sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O Filho de Thor - Juliet Marillier

   "Depois do sucesso obtido com a trilogia Sevenwaters a Bertrand apresenta a nova série de Juliet Marillier A Saga das Ilhas Brilhantes, com o primeiro volume intitulado O Filho de Thor:
   Eyvind sempre quis ser um dos maiores guerreiros viquingues – um Pele-de-Lobo – e lutar pelo seu chefe em nome do deus Pai da Guerra, Thor. Não concebe outro futuro mais glorioso. Mas o seu amigo Somerled, um rapaz estranho e solitário, tem outros planos para o futuro. Um juramento de sangue feito na infância força estes dois homens a uma vida de lealdade mútua.
   A um mundo de distância, Nessa, sobrinha do Rei dos Folk, começa a aprender os mistérios da sua fé. Nem a jovem sacerdotisa nem o seu povo imaginam o que lhes reserva o futuro.
   Eyvind e Somerled parecem destinados a seguir caminhos diferentes. Um torna-se um feroz servidor de Thor e o outro um cortesão erudito. Uma viagem chefiada pelo respeitado irmão de Somerled, Ulf, junta de novo os dois amigos, que acompanham um grupo de colonos que se vai instalar numas ilhas maravilhosas do outro lado do mar. Quando um facto trágico acontece a bordo de um dos navios, Eyvind começa a suspeitar de que talvez não tenha sido um acidente..."

   Boas festas leitores...
   Estava a ver que não conseguia publicar mais nada este mês, com o Natal, os estudos, a leitura ficou um pouquinho descuidada, mas já voltou ao normal. Então e receberam muitos livros no Natal? Esperemos que sim, eu recebi 4, nada mal.
   Quanto a este livro, como diz ali em cima é uma saga, no entanto acho que só há 2 volumes, mas não tenho a certeza acerca desse assunto.
   Agora a crítica: É um livro assim assim. Tem uma história interessante, apesar de ser um pouco previsível (chegando ao ponto de achar um pouco estúpido as personagens não chegarem à mesma conclusão que eu imensos capítulos antes), mas por outro lado também tem bastante "palha" nas descrições e no enredo da história, enrola um pouco.
   O enredo da história fez-me lembrar bastante outro livro, de Ricardo Pinto Os Guardiães dos Mortos. Têm bastantes parecenças, e como esse livro não foi nada de espectacular para mim este também não foi.
   Tenho de dizer ainda que pelo menos a parte romântica da história está boa, acho que nisso a Juliet Marillier sempre foi boa, já na trilogia Sevenwaters também achei o mesmo.
   É mais um livro lido que se quiserem comprar podem fazê-lo aqui: Wook
   Boa Leitura... ;) (E boas entradas com um excelente 2013 para todos vós)

6/10

André

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Booking Through Thursday - Favoritos 2012

   Uma pergunta fácil para esta semana (fácil de perguntar, mas possivelmente difícil de responder): Quais foram/são o(s) teu(s) livro(s) favorito(s) deste ano? (Pontos bónus se souberes quantos livros leste este ano)

   André: Por acaso sei quantos livros li, mas graças ao goodreads, foram 56, nada mau este ano... Agora a parte difícil é os favoritos... Decididamente ainda bem que comecei a colecção A Saga do Assassino é muito boa. Por outro lado também fiquei super feliz por ter começado a ler em inglês o The Wheel of Time. E claro que houve outros favoritos como alguns do Game of Thrones ou o Os Jogos da Fome ou o último livro de Christopher Paolini Herança. Foram imensos os livros que adorei e amei ler este ano. Espero que para o ano haja ainda mais.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Booking Through Thursday - Tensão de Presentes

   Há algum livro que estás particularmente ansioso por receber este Natal? Há alguns que vais oferecer como presentes nesta época natalícia?

   André: Sei que vou receber livros, no entanto gostaria de receber o Cloud Atlas estou super curioso de ler esse livro já que o filme foi espectacular. Quanto a dar, como não conheço muitas pessoas que leiam não costumo dar livros, no entanto este ano vou oferecer à minha mãe o Fifty Shades of Grey já que dizem que é "pornografia para mamãs" vamos lá ver como se safa, talvez eu ainda o leia... xD Feliz Natal pessoal !

domingo, 16 de dezembro de 2012

Aprendiz de Assassino - Robin Hobb

   "O jovem Fitz é filho bastardo do nobre Príncipe Cavalaria e cresce na corte do Rei Sagaz. Marginalizado por todos, o rapaz refugia-se nos estábulos reais, mas cedo o seu sangue revela o Talento mágico e, por ordens do rei, é secretamente iniciado nas temidas artes do assassino.
   Quando salteadores bárbaros atacam as costas, Fitz enfrenta a sua primeira e perigosa missão que o lançará num ninho de intrigas. E embora alguns o encarem como uma ameaça ao trono, talvez ele seja a chave para a sobrevivência do reino.
   Com uma narrativa povoada de encantamentos, heroísmo e desonra, paixão e aventura, o Aprendiz de Assassino inicia um das séries mais bem-amadas da fantasia épica."

   Boas leitores...
   Estamos a praticamente uma semana do Natal e duas do Ano Novo, mas será que alguma destas coisas vai acontecer? Será que o mundo acabará já nesta sexta? Ao menos fiquem com esta crítica, sempre pode servir para alguma coisa.
   Este é o primeiro livro de A Saga do Assassino composta por quatro volumes e conta a história do que aconteceu antes do outro livro desta autora que já li O Regresso do Assassino.
   É uma leitura que faz o leitor vaguear por aquele mundo imenso. Tirando um pequeno pormenor que é o facto das personagens terem palavras como nomes, do tipo Majestoso, Sagaz, Veracidade, etc. Este pequeno pormenor é um pouco perturbante no início em que não se sabe se o autor está a falar da personagem ou da palavra em si.
   Mas de resto este livro é um livro excelente. Adorei lê-lo, não só pelo tipo de escrita ligeira e no entanto complexa o suficiente para guardar pormenores extremamente importantes no meio de descrições, como também pelas personagens muito bem caracterizadas e pela história que me aprisionou completamente. Estou desejoso de ler o próximo volume.
   Aconselho vivamente a comprarem este livro, façam-no para oferecerem a vocês próprios no Natal, comprem-no aqui: Wook
   Boa Leitura... ;)
9/10

André

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Booking Through Thursday - Contemplação

   "Então... Acabaste de ler um livro. Para a discussão, vamos dizer que foi tudo o que um livro deve ser - viciante, interessante, "provocador de pensamentos". O tipo que queres ler duma só vez. A pergunta é - passas logo para o próximo livro? Ou tiras um bocado de tempo para contemplar esta obra de arte e todos os pensamentos/emoções/ ideias associadas por uns tempos?"

   André: Decididamente, se um livro for tão bom assim eu não passo logo para o próximo, fico a pensar um pouco e a olhar para a capa a lembrar-me dos excelentes momentos que esse tal livro me proporcionou. Acho que até é uma emoção excelente quando acabamos um livro que sabemos que para nós é uma obra de arte perfeita, é como se de repente nos faltasse alguma coisa. Talvez por isso fique a olhar e a pensar no livro, para recordar os momentos que fiquei deslumbrado a ler.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Obrigada pelas Recordações - Cecelia Ahern

   "Quando Joyce Conway acorda no hospital depois de uma queda grave, sabe que a sua vida nunca mais será a mesma. Não só perdeu o filho que carregava no ventre, como se apercebe que o seu casamento chegou a um beco sem saída. Mas estas não são as únicas consequências. Joyce simplesmente já não é a mesma pessoa. De repente disserta sobre arte e arquitectura europeias, tem hábitos alimentares completamente diferentes, fala sobre ruas parisienses onde nunca esteve… e cruza-se amiúde com um homem a quem sente que está estranhamente ligada… Tal como nos seus romances anteriores, Cecelia Ahern transforma o quotidiano em momentos mágicos, proporcionando uma leitura enternecedora e irresistível."

   Boas a todos...
   Passada uma semana aqui estou para pôr mais um livro, o quinquagésimo quarto livro que leio este ano (a minha meta é chegar aos 55 este ano de 2012 por isso acho que estou no bom caminho). Agora é um romance de Cecelia Ahern que já não lia nenhum dela há bastante tempo.
   É uma história engraçada, com um conceito interessante, perguntei-me se isso seria verdade ou não. A verdade é que me diverti imenso a ler este livro, era calmo, com um bom romance e amor à mistura e para além disso tinha partes hilariantes em que tinha de parar de ler para me rir o que eu acho muito bom. Não foi preciso haver um desastre dramático para apimentar a história como Nicholas Sparks faz muitas vezes. Cecelia Ahern simplesmente deixa as coisas acontecerem.
   Vá houve uma coisinha que me irritou, a repetição do mesmo problema, a mulher ia para o sítio onde o homem estava e depois chegava la e ele não lá estava porque ele tinha ido pó lugar onde a mulher se encontrava primeiro. Esta situação ocorre algumas vezes o que me põe os nervos em franja.
   Mas enfim, tirando estas partes acho que é um bom livro da Cecelia Ahern que aconselho a todos, para descontraírem e rirem-se um bocadinho. Se quiserem aproveitar e comprar o livro já, basta seguirem este link: Wook
   Boa Leitura... ;)
8/10

André

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Booking Through Thursday - Recordes

   Manténs uma lista dos livros que lês? Como? Num diário? Através dum serviço online? Se sim, porquê? Para manter registos para futuras referências? Para teres a certeza que não lês nada outra vez por acaso? Se não, porque não? Demasiado ansioso para avançar para o próximo livro? Demasiado preguiçoso? Nunca pensaste em incomodar-te com isso?

   André: Sim mantenho, inicialmente era numa espécie de diário, mas quando descobri o Goodreads passei a minha lista dos livros lidos para aí, é muito mais fácil de consultar e não há o risco de se perder. Para que é que tenho esta lista? Bem inicialmente acho que era para não ler nada de novo por acaso, mas quando fui crescendo fui apercebendo que isso seria impossível, visto que me lembraria sempre se tinha lido um livro ou não, por isso acho que faço a lista mais no sentido de ter referências e manter só um registo mesmo dos livros que já li.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O Círculo de Pedra - A. J. Lake

   "No final do livro anterior, Loki conseguiu ludibriar Elspeth e fazer com que esta quebrasse as correntes que o mantinham preso sob a montanha de Eigg Loki.
   Neste volume, Elspeth e Edmund procuram desesperadamente o seu rasto, mas o fogo e a destruição de que estavam à espera não chega a acontecer. Pelo contrário, ao longo do caminho vão encontrando estranhos desenhos cujo significado tentam perceber. À medida que avançam para sul e se aproximam da guerra entre os Visigodos e os invasores Ingleses, encontram um rapaz, aparentemente perdido no meio da confusão. Elspeth e Edmund ficam com pena dele e deixam-no juntar-se ao grupo, mas talvez este rapaz saiba mais do que está a contar...
   A. J. Lake, a autora deste livro, foi professora e desde sempre se interessou pelo período da história inglesa conhecida como a Idade das Trevas."

   Happy December
   Já estamos no último mês do ano (e se calhar do último mês do mundo quiçá), mais um ano que passou a correr e aqui estamos nós com mais uma crítica quentinha que sabe mesmo bem agora.
   O último livro da trilogia da Idade das Trevas é o maior dos três e talvez o mais surpreendente dos três. A escrita não varia muito neste em relação aos outros dois, está no mesmo estilo fácil e agradável de ler. Quanto à história por um lado está bem descrita, mas por outro parece que faltam algumas pontas soltas que não se chegaram a atar.
   Tirando essa pequena falha tenho de dizer que o fim do livro está muito surpreendente, não esperava o que aconteceu, mas para felicidade de todos a autora não quis deixar a situação completamente desastrosa e adicionou uma pitada de alegria à coisa, o que não posso dizer que não foi bem-vinda.
   Destes três livros da trilogia acho que os dois últimos são bem melhores que o primeiro, não só de história como capa e tudo o resto. Se entretanto quiserem ir dar uma espreitadela às outras críticas desta trilogia basta seguirem o link: Crítica - O Livro da Espada
   Podem também aproveitar e se quiserem comprar este livro, comprá-lo aqui: Wook

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O Caminho de Merlim - Jean-Louis Fetjaine

   "Século VI, ilha da Bretanha.
   Pouco antes de morrer, o rei Guendoleu confia a Merlim, o seu jovem bardo, o cordão de ouro que representa o poder e a possibilidade de união entre os vários povos da Bretanha. Com o cordão a pesar-lhe no pescoço e a recordação de um amor impossível, Merlim tenta fugir à barbárie e percorre os reinos celtas devastados pela guerra, suscitando a desconfiança daqueles que vêem nele o "filho do Diabo". Mas será na zona impenetrável da floresta, num mundo mágico e esquecido, que a criança encontrará estranhos aliados...
   A sua viagem iniciática deverá terminar na noite dos mortos, num lugar que só ele poderá conhecer. Conseguirá, finalmente, desvendar o segredo que pesa sobre as suas origens?
   De Merlim, conhecíamos o mito; Jean-Louis Fetjaine concede-lhe a qui a sua dimensão histórica e humana."

   Boas leitores...
   Antes de mais quero agradecer à(s) pessoa(s) que fizeram encomendas na Wook através dos link's aqui do blog, estou-vos muito agradecido, estarão a contribuir para que haja aqui mais livros, tal como este mês que foi extremamente produtivo, não só em críticas como eu visitas, este mês passámos as 1000 visitas mensais, espero que continuemos com este ritmo será excelente.
   Bem, vamos ao livro, é do mesmo autor cujos livros li este mês, no entanto é duma colecção diferente, desta vez são apenas dois livros, do qual este é o primeiro, logicamente.
   Não sei bem em que género se encaixa, se histórico se fantasia, mas estaria mais inclinado para o histórico e essa foi uma das grandes falhas do livro. Acho que o autor tentou misturar duas coisas que normalmente não conjugam e infelizmente não teve sorte. Jean-Louis pôs história a mais neste livro, parecia que tinha de se restringir aos factos históricos mas de repente lembrava-se que podia acrescentar algo fantasioso. No final este é um livro sobre Merlim o grande feiticeiro e conselheiro de Artur, no entanto não é bem isto que se passa neste livro.
   Outro grande erro do autor que acho que não cometeu na trilogia que li anteriormente foi a dimensão e pormenorização da escrita, exagerou. Havia parágrafos com página e meia, por momentos pensava que estava a ler Saramago ou algo do género, o que me cansava muito mais.
   Pensei também que o livro fosse relacionar-se mais com a trilogia que li, visto que em ambos aparecia Merlim, no entanto não acontece isso a não ser no fim deste livro em que ele aparece com a aparência que tinha na trilogia.
   É um livro que nem está mau nem bom, para quem gosta de história arturiana acho que irão gostar. Para poderem comprar este livro se for esse o caso, basta seguirem o link: Wook  

   Boa Leitura... ;)
4,5/5

André  

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Booking Through Thursday - Ser um leitor

   "Estava a falar com um colega de trabalho no outro dia, sobre um livro que tinha lido recentemente, e apercebi-me do quão poucas são as pessoas com quem posso fazer isso. No meu dia-a-dia parece que quase ninguém lê nada a não ser uma revista ou um jornal. Só tenho realmente uma única pessoa com quem posso falar verdadeiramente sobre livros... E no entanto, sendo um Leitor com L maiúsculo, não consigo imaginar não ter sempre um livro à mão ou prateleiras cheias deles. Eu estou orgulhoso de ser uma pessoa que não só lê, mas que lê em volume e em variedade. Gosto de ter uma mente exploradora. Gosto de explorar novas ideias. Gosto de seguir uma história intrigante (quanto mais camadas de intriga melhor). Eu AMO ser um leitor e não consigo imaginar não ser um.
   Sou a única pessoa que se sente assim? Pergunto-me quantas pessoas não fazem uma coisa tão essencial à vida? Quem é que se sente triste por ver a quantidade de pessoas que se contentam em passar as vidas sem esticar as asas à imaginação?
   Consegues imaginar-te NÃO sendo um leitor? Como é que isso afecta a tua vida? Tens percepção disso?
   Como é que ser um leitor afecta os teus relacionamentos com todas as pessoas que te olham do outro lado e não conseguem entender como é consegues sentar-te e ler constantemente?
   
   André: Eu tenho sempre imenso orgulho de ser um leitor e como o autor do BTT sou um leitor com L maiúsculo leio não só em quantidade como em variedade, porque sempre me disseram que para conseguir escrever alguma coisa é preciso ter a sensação da escrita de vários estilos e de vários géneros. Sinto-me sempre triste por ver imensa gente que não lê e que não se interessa minimamente por isso, apesar de actualmente ver bastante gente a ler, muito mais do que antes, no comboio ou no metro. Nunca me conseguiria imaginar sem ler, seria uma vida tão aborrecida. É como se tivessemos visto a vida inteira e depois nos tirassem os olhos.
   As minhas relações com as pessoas que não lêem não são muito afectadas visto que todas as pessoas que me conhecem sabem que leio e ponto final não há lugar para discussão, o mais provável e tentar fazer com que essas pessoas leiam também. Pelo menos já consegui isso umas 3 ou 4 vezes, o que me orgulha imenso.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

O Livro da Espada - A. J. Lake

   "Raptados por um dragão no final do primeiro volume desta colecção, Edmund e Elspeth acordam na imensidão gelada das Terras da Neve, a milhares de quilómetros de casa. Escapando às garras do dragão, acabam por ser descobertos por Fritha, a filha do carvoeiro. Edmund pede-lhe que os ajude a voltar para casa, mas Elspeth discorda, pois sente que o destino da espada mágica está prestes a cumprir-se. Cada vez mais sob o seu feitiço, decide partir para Eigg Loki, a montanha que a chama e em cujo coração se escondem os mais negros segredos. Edmund e Fritha não a deixarão seguir sozinha.
   A. J. Lake, a autora deste livro foi professora e desde sempre se interessou pelo período da história inglesa conhecido como a Idade das Trevas."

   Boas pessoal...
   Lamento a demora em colocar esta crítica, já tinha lido o livro há dois dias atrás mas com frequências e tudo mais não tive tempo, mas aqui está ela. O segundo livro da trilogia A Idade das Trevas.
   Tenho de afirmar que está melhor que o primeiro, neste pareceu-me estar melhor escrito ou então a situação neste livro tornou-se mais activa e mais realista. O primeiro tinha-me parecido muito infantil este já não me pareceu assim. Tinha um pouco de mistério, surpresa, romance, acção, terror, parecia já um livro mais amadurecido.
   As personagens no entanto pareciam que tinham mudado um pouco, mas como não houve um grande aprofundamento delas não deu para entender bem isso, é uma falha que o livro tem, as personagens não têm um background bom.
    E desta vez o título está mais adequado ao livro, ao contrário do primeiro como referi na crítica dele, tal como a capa.
   Se quiserem ver a crítica do outro livro basta seguirem este link: Crítica - O Regresso dos Dragões

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

A Hora dos Elfos - Jean-Louis Fetjaine

   "O mundo, até então dividido entre anões, monstros, elfos e homens, perdeu o seu equilíbrio depois destes últimos se apoderarem do talismã dos anões, a legendária espada Excalibur. Dividido entre a sua esposa, a cristã Ygraine, e Lliane, a rainha dos elfos, o rei Uter toma a decisão de devolver a espada sagrada e de assim restaurar a antiga ordem.
   É então que os monstros invadem o reino de Logres e aniquilam os seus adversários desunidos.
   Enfraquecidos e aterrorizados, os homens voltam-se de novo para os elfos, esperando que o povo das árvores venha em seu socorro.
   Exilada na ilha de Avalon com a sua filha Morgana, e acompanhada do misterioso Merlim, aceitará a rainha Lliane, mais uma vez, arriscar tudo pelo amor de Uter?
   Adivinha-se uma derradeira batalha, onde se jogará o destino do mundo e da antiga Ordem. As hostes de orcs, trolls, gobelins, sob o estandarte de Aquele-que-não-pode-ser-nomeado, ameaçam destruir o mundo de Mitgaard - a Terra Média - e acabar de vez com a aliança de elfos, anões e humanos...
   Neste terceiro e último volume da epopeia fabulosa que consagrou o talento de narrador de Jean-Louis Fetjaine, uma alvorada banhada do maravilhoso, de paixões e de dramas ergue-se sobre a lenda arturiana."

   Boas pessoal...
   Aqui estou eu passada uma semana para apresentar-vos mais um livro, desta vez o terceiro e último da trilogia dos elfos.
   Este último foi um pouco agridoce tenho de admitir, fiquei escandalizado com a atitude de várias personagens o que mostra que o autor escreve bastante bem para surpreender os leitores, mas depois o fim fiquei completamente à toa. Parecia que do nada tinham apagado as luzes e pronto terminou.
   Foi o fim mais esquisito que vi, não mostrou nem uma conclusão, nem um epílogo mais explicativo, só tornou tudo mais estranho.
   Mas também houve coisas mais explícitas e boas no livro, as batalhas estavam bem descritas, e o autor conseguiu atear a minha antiga chama contra a Igreja, que andava adormecida, o que mostra que quanto a esse assunto até tem algum jeito.
   É um bom terceiro livro para a trilogia, mas não para o fim dela. Esperaria um quarto livro se não soubesse que se tratava duma trilogia, mas enfim.
   Bem se quiserem saber mais sobre a trilogia basta seguirem este link: Crítica - A Noite dos Elfos
   Para aproveitarem e comprarem o livro basta clicarem agora no link seguinte: Wook

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Booking Through Thursday - Agradecido

   É Dia de Acção de Graças nos E.U.A. por isso... De que é que tás agradecido em tema de livros? Novos livros favoritos? Um novo gadget para ler? Uma cadeira nova confortável? Mais tempo para ler? Apenas o mero facto de seres um leitor? Teres internet para partilhar ideias/ recomendações/ conversações sobre livros?

   André: Acho que estou bastante agradecido por todas as coisas referidas acima... Ahh excepto o novo gadget para ler, que não tenciono ter, nem a cadeira confortável, mas agradeço pela cama confortável também. Tenho de agradecer também ao facto do blog continuar a prosperar e a ganhar seguidores e novas críticas todos os meses. E no final acho que estarei sempre agradecido por isto tudo, pois é isto tudo que por um lado, me incentiva a continuar a ler.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

O Regresso dos Dragões - A. J. Lake

   "Estamos na Idade das Trevas e algo de terrível está prestes a acontecer. Um navio, saído do cais de Noviomagus em direcção à Gália, vê-se apanhado numa tempestade feroz e acaba por naufragar. Só duas crianças se salvam: Edmund, o filho de um rei que tenta a todo o custo ocultar a sua verdadeira identidade, e Elspeth, a filha do capitão do navio. Os dois vão dar à costa em cima de um baú, dentro do qual reside um grande mistério: uma espada de cristal, forjada no princípio dos tempos, com o objectivo de derrotar deuses temíveis e dragões.
   Sem o querer, Edmund e Elspeth estarão ligados a esta espada e a todas as responsabilidades que acarreta. Iniciarão uma viagem perigosa por mundos desconhecidos e descobrirão segredos escondidos há muito. Entrarão num mundo fantástico e terão de enfrentar perigos que julgavam não existir em nome do Bem e da Amizade.
   A. J. Lake, a autora deste livro, foi professora e desde sempre se interessou pelo período da história inglesa conhecido como a Idade das Trevas."

   Hello people...
   Mais um livro este mês, que tem sido extremamente produtivo em críticas, desta vez uma nova colecção, uma trilogia, denominada A Idade das Trevas.
   É um livro aconselhado a jovens adultos/adolescentes, é pequeno, relativamente fácil de ler e tem a sua pitada de aventura e acção.
   No início pareceu-me um pouco aborrecido, e um pouco previsível, no entanto isso depressa se desvaneceu com algumas coisas novas e alguma acção ao longo do livro.
   As personagens pareceram-me um pouco vagas, não houve um grande desenvolvimento em relação a isso, se calhar devido ao publico-alvo deste livro ou não, não sei.
   Tenho de vos informar que não convém comprarem o livro pelo título ou pela capa, no livro todo só há duas partes de pouquíssimas páginas em que aparecem dragões, guiem-se mais por um livro acerca da idade média/idade das trevas.
   Acho que é um bom livro para o publico-alvo que tenta alcançar, para o resto não sei bem, é para quem quiser ler, quem lhe apetecer. Vou averiguar o resto da colecção mais tarde. Se quiserem comprar este livro podem fazê-lo aqui: Wook

   Boa Leitura... ;)
6,5/10

André

domingo, 18 de novembro de 2012

A Noite dos Elfos - Jean-Louis Fetjaine

   "O mundo mergulhou no caos quando os homens exterminaram os últimos reinos anões. Só os elfos se podiam opor a eles, mas estes refugiaram-se nas suas imensas florestas, inconscientes do perigo que também os ameaçava.
   Para impedir o duque Gorlois de expandir o domínio dos homens sobre a terra, em nome de Deus, o druida Merlim junta-se ao cavaleiro Uter, o amante de Lliane, rainha dos elfos.
   Investido do poder de Lliane, Uter torna-se Pendragon, chefe de guerra de todos os povos livres, e passa a reter doravante nas suas mãos o poder de restaurar a antiga ordem. Mas ele é obrigado a escolher entre o amor de duas rainhas: Lliane, inacessível, refugiada na ilha de Avalon; ou Ygraine, tão real, tão humana...
   Narração emocionante do combate entre dois mundos, duas religiões, duas mulheres, A Noite dos Elfos traz uma dimensão violenta e sensual à génese do ciclo arturiano."

   Olá pessoal...
   Sei que não foi há muito tempo que publiquei aqui qualquer coisa, mas olhem, parece que ultimamente os livros têem sido fáceis de ler, o que até é bom, assim temos muitas críticas no blog para todos apreciarem...
   Quanto a esta obra que é a segunda da trilogia dos Elfos, publicada por Jean-Louis Fetjaine que é autor de muitas mais obras, tenho a dizer que foi uma história muito rápida.
   Quando comecei a ler o livro começa logo com emoção e mistério, aguçando assim a minha gula por mistério, fazendo com que leia imensamente rápido, mas depois quando acabei o livro pensei que a história tinha sido rápido de mais, parecia-me um conto. Sei que em 213 páginas não há imensas coisas que se possam escrever, no entanto houve partes que achei desnecessárias que poderiam ter sido ocupadas por outras mais importantes, para não haver aqueles saltos de tempo no início de cada capítulo, do género "dez meses depois" ou "tinha acontecido isto, nove meses antes".
   Tenho de admitir que continuo a achar um pouco estranho os elfos azuis, parecem avatares na minha imaginação, mas enfim isso é só um pequeno pormenor.
   Houve ainda algumas situações bastante emocionantes, cheias de simbolismo e patriotismo, gostei bastante dessas partes.
   Enfim se quiserem ler este livro, convém lerem o primeiro, para saberem a crítica desse, sigam o link: Crítica - O Crepúsculo dos Elfos
   Se quiserem aproveitar e comprar este livro sigam este link: Wook

   Boa Leitura... ;)
6,5/10

André

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

O Crepúsculo dos Elfos - Jean-Louis Fetjaine

   "Há muito, muito tempo, mesmo antes de Merlin e do rei Artur, o mundo não era mais do que uma floresta sombria de carvalhos e faias, povoado de elfos e de raças estranhas, cuja memória se perdeu nos nossos dias.
   Nesses tempos antigos, os elfos eram um povo poderoso e temido pelos homens, seres cheios de graça de pele azulada, que sabiam ainda dominar as forças obscuras da natureza.
   Este livro é uma narração das suas derradeiras horas, depois do encontro do cavaleiro Uter e de Lliane, rainha dos elfos, cuja beleza fascinava todos os que dela se aproximavam. A história de uma traição e da queda de todo um mundo, de um combate desesperado e de um amor impossível.
   Numa Idade Média onde o maravilhoso ladeia a violência e a crueldade, este romance fabuloso, alimentado por uma imaginação inesgotável e um profundo conhecimento do mundo medieval, estabelece uma ligação entre o universo das lendas célticas, a fantasia e o ciclo arturiano."

   Boas pessoal...
   Este mês está a ser bastante produtivo pelos vistos, já é a quinta crítica este mês e esperemos que haja ainda mais, para além da novidade que foi a afiliação com a Wook. Digo outra vez, comprem livros a partir dos link's ou patrocínios da Wook, estarão a ajudar-me a comprar mais livros e por isso ter mais críticas para aqui e sempre poderão de desfrutar de vários descontos.
   Bem comecemos a crítica, é o primeiro livro duma trilogia, não sei se será este o nome da trilogia mas o único nome que apanhei foi "A Trilogia dos Elfos". Este é o primeiro livro do autor que leio, mas tenho mais para ler futuramente e sei que ele tem bastantes publicados, pelo menos uns oito.
   Quanto ao livro, passa-se na Idade Média como diz a sinopse com personagens como homens, elfos, anões, etc... No entanto há pelo menos um pouco de variabilidade, os elfos são azulados, não sei porquê mas sempre que queria imaginá-los, imaginava-os como personagens do filme Avatar, enfim...
   Mas a história está interessante, tem algumas partes mais paradas do que outras mas é normal. O fim é que apimentou a história e o enredo e as intrigas que se descobre na segunda metade do livro, estou desejoso de ler o segundo volume.
   É um livro que aconselho a ler, aliás já é bem antigo, publicado pela primeira vez em 2001, já tem mais de uma década, há que aproveitar os livros de todas as idades. Se quiserem seguir o meu conselho, podem comprar o livro aqui: Wook

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Booking Through Thursday - Local, Local, Local

   Qual é o teu local favorito para ler? Tens mais que um? Consegues ler em qualquer lado, ou precisas de algumas coisas para estares "mesmo bem"?

   André: O meu local preferido tem de ser decididamente a cama. Sempre que me deito tenho de ler e sempre que tenho tempo deito-me ou sento-me na minha cama a ler. E acho que consigo ler em qualquer lado, no comboio, em casa, na estação, a meio de uma aula de faculdade (não façam isso! ahahah), no entanto acho que se chega a um ponto de barulho não consigo concentrar-me, mas é preciso já estar bastante barulho.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Fortaleza Digital - Dan Brown

   "Quando o ultra-secreto e invencível descriptador da NSA, o Crivo, se depara com uma mensagem indecifrável criada por um «anjo caído» da própria agência, o director de operações recorre à brilhante criptógrafa Susan Fletcher e ao seu noivo, um professor de Literatura, para o ajudarem a desvendar o mistério.
   Qual será a natureza do terrível código que tomou a NSA como refém? E terá David Becker êxito na sua demanda por um misterioso anel?
   Apanhada numa vertiginosa rede de secretismos e mentiras, Susan tenta desesperadamente salvar a agência em que acredita e, mais tarde, a própria vida e a do homem que ama.
   Mas será essa a resposta para a segurança universal?
   Chegando o momento da verdade , «quem guardará os guardas»?"

   Boas leitores...
   Novidades! Tenho imensas novidades para vos dar. Primeiro que tudo deixem-me dar-vos a notícia que o blog passou a ser afiliado da wook e portanto vão começar a aparecer coisas diversas da wook por aqui. E deixem-me já dizer que se alguma vez quiserem comprar algum livro criticado aqui, sigam os link's e comprem na wook, é um site espectacular e não implica pagar os livros por cartões de crédito, pode ser por multibanco ou muitas hipóteses. Estarão a ajudar o blog.
   Bem vamos agora para a crítica. Um livro de Dan Brown, não é o primeiro que leio. Aliás é o quarto que leio, no entanto, todos os outros são mais recentes que este.
   Gosto imenso da escrita de Dan Brown, apesar de ser um pouco peculiar, capítulos de meia página ou de página e meia, ou de vez em quando de dez páginas. Mas tudo deve-se à diversidade das perspectivas de personagens que existe.
   No entanto, há um grande "calcanhar de Aquiles" nos livros dele. É que por serem políciais vão baseando-se quase todos no mesmo padrão. Neste livro consegui vislumbrar por vezes partes iguais a outros livros dele, o que por vezes torna um pouco aborrecido a leitura. Mas sempre houve partes que me surpreendi e que me entusiasmei um pouco.
   Não achei dos melhores dele, mas é um bom livro, se já leram outros dele, leiam este também, podem comprá-lo aqui: Wook (sim esta é uma das novidades, sigam sempre estes link's se quiserem comprar o livro).
   Boa Leitura... ;)
7/10

André 

sábado, 10 de novembro de 2012

New Spring - Robert Jordan

   "The city of Canluum lies close to the scarred and desolated wastes of the Blight, a walled haven from the dangers away to the north, and a refuge from the ill works of those who serve the Dark One. Or so it is said. The city that greets Al'Lan Madragoran, exiled king of Malkier and the finest swordsman of his generation, is instead one that is rife with rumour and the whisperings of Shadowspawn. Proof, should he have required it, that the Dark One grows powerful once more and that his minions are at work throughout the lands.
   And yet it is within Canluum's walls that Lan will meet a woman who will shape his destiny. Moiraine is a young and powerful Aes Sedai who has journeyed to the city in search of a bondsman. She requires aid ir a desperate quest to prove the truth of a vague and largely descredited prophecy - one that speaks of a means to turn back the shadow, and of a child who may be the dragon reborn."

   Hey there readers all around the world!
   Estou a brincar, não vou fazer a crítica deste livro em inglês não se preocupem. Mas tenho de dizer-vos que me sinto muito entusiasmado por ter lido este livro.
   Foi a minha primeira experiência de leitura em inglês. Pensei que seria um desastre, ou que teria de ir imensas vezes a um dicionário ou que ficaria milhares de anos para ler o livro mas afinal não. Se estiverem em dúvida se devem ler um livro em inglês ou não, eu aconselho a experimentarem. No início estava um bocado lento, a tentar habituar-me, mas depois comecei a ler cada vez mais rápido, e não perdi detalhes nenhuns (penso eu).
   Bem quanto ao livro as informações que tenho é que é uma prequela de uma colecção chamada The Wheel of Time ou A Roda do Tempo sim esta colecção existe em Portugal, mas apenas os 4 primeiros volumes foram publicados, depois deixou de ser publicado, enquanto que neste momento a colecção tem 15 ou 16 se não me engano. Daí a minha decisão de ter começado a ler a colecção em inglês.
   Quanto à história é simplesmente brutal, eu já sabia como é que era o mundo através dos outros quatro livros que li em português, mas a prequela fez-me voltar a este mundo que eu adorava imensamente. Está tão brilhantemente idealizado e escrito que capturou imediatamente a minha atenção.
   Se estiverem interessados na colecção, podem estar em dúvida se devem ler este livro antes da colecção ou conforme as datas de publicação. Em todas as críticas que vi acerca disso diziam para ler conforme as datas de publicação, no entanto eu li e não achei isso. Acho que se lerem primeiro a prequela e depois a colecção vão ficar até muito melhor.
   Bem é uma colecção que aconselho vivamente a toda a gente. Se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
10/10

André

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Booking Through Thursday - Apagão

   As minhas desculpas pela falta da pergunta da última semana - culpem o furacão Sandy e a falta de energia durante 5 dias que me impediram de ficar online. Mas isto leva às seguintes questões:
   1.  Como é que as tempestades afectam a tua leitura? Vais para um lugar confortável ler?
   2. Como é que lidas com apagões? Lês à luz de velas? Lanternas? Usas um tablet ou um e-reader? Escapaste da leitura durante o apagão e jogas jogos com a tua família?

   André: Bem quanto à primeira pergunta, sim sempre que há tempestades o mais provável de fazer é ir para algum lado confortável e ler, muito provavelmente na cama, sabe tão bem a chuva torrencial lá fora e nós aqui dentro com um livrinho.
   Quanto à segunda pergunta muito provavelmente tento ocupar o tempo com coisas sem ser ler, visto que não tenho muitas lanternas uso velas, e acho que chamas e livros não combinam muito bem. Ainda bem que os apagões aqui não são de muitas horas.

sábado, 3 de novembro de 2012

O Perraultimato - Filipe Faria

   "As estórias são conhecidas de todos: sapatinhos de cristal, maçãs envenenadas, príncipes encantados e lobos maus; e todos sabem que, no fim, os que mereciam viveram felizes para sempre. Então porque é que isso não aconteceu? Porque é que o mundo parece virado do avesso? E porque é que toda a gente age como se nada fosse? São essas as perguntas que atormentam Borralheiro, um dos poucos que sentem que algo de profundamente errado se passou, e o único que se predispõe a ir em busca de respostas. Respostas essas que lhe chegam às mãos na forma dos versos crípticos do misterioso Perraultimato, que o lança numa demanda em busca da verdadeira essência das estórias. Acompanhado por quatro outras figuras do imaginário popular europeu — a imprevisível Capuchinho, o misterioso Aprendiz, a atormentada Vasilisa e o perigoso Burra — Borralheiro embarca numa inesquecível aventura neste primeiro volume da distopia folclórica Felizes Viveram Uma Vez."

   Olá bookaholic's
   Pelos vistos os fins de semana são bastante produtivos em relação à minha leitura, é sempre nesta altura que publico novas críticas, também por ser nesta altura que tenho mais tempo para as escrever.
   Mas continuando com o essencial, está aqui um outro livro do autor Filipe Faria, autor esse que li um livro dele ainda nem há muito tempo. Desta vez este livro pertence a uma colecção diferente, sendo este o primeiro livro dessa colecção obviamente, quantos mais terá não sei.
   Quanto ao miolo do livro tenho a informar que a minha opinião é um pouco esquisita. Ao ler este livro tanto pensava que até estava bastante bom como podia pensar que era um pouco ridículo e infantil. No final todas as pessoas que conhecem as histórias infantis, quer da Disney quer de outros sítios vão achar o livro no mínimo um pouco esquisito. Tem aquele aspecto das histórias um grupo em busca de algo e que encontram só no fim da história para poder haver continuação...
   Para compensar, achei engraçado um aspecto do livro, tinha ilustrações. Já não lia um livro com ilustrações há imenso tempo e pelo menos tornou a leitura um pouco mais engraçada.
   Nem tenho bem a certeza se deva aconselhar o livro ou não, acho melhor deixar ao vosso critério, decidam vocês... Tenham em conta que este livro decididamente não é para crianças, quanto mais quanto às ilustrações e à história em si. Se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
6/10

André

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A Melodia do Adeus - Nicholas Sparks

   "Com apenas dezassete anos, Verónica Miller - ou «Ronnie», como é carinhosamente chamada - vê a sua vida virada do avesso quando o casamento dos pais chega ao fim e o pai se muda da cidade de Nova Iorque, onde vivem, para Wrightsville Beach, uma pequena cidade costeira na Carolina do Norte. Três anos não são suficientes para apaziguar o seu ressentimento, e quando passa um Verão na companhia do pai, Ronnie rejeita com rebeldia todas as suas tentativas de aproximação, ameaçando antecipar o seu regresso a Nova Iorque. Mas será na tranquilidade que envolve o correr dos dias em Wrightsville Beach que Ronnie irá descobrir a beleza do primeiro amor, quando conhece Will, e vai afrouxando, uma a uma, todas as suas defesas, deixando-se tomar por uma paixão irrefreável e de efeitos devastadores. Nicholas Sparks é, como sabemos, um mestre da moderna trama amorosa, e, em A Melodia do Adeus, usa de extrema sensibilidade para abordar a força e a vulnerabilidade que envolvem o primeiro encontro com o amor e o seu imenso poder para ferir… e curar."

   Boas pessoal...
   Aqui estou no mês de Novembro com uma nova crítica do mesmo autor que as duas últimas. Mas vá para não enjoarem completamente de Nicholas Sparks digo-vos que este é o último livro que leio dele durante algum tempo.
   Esta obra foi para mim, uma experiência agridoce, por um lado porque no início não me estava a agradar muito, parecia aquilo que chamo de filmes de domigo à tarde com clichés e tudo. No entanto com o desenrolar da história fui-me agarrando cada vez mais até que no fim se tornou bastante emocional.
   Pelo menos nesse último aspecto não tenho nada a criticar, está excelente e consegue tocar mesmo na sensibilidade das pessoas, dos livros que li dele este foi o mais emotivo para mim sem dúvida.
   A escrita com a perspectiva de várias personagens aumenta de certa forma a vontade de ler, quando aparecia algum capítulo duma personagem que gostava mesmo que estivesse cansado tinha de ler, era obrigatório para mim.
   É um livro que aconselho a lerem, e para ficarem um pouco emotivos se se são de dar ao luxo disso... E desde já desaconselho a verem o filme está bastante diferente. Se quiserem comprar o livro: Wook
    Boa Leitura... ;)
9/10

André

sábado, 27 de outubro de 2012

Um Homem com Sorte - Nicholas Sparks

   "Durante a maior parte da sua vida, Logan Thibault foi um homem que em tudo se podia considerar comum. Porém, nada de comum havia naquilo que estava prestes a acontecer-lhe. Quando encontra uma fotografia de uma mulher durante a guerra do Iraque, Logan Thibault passa, inexplicavelmente, a ser um homem com a sorte do seu lado, que sobrevive, sem ferimentos graves, a situações de indescritível perigo. A fotografia, que nunca ninguém chegou a reclamar, começa a ser encarada como um talismã e, de regresso aos EUA, Thibault não consegue deixar de pensar na mulher que lhe salvou a vida. Mas o segredo que transporta consigo poderá custar-lhe tudo aquilo que lhe é querido... Nicholas Sparks traz-nos um romance sobre a força avassaladora do destino que dá sentido até aos momentos mais inexplicáveis da vida, agora também disponível em versão cinematográfica interpretada por Zac Efron e Taylor Schilling."

   Boas amantes das letras...
   Até parece que foi ontem que postei aqui uma crítica... E realmente foi. Está visto que a leitura de obras de Nicholas Sparks é fácil e rápida.
   Bem quanto a este livro tenho de admitir que não seguiu aquele padrão que normalmente os livros deste autor seguem o que foi uma agradável surpresa para mim.
   Quanto ao livro em si está bastante inspirador, é uma história encantadora e que para os eternos românticos (como eu) é de suspirar e suster a respiração. Gosto imenso da escrita, desta vez os capítulos eram feitos conforme a personagem, havia capítulos da perspectiva de Logan outros de Beth e por aí adiante, o que para mim tornava a leitura muito mais interessante.
   Quanto à escrita deste livro não tenho nada a apontar, gosto da escrita do autor, simples e sem pormenores a mais. Um problema que tem haver com a escrita foi a quantidade de erros que havia no livro, está visto que os revisores dos livros andam a ser mal pagos, ou então não andam a fazer o seu trabalho.
   Espero que gostem do livro se o forem ler, vale a pena. Se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Juntos ao Luar - Nicholas Sparks

   "Quando pela primeira vez contemplam juntos a noite de lua cheia, John e Savannah sentem-se invadidos pela força inequívoca de um amor nascente, pela percepção de um futuro que acaba de ganhar forma e sentido nos seus corações jovens e expectantes. Nunca a lua lhes pareceu tão bela, nem o mundo um local tão pródigo em promessas. Mas a realidade não tarda a impor-se, precipitando uma vaga de acontecimentos que os coloca perante encruzilhadas de vida brutais. As longas separações a que a carreira militar de John - destacado na Alemanha - os obriga e o peso quase insuportável da saudade impelem Savannah a tomar uma decisão difícil que irá mudar os seus destinos para sempre, mas não o que sentem um pelo outro... No entanto, será a John que caberá a mais amarga de todas as decisões, aquela que ditará os seus futuros de forma irrevogável. Mas por mais dolorosa que seja, a escolha certa torna-se sempre nítida quando é o amor genuíno que nos inspira, quando sabemos o que significa amar verdadeiramente alguém...
   Um romance soberbo, que nos traz Nicholas Sparks no seu melhor."

   Olá leitores...
   Mais uma vez este mês estou aqui para pôr mais uma crítica interessante neste blog fantástico, desta vez uma leitura bastante fora do normal. Um género que normalmente não se encontra muito por aqui.
   Este não é o primeiro romance de Nicholas Sparks que leio, é o segundo, e ainda tenho mais dois dele para ler aqui em minha casa, no entanto acho que este vai marcar-me para sempre.
   Primeiro que tudo, tenho de me justificar que já não lia romances há bastante tempo, logo a minha reacção a este foi duplicada ou triplicada.
   Mas quanto ao livro, eu acho que está muito mas muito bom. Já sei que os livros deste autor tendem a repetir-se num padrão que é: primeiro apaixonam-se, estão muito felizes, depois acontece alguma coisa má e depois separam-se. E foi de facto o que aconteceu neste e no primeiro que li dele, no entanto acho que este foi mais verdadeiro e retrata mais verdadeiramente a realidade.
   Talvez porque também esteja a acontecer actualmente um pouco isso comigo e talvez o livro tenha me afectado mais fortemente, mas acho que está muito bom, a história, as personagens, a escrita está boa, ter as perspectiva das personagens ao longo do livro.
   O fim do livro apesar de admitir que está muito bom na minha opinião, não gostei, mas também tem a ver com a minha personalidade, por isso digo que está muito bom, está bem... delineado digamos assim.
   É um livro que decididamente aconselho, veremos se acontece o mesmo no próximo livro dele. Se quiserem comprar este livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
8,5/10

André

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Booking Through Thursday - História da Capa Parte 2

   O inverso da semana passada...
   Existem alguns bons livros que começaste a ler por causa da capa e acabaste por te questionar quem é que no planeta Terra juntaria uma capa que não tem nada haver com um livro tão bom?
   E se não gostaste da capa, o que te fez escolher o livro? O autor? Uma leitura escolar obrigatória? Uma recomendação de um amigo?

   André: Sim já me aconteceu isso, foi com o livro Memorial do Convento comecei a lê-lo como livro obrigatório do secundário mas quando acabei de lê-lo pensei que realmente a capa não fazia sentido nenhum, achei que talvez fosse assim só porque todos os livros de José Saramago seriam daquele género e que não podiam afastar-se muito da norma.

domingo, 21 de outubro de 2012

A Manopla de Karasthan - Filipe Faria

   "Na imensidão cósmica existe um mundo, Allaryia, de grandes heróis e vilões infames, de seres de uma beleza indescritível e criaturas maléficas de uma fealdade atroz, nações poderosas e impérios tirânicos. Depois de muitas eras que alternaram entre a paz e a discórdia, encontramos neste primeiro volume das Crónicas de Allaryia, um tempo de aparente tranquilidade, de uma calma inquietante, semelhante ao silêncio que antecede a tempestade. Algures, numa câmara escura, subterrânea, algo se move, tentando libertar-se de anos de cativeiro, algo monstruoso, inumano, sedento de sangue e dor. O povo de Allaryia perdeu o seu campeão - Aezrel Thoryn, provavelmente morto numa batalha contra o Flagelo, a força das trevas, em Asmodeon - e mais do que nunca precisa de protecção. Aewyre Thoryn, o filho mais novo do saudoso rei, pega em Ancalach, a espada do seu pai, decide descobrir o que realmente lhe aconteceu e parte a caminho de Asmodeon. O que o jovem guerreiro não podia prever era que a sua demanda pessoal se iria transformar, à medida que os encontros se vão sucedendo, na demanda de um grupo particularmente singular, que reunirá a mais estranha e inesperada mistura de seres - Allumno, um mago, Lhiannah, a bela princesa arinnir, Worick, um thuragar, Quenestil, um eahan, Babaki, um antroleo, Taislin, um burrik, Slayra, uma eahanna negra e o próprio Aewyre. O ritmo a que se sucedem as aventuras é absolutamente alucinante, a cada passo surgem perigos mais tenebrosos, seres aterradores que esperam, ocultos nas sombras, o melhor momento para atacar e roubar a tão desejada Ancalach… Mas os laços de amizade que unem o grupo estão cada vez mais fortes e, juntos, sentem-se capazes de enfrentar qualquer inimigo! Um livro extraordinário, vencedor do Prémio Branquinho da Fonseca atribuído pela Fundação Calouste Gulbenkian e pelo semanário Expresso, que promete conquistar um lugar privilegiado na literatura portuguesa."

   Boas pessoal...
   Bem aqui estou eu a começar mais uma colecção, em vez de terminar umas quantas que estão em aberto. Desta vez a colecção chama-se Crónicas de Allaryia e é composta por sete livros se não me engano, sendo este o primeiro deles todos logicamente.
   Este é um livro da lista do Plano Nacional de Leitura, o que me assusta um bocado devido a algumas partes que estão no livro que desaconselharia a qualquer criança, ou são demasiado sexuais ou demasiado violentas.
   Quanto à história, está bastante boa, apesar de não me agradar muito a estratégia do autor, que já agora é português deixem-me dizer, que se baseia numa data de aventuras que um bando de heróis vai passando enquanto viaja, prefiro uma única história com uma aventura, mas enfim apesar disso está muito boa.
   As capas são um bocado infantis demais, mas visto que este livro é aconselhado à leitura de jovens adolescentes entendo a escolha. Mas acho que ao longo da colecção as capas vão se alterando, tornando-se mais sóbrias.
   É uma colecção pela qual estou curioso para saber mais, e da qual até aconselho a ler, mas não é nada estupendo e que tenham de ler imediatamente. No entanto, se quiserem comprar o livro: Wook
   Boa Leitura... ;)
7,5/10

André

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Booking Through Thursday - História da Capa

   Dizem que não se deve julgar um livro pela capa, mas não há dúvida que pode fazer a diferença!
   Que livro(s) têm a tua capa favorita? Alguma coisa que é perfeito para a história, o tom, as cores, o humor...
   E escolheste esse livro pela capa? Ou ias lê.lo na mesma e a capa era apenas um apêndice?

   André: A verdade é que há bastantes livros que leio devido à capa, umas vezes arrependo-me severamente, outras fico super feliz por ler certos livros graças à capa, mas as capas que mais adoro devem ser as da colecção de Christopher Paolini, Eragon, Eldest, Brisingr e Herança mas também adorei os livros da colecção que não pus aqui, a não ser o primeiro Génesis. Mas o interessante é que esses livros eu não escolhi pela capa queria lê-los e a capa era mesmo só um apêndice. A sorte é que depois de lê-los passei a adorar as capas ainda mais...

domingo, 14 de outubro de 2012

Uma Bruxa em Apuros - Kim Harrison

   "Todas as criaturas das trevas se reúnem na cidade de Hollows para se esconder, festejar… e comer. As longas noites são dominadas por vampiros num mundo de predadores que se caçam uns aos outros sem piedade.
   A jovem e sexy Rachel Morgan é caçadora de prémios por profissão e bruxa por vocação. A sua obrigação é manter Hollows minimamente civilizada. Vagueando pelas ruas da cidade, Rachel persegue criaturas sobrenaturais que cacem os habitantes mais inocentes e vulneráveis.
   Mas quando a noite esconde os maiores pesadelos imagináveis, uma personalidade forte e uma mão cheia de feitiços podem não ser suficientes para sobreviver. A não ser, claro, que Rachel Morgan seja mais do que aparenta ser…"

   Boas pessoal...
   Aqui estou eu outra vez, desta vez mais depressa, para mim está completamente comprovado que leio muito mais depressa um livro que goste e que seja mais interactivo do que um que não goste ou que tenha muitos pormenores...
   Este é o primeiro livro que leio desta autora, mas pelo que sei esta colecção já tem mais uns 3 livros se não me engano, esta série chamada série Rachel Morgan.
   Quanto à história deste livro, é um bom enredo, apesar de achar o background, o cenário e o mundo muito comercial, mundo com muitas criaturas sobrenaturais, vampiros, fadas, bruxas, etc etc etc...
   Mas por acaso a história está bem feita e bastante intrigante, cheia de acção pelo menos. Foi basicamente o contínuo rolar das coisas com bastante acção que me fez ficar colado ao livro quando o lia. Estou bastante curioso para saber o que irá acontecer nos próximos livros, mas até lá vou ter de esperar bastante para os ler.
   Aconselho a vocês, a não ser que tenham livros espectaculares demais para ler, esta obra. Se quiserem comprá-la: Wook
   Boa Leitura... ;)
7/10

André

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Terceiro Deus - Ricardo Pinto

   "Na sequência do massacre das tribos de o Céu da Terra, Carnelian - o filho do Senhor Suth - sente-se revoltado por tudo aquilo que presenciou e pretende pôr fim à carnificina levada a cabo por Osidian Nephron, eleito Deus-Imperador. Porém, Osidian continua sedento de vingança contra aqueles que usurparam o seu trono e, desesperado, Carnelian persegue-o para o matar, apesar dos laços de afecto que ainda os unem. Mas é demasiado tarde, agora que Osidian provocou a ira dos Mestres que governam a Comunidade a partir do seu centro, Osrakum.
   A guerra é inevitável e Carnelian compreende que a sua sobrevivência e a de todos os que lhe são queridos depende da sua aliança com Osidian. No fim, perceberá que os auspícios que o guiavam encobriam um terrível desígnio. Ele próprio ajudará a desencadear forças apocalípticas que trazem revelações arrasadoras. Mas existirá esperança para além do império dos Escolhidos? O Terceiro Deus é a conclusão de uma das epopeias mais notáveis das duas últimas décadas e confirma o seu autor como um dos mais originais mestres da literatura fantástica actual."

   Boas pessoal...
   Aqui estou eu, depois de não sei quantas semanas again... Estes livros têm sido bastante difíceis de digerir. Para além de serem grandes (888 páginas) tem um pequeno problema que falarei à frente. Por agora digo-vos já que este é o terceiro e último livro desta colecção que é denominada A Dança de Pedra do Camaleão.
   A história em geral está bem elaborada e interessante, principalmente o segundo e este terceiro livro que têm mais acção e surpresa. No entanto todos os três livros pecam numa coisa, excesso de pormenores. Todo o livro é coberto em pormenores que são desnecessários, fazendo perder o leitor e esquecê-lo da maior parte dos pormenores que são lidos. E por outro lado, faltam pormenores mais explícitos quanto às regras e hierarquização da sociedade em si. Parece que apareciam novos membros e hierarquias neste livro que nunca tinha ouvido falar anteriormente.
   Apesar destas coisas más há coisas boas como por exemplo o fim, que apesar de ter um pormenor que não gostei tanto, está muito bom e bem feito. Deixando o leitor feliz pela justiça e triste ao mesmo tempo.
   Se quiserem saber mais desta colecção que aconselho apenas a quem tenha bastante paciência então sigam o link: Crítica - Os Guardiães dos Mortos
   Se quiserem comprar o livro: Wook

   Boa Leitura... ;)
7/10

André

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Booking Through Thursday - Queimar

   Se a tua casa estivesse a arder e só pudesses levar um livro da tua colecção... Qual seria? (as séries contam como um)

   André: Por acaso já pensei imenso nessa questão, é sempre uma coisa que não quero que me aconteça nunca... xD Isto porque acho que se alguma vez acontecesse, morreria a tentar decidir-me qual é que haveria de salvar... Ou então pegaria num saco daqueles do lixo enorme e fazia tipo centro comercial, com o braço empurrava todos os livros para dentro do saco e salvava o máximo de livros que pudesse... :P

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Booking Through Thursday - Carregadores

   Levas os livros que lês quando sais? Como? Fisicamente ou num e-reader de algum tipo? Os teus hábitos de levares livros mudaram? (eu sei que levava mais vezes livros quando estudava do que agora, que não posso ler enquanto conduzo para o trabalho)

   André: Eu tenho sempre a tendência de levar o livro que estou a ler na altura para todo o lado. Levo sempre para a faculdade e para outros sítios mesmo que saiba que o mais provável é não ler, mas olha sempre há aquela ínfima possibilidade de conseguir ler um pouquinho... Who knows.

domingo, 23 de setembro de 2012

Rainha das Trevas - Anne Bishop

   "Há setecentos anos, num mundo governado por mulheres e onde os homens são meros súbditos, uma Viúva Negra profetizou a chegada de uma Rainha na sua teia de sonhos e visões.
    E agora, a Corte das Trevas foi estabelecida...
   Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo perverso de diplomacia e mentira, procurando destruir aqueles que sempre deram tudo por ela. E revertem as culpas para o seu tutor, Saetan, que passa a ser visto como a maior das ameaças ao poder instituído.
   Com Jaenelle como Rainha, a chacina do povo e a profanação das terras irá terminar. Porém, onde se fechou uma porta poderá abrir-se uma janela... E mesmo que Jaenelle possa contar com os seus aliados, talvez não seja suficiente: só um terrível sacrifício poderá salvar o coração de Kaeleer…"

   Olá leitores
   Mais uma vez este mês aqui estou eu, e espero estar ainda mais vezes este mês, significa que ando a ler muito. Aqui está o final duma trilogia bastante apreciada, de uma grande autora, Anne Bishop.
   A escrita continua tão boa como no livro anterior, e visto que o leitor já sabe como é o funcionamento do universo de Bishop consegue aproveitar o livro ao máximo.
   Há cenas espectaculares que me emocionaram muito de tão bem escritas e descritas estavam. Deixem-me aproveitar e informar também que tem algumas cenas um pouco mais sensuais e com outro cariz que não são muito aconselháveis a crianças.
   Só houve uma pequena coisa que me incomodou no livro, o fim. Não achei que estivesse ao mesmo nível que o resto do livro, pareceu-me que faltava ali qualquer coisa, uma pitada de algo. Acabou sem muitas explicações nem descrições de uma certa coisa.
   Mas enfim como não se pode agradar a gregos e a troianos deixo-vos aqui a pontuação deste livro e já agora o link do livro anterior a este para se quiserem dar uma vista de olhos: Crítica - Herdeira das Sombras
   Se quiserem comprar esta obra: Wook
   Boa Leitura... ;)
8/10

André 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Booking Through Thursday - Rápido!

   Rápido - O que é que estás a ler agora? (sem ser esta pergunta claro.) Recomendarias? É sobre o quê?

   André: Agora mesmo, sem ser a pergunta estava a ler a revista da National Geographic ainda do mês de Agosto, um artigo sobre os gansos-patola, deveras interessante. Mas acho que todos os artigos que venham da National são interessantes, aumentam a cultura... :P

sábado, 15 de setembro de 2012

Os Guardiães dos Mortos - Ricardo Pinto

   "O segundo livro da trilogia A Dança de Pedra do Camaleão retoma os acontecimentos do final do volume inicial. Carnelian e Osidian - o Imperador Deus eleito - adormecidos no paradisíaco Jardim Proibido do Yden, são drogados, raptados e colocados em urnas funerárias. Osidian, traído pela própria mãe, Ycoriana, em favor do seu gémeo Molochite, e o companheiro serão salvos mas feitos prisioneiros pelas tribos do Céu da Terra. Para entender plenamente a trama deste livro urge contudo ter lido o primeiro volume da saga, porque aquilo que Ricardo Pinto faz é prosseguir a complexa construção de um mundo ficcional alicerçado em pressupostos de uma notável consistência. Em Os Escolhidos, o enredo decorre nos territórios estritamente reservados à casta dominante, a elite que a si própria se designa divina e cujas leis são implacáveis e cruéis. Os Guardiães dos Mortos é de certa forma o reverso do primeiro livro, criando com a mesma acuidade o tumultuoso mundo dos que vivem fora das muralhas daquele universo esplendoroso. E é com base numa visão verdadeiramente antropológica que Ricardo Pinto nos revela o modo de vida destes "bárbaros" que têm a sua própria organização social, a sua identidade, um modo radicalmente outro de encarar o ambiente e as estruturas de poder. Face aos novos desafios, cresce entretanto o antagonismo entre os dois rapazes: Carnelian aprende a compreender os costumes da tribo que os acolhe, Osidian congemina sombriamente a vingança, tirando partido de manipulações destinadas a corromper e dividir os Homens da Planície em proveito próprio. Os Guardiães dos Mortos, o segundo momento desta saga, conserva toda a força narrativa que lhe conhecemos no primeiro volume, assegurando a Ricardo Pinto o lugar único que já conquistou na fantasia épica, como autor de algo que "permanece na memória como um sonho estranho e perturbador" (Interzone)."

   Boas pessoal...
   Mais uma vez não sei quanto tempo sem cá por críticas nenhumas, mas como bem sabem a vida não está fácil e por isso o tempo não tem sido muito.
   No entanto depois desta sinopse, que digamos de passagem é gigantesca e no entanto não diz quase nada do livro, o que por um lado é mau, porque mais de metade do livro é só a embelezá-lo em vez de contar a história, o que parece dizer "já que a história não é nada de especial vamos salientar outros pontos."
   Mas tenho a dizer que entre este livro e o primeiro preferi mil vezes este. Está mais activo, mas entusiasmante, com transmissão de raiva principalmente com nojo e vontade própria de matar uma certa personagem...
   Ainda assim há partes um pouco extensivas exageradamente tal como partes pouco descritas nem com um pormenor a dizer que já se passou não sei quanto tempo.
   Tenho a dizer que não pensei que me enganasse tanto no carácter duma personagem, houve alguém que mudou completamente a personalidade parecia adorável e tornou-se em alguém completamente oposto ao que era, fiquei espantadíssimo.
   Se o terceiro e último volume mantiver a categoria deste não ficarei desiludido com a colecção.
   Se quiserem saber mais sobre a colecção e o livro anterior basta seguirem o link: Crítica - Os Escolhidos
   Para comprarem o livro sigam o link: Wook

   Boa Leitura... ;)
6,5/10

André

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Booking Through Thursday - Organização

   Como é que organizas/armazenas os teus livros? Muda-los muitas vezes? Ou preferes pô-los na estante e deixá-los assim até voltares a precisar deles?

   André: Sinceramente eu a cada semana olho para as estantes a ver se gosto da disposição dos livros assim e como é que poderia mudá-los de organização, mas muitas vezes deixo-os estar como estão. Por outro lado também há situações em que só por ir por um livro lá mudo a disposição de quase tudo, só para poder ficar bonitinho e do jeito que quero... :P

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Booking Through Thursday - Livros escolares

   Todos nós tivemos de ler coisas na escola que não gostámos... Mas e então aquilo que tiveste de ler para a escola e que acabaste por gostar (ou amar)? Um autor que descobriste? Um género que nunca tenhas pensado?

   André: Isso aconteceu-me no meu 12º ano, tinha para leitura obrigatório O Memorial do Convento de José Saramago e eu achava que isso ia ser uma seca e no final não o foi assim tanto. Já tinha lido uma vez José Saramago, o livro Caím por isso o autor não me era desconhecido. Foi uma leitura agradávelmente surpreendente.