2014

O Terror Vol.1 - Dan Simmons

   "Na primavera de 1845, Sir John Franklin comanda uma expedição de dois navios e 130 homens numa viagem arrojada para o distante e desconhecido Árctico. O seu objectivo: encontrar e mapear a lendária Passagem do Noroeste que, supostamente, ligará os oceanos Atlântico e Pacífico.
   Dois anos depois, a expedição, que começou sob um espírito de optimismo e confiança, enfrenta o desastre. Franklin está morto. Os dois navios (o Erebus e o Terror) estão fatalmente presos nas garras do gelo. As rações e o carvão escasseiam e os homens, mal preparados, lutam diariamente para sobreviver ao frio letal. Mas o seu verdadeiro inimigo é bem mais aterrorizador. Existe algo à espreita nas trevas glaciais: um predador oculto que captura marinheiros e abandona os seus corpos na vastidão de gelo… 
   O Terror é simultaneamente um romance histórico rigorosamente pesquisado e uma homenagem ao melhor que a literatura de horror ofereceu até hoje. Segundo Stephen King: "Um romance intenso, absorvente e arrepiante como só Dan Simmons podia escrever."

   Boas Leitores...
   Com esta semaninha de férias (que não foi completamente férias porque o estudo está sempre presente) a leitura conseguiu adiantar-se um bocadinho! Li mais um livro e tenho o prazer de vos dar a crítica dele. Antes de mais queria referir que esta semana não houve BTT não porque me esqueci mas sim porque não apareceu mesmo BTT. Voltando ao livro, este é o primeiro de dois volumes com o mesmo título.
   O início do livro captou logo a minha atenção, o mistério e o suspanse agarraram-me e entusiasmaram-me ao ponto de só ligar ao livro e esquecer o que me rodeava (mesmo no ambiente barulhento do comboio). Fez-me lembrar os contos de terror de H.P. Lovecraft que por vezes faziam o meu coração acelerar de antecipação ao que iria acontecer.
   No entanto, quando fui avançando no livro fui perdendo esse entusiasmo. Os capítulos inteiros do passado até aos navios partirem não me desanimava, até porque era interessante saber o que tinha acontecido antes para chegar àquela situação, mas as descrições demasiado detalhadas quebravam totalmente o ritmo da leitura.
   E outro problema na escrita foi a utilização em demasia dos termos náuticos. Principalmente numa determinada altura da história onde estava a ocorrer uma acção importante, cheia de movimento e suspanse e no meio da acção havia capítulos onde eu tinha de parar e ir pesquisar na internet o que determinado termo era para vir a descobrir que era uma peça, corda ou parte do barco. Claro que isto quebrava o ritmo de leitura daquele momento que deveria ser contínuo e rápido.
   O único ponto bom é mesmo a hstória e ver o desenvolvimento das personagens ao longo dela, é uma boa intriga e enredo. Terei de esperar para ler o próximo volume para ver o que ocorre. Ah e tenho só um pequeno ponto a referir que é: o efeito da capa está muito bom, se tiverem oportunidade, quando virem o livro peguem nele e vejam bem. Entretanto se quiserem comprar este livro podem fazê-lo pela Wook
   Boa Leitura... ;)
6,5/10

André

quarta-feira, 16 de abril de 2014

O Corsário do Rei - Raymond E. Feist

   "Há muito recomposto da guerra da brecha, a terra e o povo do reino das ilhas floresce. Nicholas, o filho mais novo do Príncipe Arutha, é um jovem inteligente e dotado, mas foi sempre protegido pela vida na corte, em Krondor. Para que aprenda mais sobre o mundo para lá das paredes do palácio, Arutha decide enviar Nicholas e o seu irreverente escudeiro, Harry, até à rústica Crydee, onde Arutha cresceu. É tempo de mostrar uma vida sem privilégios.
   Mas poucas semanas após a chegada deles, Crydee é brutalmente atacada. O castelo fica reduzido a ruínas, os cidadãos são chacinados e duas jovens nobres - amigas de Nicholas - são raptadas.
   Ao aventurar-se para longe das paisagens familiares da sua pátria em perseguição dos invasores, Nicholas compreende que está em jogo algo mais do que o destino das suas amigas, e mais até do que o destino do Reino das Ilhas, pois por detrás dos piratas assassinos esconde-se uma força bem mais poderosa que põe em perigo todo o mundo de Midkemia. E apenas ele poderá vencer essa terrível ameaça… ou perder o reino por inteiro."

   Boas leitores...
   Aqui estou eu, com uma crítica nova, que pertence ao segundo livro da colecção Os Filhos de Krondor que é o último, mas não é a última colecção do autor.
   E eu a julgar que esta colecção apesar de se passar no mesmo mundo, poucos anos depois da história principal, não envolvia (a não ser as personagens) dos livros anteriores? Não podia estar mais enganado, pois parece que durante todas as colecções deste autor que já li, existe um enredo acima do enredo principal de cada livro mas que atravessa todos os livros. Como uma grande história que vai sendo contada ao longo das várias colecções.
   Neste volume já não se fala das mesmas personagens que o primeiro, para grande pena minha, que pensava que iria desenvolver mais o Borric e o Erland. Desta vez é o irmão pequeno deles, Nicholas a personagem principal. E por um lado ainda bem, sangue novo para a história, outra personagem por quem adquirir um grande espírito de coragem e confiança.
   O enredo está muito bom, sendo que o plot-twist final deixou-me de boca aberta a pensar no que poderá acontecer nas próximas colecções. Só houve uma ou duas partes no livro que desanimei um pouco com a leitura, a parte marítima. Tornou-se um pouco monótono toda aquela viagem de ida e depois de volta, considerando que havia tanta acção por todos os lados, mas enfim, não se pode pedir tudo não é?
   É um livro que aconselho a lerem, este autor é fantástico na fantasia. Para comprarem o livro podem fazê-lo por aqui: Wook . Se quiserem ver a crítica do 1º volume da colecção antes de comprarem o 2º podem ver neste link: Crítica - O Príncipe Herdeiro
   Boa Leitura... ;)
8/10

André

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Nação - Terry Pratchet

   "No dia em que o mundo acaba...
   ...o jovem Mau vai a caminho de casa, vindo da Ilha dos Rapazes. Em breve, será um homem. É então que chega uma onda enorme, ar rastando atrás de si a noite escura e trazendo também um navio, o Doce Judy. Quando a marcha do navio é travada com estrondo, apenas uma alma sobrevive (ou duas, incluindo o papagaio). A aldeia desapareceu. A Nação, tal como a conhecia, desapareceu. Resta apenas o jovem Mau, que não veste quase nada, uma rapariga dos homens-calças, que veste demasiado, e um monte de mal-entendidos. E também grande quantidade de não-saber-o-que-fazer. Ou lá como se diz. Juntos, deverão construir uma nova Nação a partir de fragmentos. E construir uma nova história.
   Mas...
   QUEM GUARDA A NAÇÃO? ONDE ESTÁ A NOSSA CERVEJA? ...a velha história não se limitará a desaparecer pacificamente,pelo menos enquanto os Avôs tiverem voz. E Mau terá de olhar o passado antes de conseguir encarar o futuro."

   Olá a todos os leitores!
   Eu sei que isto tem estado muito mal-parado. A carga de trabalho anda a aumentar mas agora talvez as férias ajudem um pouco a diminuir essa carga e dar oportunidade de mais leitura. Vamos lá a este livro: é um livro isolado de um autor muito conhecido no Reino Unido, do qual nunca tinha lido nada dele.
   Mas ainda bem que li. No início a escrita é algo um pouco confuso, por ser algo diferente do que estava habituado, mas depressa me acostumei e diverti-me a ler esta história.
   Que por si só é uma história um pouco estranha e que vai ficando cada vez mais estranha, mas ao mesmo tempo vai iluminando a nossa mente conforme as páginas vão passando. As personagens, principalmente a principal, o Mau, estão caracterizadas de forma excelente, talvez também devido à escrita invulgar com súbitos envolvimentos de supostos deuses.
   E adorei também a quantidade de diversidade que o autor se lembrou de colocar no ambiente onde a história se passa, é algo original que me surpreendeu, muitas vezes espicaçando a minha curiosidade a ir procurar na internet.
   É um livro bem interessante e de um autor completamente novo para mim, o que me fez querer ler mais dele. Se quiserem também podem comprar este livro neste site: Wook
   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Booking Through Thursday - Remarcações

   O preço de um livro afecta a tua decisão de comprá-lo ou não? Esperas por edições mais baratas dos livros que queres?

   André: Depende das situações, normalmente não compro livros que não seja por promoções como a Feira do Livro de Lisboa ou mesmo promoções que aparecem na internet. Porque sim muitas vezes os livros são demasiado caros para comprá-los nas quantidades que compro aos preços que são, mais vale esperar por alguma promoção bestial que aparecem sempre.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

O Príncipe Herdeiro - Raymond E. Feist

   "Os gémeos Borric e Erland são os homens mais despreocupados do Reino das Ilhas. Mas a bem-aventurada juventude deles termina quando se preparam para suceder ao trono do seu pai, o Príncipe Arutha. Como primeira tarefa, o Príncipe envia-os no papel de embaixadores ao reino de Kesh, a mais poderosa das nações. Mas, mesmo antes de partirem, uma tentativa de assassínio a Borricé, o mais velho dos irmãos, é evitada no último momento. Trata-se somente do início de uma jornada traiçoeira que levará os irmãos por caminhos separados e mortíferos - um, enquanto fugitivo, o outro, enquanto futuro rei. Agora, cada um deles deve traçar o seu próprio caminho rumo à maturidade, honra e paz, enquanto os que anseiam pela guerra se tornam cada vez mais audaciosos."

   Boas a todos!
   Isto parece que se torna um hábito dar-vos uma crítica pouco tempo depois de um novo BTT. Este é o primeiro de um conjunto de dois livros do mesmo autor de O Mago. Apesar de não fazer parte da mesma colecção, passa-se no mesmo universo e inclui diversas personagens, pelo que se quiserem ler estes, aconselho vivamente a lerem os primeiros livros do autor.
   Agora quanto à obra em si, está relativamente boa, o enredo é engraçado principalmente quando há a separação dos gémeos e vemos os destinos de cada um ao mesmo tempo. A construção das personagens acho que também está bastante bom, pelo menos nota-se uma grande diferença entre o início do livro e o seu final.
   Uma das poucas coisas que me faz confusão neste autor é por vezes o espaço de tempo que os capítulos dele têm. Estou um pouco habituado com os primeiros livros, mas faz sempre alguma comichão cerebral estarmos numa acção e de repente já se terem passado alguns dias ou semanas. Mas quando a história é boa, é algo que se pode superar.
   Se quiserem comprar o livro podem até fazê-lo por este site: Wook
   Boas Leituras... ;)
7,5/10

André

   

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Booking Through Thursday - Marcas

   Tu escreves nos teus livros? Realças? Tomas notas? Ou tu gostas de manter as tuas cópias o mais incólume possível?

   André: Para mim seria impensável escrever num livro ou tomar notas nas páginas de um. Seria quase um sacrilégio, uma profanação! Não, estou a brincar não sou assim tão extremista, mas para mim os livros têm de permancer limpinhos e bonitinhos para toda a eternidade, nada de marcá-los para o resto das suas vidas! :P