sábado, 27 de outubro de 2012

Um Homem com Sorte - Nicholas Sparks

   "Durante a maior parte da sua vida, Logan Thibault foi um homem que em tudo se podia considerar comum. Porém, nada de comum havia naquilo que estava prestes a acontecer-lhe. Quando encontra uma fotografia de uma mulher durante a guerra do Iraque, Logan Thibault passa, inexplicavelmente, a ser um homem com a sorte do seu lado, que sobrevive, sem ferimentos graves, a situações de indescritível perigo. A fotografia, que nunca ninguém chegou a reclamar, começa a ser encarada como um talismã e, de regresso aos EUA, Thibault não consegue deixar de pensar na mulher que lhe salvou a vida. Mas o segredo que transporta consigo poderá custar-lhe tudo aquilo que lhe é querido... Nicholas Sparks traz-nos um romance sobre a força avassaladora do destino que dá sentido até aos momentos mais inexplicáveis da vida, agora também disponível em versão cinematográfica interpretada por Zac Efron e Taylor Schilling."

   Boas amantes das letras...
   Até parece que foi ontem que postei aqui uma crítica... E realmente foi. Está visto que a leitura de obras de Nicholas Sparks é fácil e rápida.
   Bem quanto a este livro tenho de admitir que não seguiu aquele padrão que normalmente os livros deste autor seguem o que foi uma agradável surpresa para mim.
   Quanto ao livro em si está bastante inspirador, é uma história encantadora e que para os eternos românticos (como eu) é de suspirar e suster a respiração. Gosto imenso da escrita, desta vez os capítulos eram feitos conforme a personagem, havia capítulos da perspectiva de Logan outros de Beth e por aí adiante, o que para mim tornava a leitura muito mais interessante.
   Quanto à escrita deste livro não tenho nada a apontar, gosto da escrita do autor, simples e sem pormenores a mais. Um problema que tem haver com a escrita foi a quantidade de erros que havia no livro, está visto que os revisores dos livros andam a ser mal pagos, ou então não andam a fazer o seu trabalho.
   Espero que gostem do livro se o forem ler, vale a pena. Se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Juntos ao Luar - Nicholas Sparks

   "Quando pela primeira vez contemplam juntos a noite de lua cheia, John e Savannah sentem-se invadidos pela força inequívoca de um amor nascente, pela percepção de um futuro que acaba de ganhar forma e sentido nos seus corações jovens e expectantes. Nunca a lua lhes pareceu tão bela, nem o mundo um local tão pródigo em promessas. Mas a realidade não tarda a impor-se, precipitando uma vaga de acontecimentos que os coloca perante encruzilhadas de vida brutais. As longas separações a que a carreira militar de John - destacado na Alemanha - os obriga e o peso quase insuportável da saudade impelem Savannah a tomar uma decisão difícil que irá mudar os seus destinos para sempre, mas não o que sentem um pelo outro... No entanto, será a John que caberá a mais amarga de todas as decisões, aquela que ditará os seus futuros de forma irrevogável. Mas por mais dolorosa que seja, a escolha certa torna-se sempre nítida quando é o amor genuíno que nos inspira, quando sabemos o que significa amar verdadeiramente alguém...
   Um romance soberbo, que nos traz Nicholas Sparks no seu melhor."

   Olá leitores...
   Mais uma vez este mês estou aqui para pôr mais uma crítica interessante neste blog fantástico, desta vez uma leitura bastante fora do normal. Um género que normalmente não se encontra muito por aqui.
   Este não é o primeiro romance de Nicholas Sparks que leio, é o segundo, e ainda tenho mais dois dele para ler aqui em minha casa, no entanto acho que este vai marcar-me para sempre.
   Primeiro que tudo, tenho de me justificar que já não lia romances há bastante tempo, logo a minha reacção a este foi duplicada ou triplicada.
   Mas quanto ao livro, eu acho que está muito mas muito bom. Já sei que os livros deste autor tendem a repetir-se num padrão que é: primeiro apaixonam-se, estão muito felizes, depois acontece alguma coisa má e depois separam-se. E foi de facto o que aconteceu neste e no primeiro que li dele, no entanto acho que este foi mais verdadeiro e retrata mais verdadeiramente a realidade.
   Talvez porque também esteja a acontecer actualmente um pouco isso comigo e talvez o livro tenha me afectado mais fortemente, mas acho que está muito bom, a história, as personagens, a escrita está boa, ter as perspectiva das personagens ao longo do livro.
   O fim do livro apesar de admitir que está muito bom na minha opinião, não gostei, mas também tem a ver com a minha personalidade, por isso digo que está muito bom, está bem... delineado digamos assim.
   É um livro que decididamente aconselho, veremos se acontece o mesmo no próximo livro dele. Se quiserem comprar este livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
8,5/10

André

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Booking Through Thursday - História da Capa Parte 2

   O inverso da semana passada...
   Existem alguns bons livros que começaste a ler por causa da capa e acabaste por te questionar quem é que no planeta Terra juntaria uma capa que não tem nada haver com um livro tão bom?
   E se não gostaste da capa, o que te fez escolher o livro? O autor? Uma leitura escolar obrigatória? Uma recomendação de um amigo?

   André: Sim já me aconteceu isso, foi com o livro Memorial do Convento comecei a lê-lo como livro obrigatório do secundário mas quando acabei de lê-lo pensei que realmente a capa não fazia sentido nenhum, achei que talvez fosse assim só porque todos os livros de José Saramago seriam daquele género e que não podiam afastar-se muito da norma.

domingo, 21 de outubro de 2012

A Manopla de Karasthan - Filipe Faria

   "Na imensidão cósmica existe um mundo, Allaryia, de grandes heróis e vilões infames, de seres de uma beleza indescritível e criaturas maléficas de uma fealdade atroz, nações poderosas e impérios tirânicos. Depois de muitas eras que alternaram entre a paz e a discórdia, encontramos neste primeiro volume das Crónicas de Allaryia, um tempo de aparente tranquilidade, de uma calma inquietante, semelhante ao silêncio que antecede a tempestade. Algures, numa câmara escura, subterrânea, algo se move, tentando libertar-se de anos de cativeiro, algo monstruoso, inumano, sedento de sangue e dor. O povo de Allaryia perdeu o seu campeão - Aezrel Thoryn, provavelmente morto numa batalha contra o Flagelo, a força das trevas, em Asmodeon - e mais do que nunca precisa de protecção. Aewyre Thoryn, o filho mais novo do saudoso rei, pega em Ancalach, a espada do seu pai, decide descobrir o que realmente lhe aconteceu e parte a caminho de Asmodeon. O que o jovem guerreiro não podia prever era que a sua demanda pessoal se iria transformar, à medida que os encontros se vão sucedendo, na demanda de um grupo particularmente singular, que reunirá a mais estranha e inesperada mistura de seres - Allumno, um mago, Lhiannah, a bela princesa arinnir, Worick, um thuragar, Quenestil, um eahan, Babaki, um antroleo, Taislin, um burrik, Slayra, uma eahanna negra e o próprio Aewyre. O ritmo a que se sucedem as aventuras é absolutamente alucinante, a cada passo surgem perigos mais tenebrosos, seres aterradores que esperam, ocultos nas sombras, o melhor momento para atacar e roubar a tão desejada Ancalach… Mas os laços de amizade que unem o grupo estão cada vez mais fortes e, juntos, sentem-se capazes de enfrentar qualquer inimigo! Um livro extraordinário, vencedor do Prémio Branquinho da Fonseca atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo semanário Expresso, que promete conquistar um lugar privilegiado na literatura portuguesa."

   Boas pessoal...
   Bem aqui estou eu a começar mais uma colecção, em vez de terminar umas quantas que estão em aberto. Desta vez a colecção chama-se Crónicas de Allaryia e é composta por sete livros se não me engano, sendo este o primeiro deles todos logicamente.
   Este é um livro da lista do Plano Nacional de Leitura, o que me assusta um bocado devido a algumas partes que estão no livro que desaconselharia a qualquer criança, ou são demasiado sexuais ou demasiado violentas.
   Quanto à história, está bastante boa, apesar de não me agradar muito a estratégia do autor, que já agora é português deixem-me dizer, que se baseia numa data de aventuras que um bando de heróis vai passando enquanto viaja, prefiro uma única história com uma aventura, mas enfim apesar disso está muito boa.
   As capas são um bocado infantis demais, mas visto que este livro é aconselhado à leitura de jovens adolescentes entendo a escolha. Mas acho que ao longo da colecção as capas vão se alterando, tornando-se mais sóbrias.
   É uma colecção pela qual estou curioso para saber mais, e da qual até aconselho a ler, mas não é nada estupendo e que tenham de ler imediatamente. No entanto, se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Booking Through Thursday - História da Capa

   Dizem que não se deve julgar um livro pela capa, mas não há dúvida que pode fazer a diferença!
   Que livro(s) têm a tua capa favorita? Alguma coisa que é perfeito para a história, o tom, as cores, o humor...
   E escolheste esse livro pela capa? Ou ias lê.lo na mesma e a capa era apenas um apêndice?

   André: A verdade é que há bastantes livros que leio devido à capa, umas vezes arrependo-me severamente, outras fico super feliz por ler certos livros graças à capa, mas as capas que mais adoro devem ser as da colecção de Christopher Paolini, Eragon, Eldest, Brisingr e Herança mas também adorei os livros da colecção que não pus aqui, a não ser o primeiro Génesis. Mas o interessante é que esses livros eu não escolhi pela capa queria lê-los e a capa era mesmo só um apêndice. A sorte é que depois de lê-los passei a adorar as capas ainda mais...

domingo, 14 de outubro de 2012

Uma Bruxa em Apuros - Kim Harrison

   "Todas as criaturas das trevas se reúnem na cidade de Hollows para se esconder, festejar… e comer. As longas noites são dominadas por vampiros num mundo de predadores que se caçam uns aos outros sem piedade.
   A jovem e sexy Rachel Morgan é caçadora de prémios por profissão e bruxa por vocação. A sua obrigação é manter Hollows minimamente civilizada. Vagueando pelas ruas da cidade, Rachel persegue criaturas sobrenaturais que cacem os habitantes mais inocentes e vulneráveis.
   Mas quando a noite esconde os maiores pesadelos imagináveis, uma personalidade forte e uma mão cheia de feitiços podem não ser suficientes para sobreviver. A não ser, claro, que Rachel Morgan seja mais do que aparenta ser…"

   Boas pessoal...
   Aqui estou eu outra vez, desta vez mais depressa, para mim está completamente comprovado que leio muito mais depressa um livro que goste e que seja mais interactivo do que um que não goste ou que tenha muitos pormenores...
   Este é o primeiro livro que leio desta autora, mas pelo que sei esta colecção já tem mais uns 3 livros se não me engano, esta série chamada série Rachel Morgan.
   Quanto à história deste livro, é um bom enredo, apesar de achar o background, o cenário e o mundo muito comercial, mundo com muitas criaturas sobrenaturais, vampiros, fadas, bruxas, etc etc etc...
   Mas por acaso a história está bem feita e bastante intrigante, cheia de acção pelo menos. Foi basicamente o contínuo rolar das coisas com bastante acção que me fez ficar colado ao livro quando o lia. Estou bastante curioso para saber o que irá acontecer nos próximos livros, mas até lá vou ter de esperar bastante para os ler.
   Aconselho a vocês, a não ser que tenham livros espectaculares demais para ler, esta obra. Se quiserem comprá-la: Wook
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Terceiro Deus - Ricardo Pinto

   "Na sequência do massacre das tribos de o Céu da Terra, Carnelian - o filho do Senhor Suth - sente-se revoltado por tudo aquilo que presenciou e pretende pôr fim à carnificina levada a cabo por Osidian Nephron, eleito Deus-Imperador. Porém, Osidian continua sedento de vingança contra aqueles que usurparam o seu trono e, desesperado, Carnelian persegue-o para o matar, apesar dos laços de afecto que ainda os unem. Mas é demasiado tarde, agora que Osidian provocou a ira dos Mestres que governam a Comunidade a partir do seu centro, Osrakum.
   A guerra é inevitável e Carnelian compreende que a sua sobrevivência e a de todos os que lhe são queridos depende da sua aliança com Osidian. No fim, perceberá que os auspícios que o guiavam encobriam um terrível desígnio. Ele próprio ajudará a desencadear forças apocalípticas que trazem revelações arrasadoras. Mas existirá esperança para além do império dos Escolhidos? O Terceiro Deus é a conclusão de uma das epopeias mais notáveis das duas últimas décadas e confirma o seu autor como um dos mais originais mestres da literatura fantástica actual."

   Boas pessoal...
   Aqui estou eu, depois de não sei quantas semanas again... Estes livros têm sido bastante difíceis de digerir. Para além de serem grandes (888 páginas) tem um pequeno problema que falarei à frente. Por agora digo-vos já que este é o terceiro e último livro desta colecção que é denominada A Dança de Pedra do Camaleão.
   A história em geral está bem elaborada e interessante, principalmente o segundo e este terceiro livro que têm mais acção e surpresa. No entanto todos os três livros pecam numa coisa, excesso de pormenores. Todo o livro é coberto em pormenores que são desnecessários, fazendo perder o leitor e esquecê-lo da maior parte dos pormenores que são lidos. E por outro lado, faltam pormenores mais explícitos quanto às regras e hierarquização da sociedade em si. Parece que apareciam novos membros e hierarquias neste livro que nunca tinha ouvido falar anteriormente.
   Apesar destas coisas más há coisas boas como por exemplo o fim, que apesar de ter um pormenor que não gostei tanto, está muito bom e bem feito. Deixando o leitor feliz pela justiça e triste ao mesmo tempo.
   Se quiserem saber mais desta colecção que aconselho apenas a quem tenha bastante paciência então sigam o link: Crítica - Os Guardiães dos Mortos
   Se quiserem comprar o livro: Wook

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Booking Through Thursday - Queimar

   Se a tua casa estivesse a arder e só pudesses levar um livro da tua colecção... Qual seria? (as séries contam como um)

   André: Por acaso já pensei imenso nessa questão, é sempre uma coisa que não quero que me aconteça nunca... xD Isto porque acho que se alguma vez acontecesse, morreria a tentar decidir-me qual é que haveria de salvar... Ou então pegaria num saco daqueles do lixo enorme e fazia tipo centro comercial, com o braço empurrava todos os livros para dentro do saco e salvava o máximo de livros que pudesse... :P