segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Da Psicologia da Escrita à Descoberta da Grafologia - Luís Philippe Jorge

   "Quais são os fundamentos psicológicos da análise da escrita que sustentam a grafologia, enquanto instrumento de exploração e conhecimento de quem escreve?
   Tal é o conteúdo deste livro, que possibilita uma visão esclarecida e enriquecedora para quem procura não só descobrir, mas também adquirir uma nova e proveitosa ferramenta de conhecimento de si próprios e dos outros. É numa perspetiva tanto didática como heurística, que este tema é aqui tratado.
   «A escrita não mente...»"

   Boas pessoal...
   Aqui estou para vos dar uma crítica dum livro que se enquandra num género que já não lia há muito. Confesso que já não estava habituado a ler livros que não contássem histórias, e no início deste livro foi esquisito ler textos que falavam sempre do mesmo tema e não de aventuras, mistérios ou coisas parecidas, mas lá me fui habituando.
   Quanto ao próprio tema, é giro e interessante para se descobrir um pouco, o que se consegue fazer perfeitamente com este livro. Em relação ao próprio livro acho que tem uma estrutura um pouco desorganizada, pois o autor alargou-se um pouco no seu tema e falou não só da escrita e da grafologia, como também de muita psicologia em relação a testes e história, assuntos que não são de tanto interesse para o leitor. Claro que acho que o livro deveria conter um pouco da história da escrita e da grafologia mas que não se devia alargar muito mais, para não tornar a leitura maçadora.
   De resto é um bom livro didático como diz a sinopse e consegue-se fazer uma interpretação da própria escrita e da dos outros. Para além disso é um autor português, ou seja publicitamos e financiamos a escrita nacional, o que sempre é bom de se salientar.
   Se quiserem comprar este livro educativo: Wook

   Boa Leitura... ;)
6/10

André

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O Festim dos Corvos - George R. R. Martin

   "Continuando a saga mais ambiciosa e imaginativa desde O Senhor dos Anéis, As Crónicas de Gelo e Fogo preosseguem após o violento triunfo dos traidores.
   Enquanto os senhores do Norte lutam incessantemente uns contra os outros e os Homens de Ferro estão prestes a emergir como uma força implacável, a rainha regente Cersei tenta manter intacta a força dos leões em Porto Real.
   Os jovens lobos, sedentos por vingança, estão dispersos pela terra, cada um envolvido no perigoso jogo dos tronos. Arya abandonou Westeros rumo a Bravos, Bran desapareceu na vastidão enigmática para além da Muralha, Sansa está nas mãos do ambicioso e maquiavélico Mindinho, Jon Snow foi proclamado comandante da Muralha mas tem que enfrentar a vontade férrea do rei Stannis e, no meio de toda a intriga, começam a surgir histórias do outro lado do mar sobre dragões vivos e fogo...
   Numa terra onde muitos se proclamaram como reis e rainhas, todos estão convidados para O Festim dos Corvos. Venha descobrir quem serão os sobreviventes!"

   Boas leitores
   Aqui está mais um livro pronto para ser postado no mês de Janeiro. O sétimo volume d'As Crónicas de Gelo e Fogo, deixem-me notificar-vos que já há 10 volumes publicados, o último saiu recentemente, ainda este mês.
   Quanto a este livro, deixou-me um pouco a desejar infelizmente. Acho que estava muito na expectativa por ter lido o anterior e ter achado espectacular. Este parece que foi mais morto, no sentido de não ter as surpreendentes cenas que admiram qualquer um. Mas também como cá em Portugal cada dois livros é como se fosse um no estrangeiro é normal este ser assim, porque supostamente fiquei a meio do quarto livro estrangeiro, logo o autor nunca iria pôr este tipo de cenários a meio do livro, só no fim, certamente.
   Apesar disso, neste livro não apareceram muitas personagens que gostava como a Daenerys ou o Bran, mas em compensação, a Arya por exemplo entrou num domínio que é muito admirado por mim, a magia, parece que a magia está a acontecer aos pouquinhos nesta colecção, mas espero que venha a aumentar mais e mais.
   De resto a escrita do autor em si continua fantástica criando opiniões diferentes sobre cada personagem à medida que vamos lendo os seus capítulos.
   É muito aconselhável ler este livro, se quiserem saber mais da colecção basta seguirem o seguinte link: Crítica - A Glória dos Traidores
   Para comprarem este livro: Wook

   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

Booking Through Thursday - Escrever ou prender a atenção?

   O que é mais importante: Boa escrita? Ou uma boa história?
(claro, um livro deve ter AMBOS mas... )

   André: Hmmm... Já que tenho de escolher digo uma boa história, acho que nos capta mais, independentemente da escrita ser boa ou má, se for uma história cativante acho que consegue captar a atenção do leitor.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A Glória dos Traidores - George R. R. Martin

   "O bafo cruel e impiedoso do Inverno já se sente. Quando Jon Snow consegue regressar à Muralha, perseguido pelos antigos companheiros do Povo Livre, não sabe o que irá encontrar nem como será recebido pelos seus irmãos da Patrulha da Noite. Só tem uma certeza: há coisas bem piores do que uma hoste de selvagens a aproximarem-se pela floresta assombrada.
   O Jovem Lobo também está em viagem, na companhia da sua mãe e do seu tio, numa tentativa de reconquistar duas coisas fundamentais para os Stark: a aliança da Casa Frey e o Norte. A primeira parece bem encaminhada, mas é sabido como o velho Walder Frey é traiçoeiro. Quanto à segunda, é uma incógnita, pois a tarefa que lhe cabe é quase impossível: conquistar Fosso Cailin a partir do sul.
   Em Porto Real, há dois casamentos em perspectiva, qual deles o mais importante para o destino dos Sete Reinos. Mas quem sabe o que os caprichos do destino têm reservado para os noivos? Jaime Lannister, agora mutilado, regressa para junto dos seus sem saber o que o aguarda. E do outro lado do mar, o poder dos dragões renasce, com Daenerys à cabeça de uma hoste de eunucos treinados para a guerra e finalmente rodeada de amigos. Mas serão esses amigos... dignos de confiança?"

   Olá leitores...
   Mais uma crítica bem quentinha está a sair, desta vez de um dos mais fantásticos livros que já li. Antes de mais quero agradecer a todos vocês seguidores deste blog que continuam a crescer felizmente, também agradeço a todos aqueles que vêm o blog mas não o seguem.
   Agora o livro, estamos a falar do sexto livro das Crónicas de Gelo e Fogo, que vão em nove com o décimo a sair exactamente este mês. E deixem-me dizer que de toda a colecção este foi para mim o melhor livro, o mais fantástico, o mais absolutamente surpreendente.
   Comecemos pelas surpresas que não vou contar nenhuma para não haver spoiler's, mas digo-vos que ao lerem este livro ficam de queixo caído. Sei que toda a colecção é fantástica e cheia de intrigas e surpresas, já ouvi dizer que o quinto livro era o melhor, mas para mim, este é o derradeiro livro.
   As intrigas dos outros livros ficam a metade em relação a este, aviso-vos que ao lerem o livro tanto são capazes de querer espancar tudo como de gritar "Winterfell!!!" ou coisa parecida e rirem-se. Este George R. R. Martin é dos melhores escritores de sempre.
   Aconselho a todos que leiam este e toda a colecção, é de ler e chorar por mais. Sigam os link's para saberem mais dos livros desta colecção: Crítica - A Tormente de Espadas
   Para comprarem a magnificiência que é este livro basta clicarem: Wook

   Boa Leitura... ;)
10/10

André

Booking Through Thursday - Saltar

   Vi um artigo no outro dia que perguntava "Envergonhaste de saltar partes de um livro?" o que naturalmente me fez querer perguntar a todos vocês.
   Saltas partes de um livro? Sentes-te mal por isso quando o fazes?


  André: Não, nunca salto partes de livros, tenho sempre de lê-los até ao fim, afinal um livro é um todo não posso saltar partes que não queira ler. A única ocasião que talvez queira passar, é para ver o fim ao algum pormenor interessante, mas nunca o faço.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Conspiração 365 - Outubro - Gabrielle Lord

   "Ouve-se um tiro enquanto Cal se esconde dos seus perseguidores - dois velhos caçadores de prémios e o seu cão selvagem, Sniffer. O hostil deserto parece determinado a ser o lugar de descanso eterno de Cal. Terá Kelvin poupado a vida do jovem para nada?
   De regresso à cidade, surge um desafio difícil de cumprir: para chegar ao cofre de Oriana no Zürich Bank, Cal e Boges precisam de copiar na perfeição a impressão digital dela... e ainda roubar-lhe a senha. Será que a ousadia dos jovens a vai levar a fazer uma aliança letal com Sligo? Nesse caso, os inimigos de Cal vão duplicar o seu poder, destruindo qualquer réstia de esperança de que o jovem se salve.
   O relógio não pára... Cada segundo pode ser o último...
   Uma aventura de cortar a respiração!"

   Boas leitores...
   Mais uma vez este mês, já é a terceira crítica. Estou pelo bom caminhos e quero ler 60 livros este ano. Desta vez mais uma obra que me aproxima do fim da colecção Conspiração 365, o do mês de Outubro.
   Infelizmente, este livro, que eu pensava que seria um dos melhores, visto que está prestes a chegar ao final, logo iria ter montes de descobertas, não teve e por outro lado foi pior noutros aspectos.
   Primeiro, foi o livro mais irrealista que li da colecção, os outros apesar de algumas coisas serem um pouco mais "impossíveis" de acontecer, ainda tinham aquela réstia de possibilidade, agora este ultrapassou os limites nesse caso.
   Quanto ao resto, simplesmente foi adicionada mais trama à rede imensa que já havia. Não desvendando assim muito. O que vai acontecer é que nos próximos dois livros vão haver imensas descobertas, vão ser descobertas aos montes, o que vai estragar um pouco a colecção em si. Mas pronto esperemos que sejam melhores noutros aspectos.
   De resto, o livro mantém os mesmos critérios que os outros, as personagens continuam as mesmas, a história também.
   Para saberem mais da colecção façam o mesmo de sempre, sigam o link: Crítica - Conspiração 365 - Setembro
   Se quiserem obter este livro: Wook

   Boa Leitura... ;)
6/10

André

Booking Through Thursday - Entrevista, Parte 2

Mas já chega de entrevistar outras pessoas. É a vez de te entrevistar a TI.
1. Qual é a tua altura preferida do dia para ler?
2. Tu lês durante o pequeno-almoço? (assumindo que tomas pequeno-almoço)
3. Qual é a tua comida preferida do pequeno-almoço?
4. Quantas horas por dia é que dirias que lês?
5. Lês mais ou menos do que lias há cerca de 10 anos atrás?
6. Consideras-te um leitor de rapidez?
7. Se pudesses ter algum super-poder qual seria?
8. Levas um livro onde quer que vás?
9. Que GÉNERO de livro?
10. Que idade é que tinhas quando recebeste o teu primeiro cartão de biblioteca?
11. Qual é o livro mais antigo que tens na tua colecção?
12. Lês na cama?
13. Escreves nos teus livros?
14. Se tivesses um conselho para um novo leitor, qual seria?
15. Que pergunta que não fiz no BTT é que gostarias de me perguntar?


   André: Bem, aqui vai o testamento: 1. Para mim, de noite quando estou deitado; 2. Não, não tomo o pequeno-almoço; 3. Não tomo pequeno-almoço; 4. Para aí umas 2 horas, num dia de semana, se não umas 5 ou 6; 5. Leio muito mais do que há dez anos atrás, mas muito mais; 6. Depende das épocas, às vezes sim, outras vezes não mesmo; 7. Talvez viver para sempre, ou curar instantaneamente; 8. Claro, sempre; 9. O que estiver a ler na altura; 10. Não tenho nenhum cartão da biblioteca; 11. O Morro dos Ventos Uivantes, de 1979; 12. Claro, todos os dias; 13. NUNCA! Para mim é como um crime ahah; 14. Ler um livro de cada género para aproveitar todo o tipo de leituras para escolher a mais apropriada para ler; 15. Depois de tantas perguntas não sei, nem consigo imaginar.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Conspiração 365 - Setembro - Gabrielle Lord

   "Convencido de que Oriana esteve por trás do rapto da sua irmã, Cal junta-se a Boges para arquitectarem um plano a fim de conseguirem obter as informações de que tanto precisam.
   Para isso, introduzem um aparelho de escuta na casa de Oriana, disparando-o através da janela. Será que espiar esta mulher irá revelar a localização da Jóia e do Enigma ou, em contrapartida, colocar Cal na linha de fogo?
   Com os seus inimigos a aumentarem à velocidade que diminuem os seus dias, Cal arrisca quase tudo para permanecer vivo e recuperar a sua antiga vida.
   O relógio não pára... Cada segundo pode ser o último...
   Uma aventura de cortar a respiração!"

   Boas leitores
   Aqui estou eu pela segunda vez no mesmo dia para vos dar mais uma crítica, que esperemos que vos seja útil para decidirem se querem ou não ler este livro.
   Estamos quase na recta final desta colecção este é o nono livro da colecção de 12. E apesar disso os livros mantêm-se mais ou menos nos mesmos níveis de pontuação, inclusive este.
   O rapaz continua em fuga, está constantemente ou em perigo de morte, ou numa ignorância completa que não consegue resolver enigma nenhum.
   Vá que desde há uns livros para cá vai-se resolvendo um mistério por cada livro, mas são mistérios insignificantes, em comparação ao grande Enigma dos Ormond, o enigma principal da colecção toda. Isto torna a leitura um pouco frustrante.
   Outro ponto frustrante, mas que neste livro não foi tanto é as desgraças contínuas que acontecem ao rapaz, ele todos os meses têm de fugir de alguma situação "apertada" em que corre perigo de vida, vá que neste livro sempre lhe foram correndo coisas boas, como a vinda da irmã e coisas assim.
   Apesar de só falar aqui em coisas que não favorecem o livro isto não quer dizer que ele seja assim tão mau, a escrita é boa, as capas também e algumas das situações do livro, alguma da história é boa e pode aproveitar-se.
   Enfim esperemos que o livro do próximo mês seja melhor que este. Se quiserem saber mais basta carregarem nos link's: Crítica - Conspiração 365 - Agosto
   Para comprarem o livro sigam este link: Wook

   Boa Leitura... ;)
6,5/10

André

Os Doze Reinos - Madalena Santos

   "Numa era primitiva e violenta, onde povos rudes são vizinhos de Cidades em franca ascensão, os clãs da Região de Unar tentam concentrar as suas forças no Primeiro Rei.
   Um bando de amigos que vive na orla dos Pântanos de Unar desde cedo se vê portador de um destino recheado de vitórias e glória eterna. Após uma longa campanha de duras provações, um deles, Teldius, é coroado e inicia uma longa fase de conquistas. Porém, os inimigos são muitos e diversificados e, no Sul, as Cidades revelam-se prósperas, evoluídas e habitadas por adversários superiores.
   As traições alteram o caminho dos Guerreiros de Unar e, no meio de tantos homens cujo ânimo se baseia na ferocidade dos líderes, Corza eleva-se até os inimigos temerem o seu nome. A odisseia prossegue até aos reinos longínquos, onde cenários coloridos e exóticos os esperam para intrigas entre poderosos que manipulam coroas e definem o futuro a seu bel-prazer.
   Os Doze Reinos é o quarto e último livro da saga Terras de Corza, da autoria de Madalena Nogueira dos Santos, e promete um final extraordinário e inesquecível para uma série que conta com O Décimo Terceiro Poder (2006), A Coroa de Sangue (2007) e As Tribos do Sul (2009).

   Boas leitores...
   Bem vindos a 2012, espero que se sintam preparados para ler muitos livros este ano. Eu propus um desafio a mim mesmo, ler 60 livros este ano, vejamos se consigo.
   Comecemos por este, o último livro de Madalena Santos, digamos que este foi se não o melhor, o segundo melhor só sendo ultrapassado pelo primeiro livro O Décimo Terceiro Poder.
   Apesar disso tenho de referir uma coisa que não achei muito conveniente. Este livro, como se pode observar pela sinopse é a ascensão de Corza pelos reinos todos do seu continente. Nos outros livros o leitor toma essa história como garantida sem nunca a ter ouvido e acho muito bom a autora escrever um livro para explicar como é que Corza foi imortalizado nas suas terras. No entanto, acho que este primeiro livro deveria ser o primeiro da colecção, para seguir a estrutura cronológica do resto das obras.
   Mas o resto do livro acho que está muito boa. O facto dela não propor logo Corza como rei, e sim Teldius, dar mais intriga e mistério ao livro para torná-lo mais interessante e absorvente.
   Um facto que não ocorria nos outros livros era a meio da história serem omitidos vários anos, por um lado, acho que sim, dá a sensação de que as coisas demoram a acontecer e que tomam um ritmo lento, até porque uma conquista dum continente não se passa em meia dúzia de anos. Mas por outro lado, o leitor pode ficar a pensar no que é que poderia ter acontecido nesses anos, mas enfim é a opinião de cada um.
   Aconselho muito a ler este livro, se quiserem saber mais vejam o link dos livros anteriores: Crítica - As Tribos do Sul
   Para comprarem este livro: Wook

   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Booking Through Thursday - Entrevista, Parte 1

   Se te pudesses sentar e entrevistar alguém, quem é que seria?
   E, o que é que lhe perguntarias?

   André: Uhhh pergunta difícil... Bem, acho que entrevistaria Christopher Paolini, o autor da saga Herança. O que é que lhe perguntaria? Isso já é mais difícil, talvez coisas como o que é que o levou a escrever esta saga, o que é que desejou pôr e no fim não pôs, se tenciona escrever mais livros, etc, uma data de perguntas aparecer-me-iam pela frente quando ficasse frente-a-frente com ele.